Apesar da alta de ontem, Ibov segue com queda de 3,34% no mês

MERCADO


Bolsa

Após dois pregões negativos, o Ibovespa recuperou ontem, marcando alta de 1,27% indo aos 101.249 pontos, com giro financeiro de R$ 12,1 bilhões. Mesmo assim, o Ibovespa segue ainda com perda de 3,34% em outubro. Os mercados operaram de olho nos acontecimentos lá de fora e nos sinais passados em relação ao encontro EUA x China nesta quinta-feira. O noticiário internacional nesta manhã ainda não confirmou detalhes sobre o assunto, com as agências internacionais informando a possibilidade de um alívio na pressão sobre tarifas pelo lado dos EUA e outros canais afirmando que não houve progresso nas questões mais importantes. No decorrer do dia as notícias deverão ficar mais claras. Do lado doméstico, destaque para a aprovação da distribuição dos recursos da sessão onerosa que ainda tem mais um passo para a decisão final. Contudo é uma notícia positiva. Hoje a agenda vem carregada de dados com destaque para a 1ª prévia do IGP-M com alta de 0,68%, vendas no varejo (set) com alta de 0,1% no M/M e 1,3% no A/A (abaixo da expectativa) e nos EUA dados importantes sobre índices de preços e seguros desemprego. As bolsas internacionais mostram alta no fechamento da Ásia, sobem na zona do euro, mas os futuros de NY estão negativos. Nesta manhã o petróleo dos tipos Brent e WTI operam em queda.

Câmbio

A moeda americana voltou a subir ontem de R$ 4,0952 para 4,1096 com investidores ainda céticos em relação ao encontro EUA c China.

Juros

A divulgação do IPCA de setembro com deflação de 0,04% abriu espaço para mais um recuo nas taxas de juros futuros, com o mercado voltando a apostar em mais um corte na taxa Selic na próxima reunião do Copom. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20, fechou a sessão com taxa de 4,954%, de 4,980% na terça-feira. A taxa do DI para jan/25 caiu de 6,611% para 6,48%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Direcional Engenharia (DIRR3)
Prévia operacional do 3T19 mostra crescimento de 20% nas vendas sobre o 3T18

A Direcional Engenharia, incorporadora que atua no Minha Casa Minha Vida (MCMV) e no segmento de médio e alto padrão registrou mais um bom desempenho operacional.

No 3T19 as vendas líquidas somaram R$ 326 milhões, crescimento de 20% sobre o 3T18 e no acumulado de 9 meses, as vendas líquidas somaram R$ 950 milhões, aumento de 13% sobre os 9M18.

Ontem a ação DIRR3 encerrou cotada a R$ 12,27 acumulando alta de 70,4% no ano. O valor de mercado da empresa é de R$ 1,8 bilhão.


Carrefour (CRFB3)
Parceria comercial com Grupo Super Nosso de Belo Horizonte (MG)

O Grupo Carrefour Brasil fechou uma parceria comercial com empresas do Grupo Super Nosso para operar 17 supermercados no modelo Carrefour Bairro em Belo Horizonte (MG). O Super Nosso foi fundado em 1998 e ocupa a 17ª posição no ranking nacional da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS).

 

No dia 07/10, o Carrefour comunicou também a assinatura dos instrumentos finais, por intermédio de sua subsidiária Carrefour Comércio e Indústria Ltda., da aquisição de 49% da empresa Ewally Tecnologia e Serviços S.A. com opção de compra do controle após 3 anos.  Com esta transação o Carrefour visa reforçar seu ecossistema e reafirmar seu com a estratégia de transformação digital.

 

A ação CRFB3 encerrou ontem cotada a R$ 19,21 acumulando alta de 7,5% no ano (queda de 7,4% em 1 mês.


Banco do Brasil (BBAS3)
Moody´s reafirmou ratings em moeda local e estrangeira (Ba2 e Ba3), com perspectiva estável

A agência de rating Moody´s reafirmou ratings em moeda local (Ba2) e moeda estrangeira (Ba3), com perspectiva estável. Em nossa visão, a confirmação da nota veio dentro do esperado. Lembrando que a Fitch Ratings e a S&P, tem notas em moeda local (BB-) e estrangeira (BB-).

Seguimos com recomendação de compra para BBAS3 com preço justo de R$ 62,00/ação que traz um potencial de alta de 40,3% em relação à cotação de R$ 44,20/ação (valor de mercado de R$ 126,7 bilhões). Nesse preço o banco está sendo negociado a 1,2x o seu valor patrimonial e com P/L de 7,1x para 2019.

Banestes S.A. (BEES4)
Não existe a intenção de oferta de ações nem de privatização

  • O Banco do Estado do Espírito Santo – Banestes, através de comunicado ao mercado feito ontem (9/out), esclareceu que não existe quaisquer estudos, nem a intenção de realizar uma oferta de ações e/ou privatização do banco.

    O Governo do Estado do Espírito Santo é o controlador do Banestes com 92,3% das ordinárias e 92,4% do capital total, para um free float de 7,6%. O banco irá realizar em 18/10/19 uma AGE para aprovar a elevação do capital social, no valor de R$ 280 milhões para R$ 1,295 bilhão, sem emissão de novas ações.


Iguatemi (IGTA3)
Venda de participação de 30% no Shopping Iguatemi Florianópolis

  • A Iguatemi fechou a venda de sua participação de 30% no Shopping Iguatemi Florianópolis para a Lumine por R$ 110,25 milhões. O valor, segundo a companhia, será pago à vista, e o múltiplo NOI (equivalente ao Ebitda das empresas de shopping) da operação é de 12,3 vezes.

    Ontem a ação IGTA3 encerrou cotada a R$ 46,50 acumulando valorização de 14,3% no ano. O valor de mercado da companhia é de R$ 8,2 bilhões.


Petrobras (PETR4)
Memorando de entendimentos com a Equinor

  • A empresa informou na noite de ontem, que assinou com a petrolífera norueguesa Equinor um Memorando de Entendimentos para o desenvolvimento conjunto de negócios de gás natural.
    • As empresas pretendem trabalhar em projetos de geração térmica, processamento de gás e escoamento de líquidos em instalações da Petrobras como o Terminal de Cabiúnas em Macaé-RJ e o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Itaboraí- RJ);

    A repartição de riscos nos investimentos em petróleo é comum na indústria, beneficiando todas as partes envolvidas.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.