Ibovespa fecha em alta de 0,46%

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa teve um dia de volatilidade trocando de sinal para fechar em alta de 0,46% aos 101.516 pontos, com giro financeiro de R$ 14,8 bilhões. A expectativa de que o Federal Reserve pode reduzir os juros na próxima reunião do Fomc de fôlego às bolsas, com o Dow Jones fechando em alta de 0,47%, e avanço também no S&P 500 com 0,80% e no Nasdaq com 1,12%. Nosso mercado segue bastante sensível aos fatos externos, mesmo com decisões importantes acontecendo em Brasília.  Hoje a agenda tem mais dados importantes nos Estados Unidos, com destaque para o “payroll” (variação na folha de pagamentos) e taxa de desemprego em setembro, além da balança comercial do país em agosto. As bolsas internacionais operam em baixa na zona do euro e nos EUA os futuros refletem expectativas de um dado fraco para a folha de pagamentos.

O Ibovespa poderá mais uma vez refletir os dados divulgados lá fora, já que não temos indicadores domésticos nem fatos relevantes para hoje, de nosso lado. No dia 01/10, os investidores estrangeiros retiraram R$ 1,197 bilhão da B3, mostrando que, por enquanto, o apetite ao risco é baixo.

Câmbio

A moeda americana encerrou a quinta-feira com queda de 1,18%% de R$ 4.1306 para R$ 4,0818. Existe uma expectativa no mercado que as operações em andamento no mercado de capitais deverão atrair um maior fluxo de recursos estrangeiros para o país, pressionando o dólar.

Juros

O enfraquecimento da moeda americana teve impacto também no mercado de juros futuros, com a taxa do DI para jan/20 caindo de 5,036% para 5,014%. A taxa do DI para jan/25 caiu de 6,671% para 6,61%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Gol (GOLL4)
Dados operacionais de setembro mostram bom desempenho com alta de 15,5% na demanda e 11.0% na oferta total de assentos

A oferta total (ASK) da companhia cresceu 11,0% no período, enquanto a demanda (RPK) teve alta de 15,5%. Já a taxa de ocupação avançou 3,2 p.p para 81,2%. Segundo a companhia, a oferta cresceu devido ao aumento de 10,7% no total de assentos e aumento de decolagens em 10,1%.

 

Ontem a ação GOLL4 foi o principal destaque de alta com 5,55% encerrando cotada a R$ 32,70 acumulando valorização de 30,3% no ano. O valor de mercado da companhia é de R$ 11,4 bilhões atualmente.


Banco do Brasil (BBAS3)
BB confirma Oferta Pública de distribuição secundária de ações

O Banco do Brasil (BB) confirmou ontem (3/out) a realização da Oferta Pública de distribuição secundária de 132.506.737 ações ordinárias de emissão do banco (4,62% do capital total), sendo 68.506.737 ações de titularidade do Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviços (FI-FGTS) administrado e gerido pela Caixa Econômica Federal; e 64.000.000 de ações mantidas em tesouraria.

 

A linha de atuação do banco permanece preservada, com a União Federal detendo o controle. O BB vem entregando resultados crescentes, reflexo da melhora de margem financeira, da redução de PDD, crescimento das rendas de tarifas, aliado ao forte controle dos custos. O foco segue no crescimento de suas operações e no incremento de rentabilidade. No contexto da Oferta o banco suspendeu temporariamente as Projeções ao Mercado (Guidance) para 2019. Seguimos com recomendação de COMPRA e preço justo de R$ 62,00/ação.

 

Cronograma estimado da Oferta. O período de reserva compreende a data de 10 de outubro de 2019, inclusive, até 16 de outubro de 2019. A precificação ocorrerá em 17 de outubro e o início de negociação na B3 em 21 de outubro de 2019. A Oferta é 100% secundária, sendo mantido o capital social do banco em R$ 67,0 bilhões, representado por 2.865.417.020 ações ordinárias.

 

Preço por Ação será fixado após a conclusão do Procedimento de Bookbuilding. A oferta total corresponde a 12,4 dias de negociação de BBAS3 na bolsa, o que em tese, pode exercer alguma pressão sobre a cotação das ações, até a conclusão da operação. Tomando por base o preço de fechamento de ontem (3/out) de R$ 45,29/ação a Oferta Total alcança R$ 6,0 bilhões, sendo de R$ 3,1 bilhões do FI-FGTS administrado pela Caixa e R$ 2,9 bilhões referente às ações em tesouraria, e que, portanto, voltam para o caixa do banco, reforçando a sua liquidez.


Enauta (ENAT3)
Atualização das estimativas de produção no Campo de Atlanta

Após o pregão de ontem, a empresa informou que elevou sua estimativa de produção no Campo de Atlanta de 25 mil barris por dia para 28 mil b/d, sendo válida para os próximos doze meses.

  • A Enauta aumentou suas expectativas, porque os três poços em produção deste campo sofreram algumas intervenções e depois disso tem mantido uma produção de 30 mil b/d, que é o limite de processamento do FPSO ali instalado;

Esta é uma boa notícia para Enauta (antiga QGEP), por indicar uma elevação de vendas e resultado.


Braskem (BRKM5)
Pagamento de dividendos

A empresa pagará no dia 31 de dezembro de 2019 dividendos no valor total de R$ 667,4 milhões, sendo R$ 0,838620027834 por ação ordinária, R$ 0,838620027834 para as preferenciais classe A e R$ 0,606279148700 por preferencial classe B.

  • A base para o pagamento deste provento foi a posição dos acionistas ao final do pregão de ontem, sendo que BRKM5 já será negociada “ex-dividendo” hoje;

Este dividendo permitirá um retorno de 2,7% para os detentores de BRKM5 (preferencial A), considerando sua cotação no fechamento de ontem.


Petrobras (PETR4)
Pagamento de juros sobre o capital

A empresa vai pagar hoje juros sobre o capital próprio (JCP) no valor total de R$ 2,6 bilhões (R$ 0,20 por ação – antes do Imposto de Renda).

Este pagamento está sendo feito com base nas posições acionárias de 12/agosto.

O JCP pago hoje permitirá um retorno bruto de 0,79%, considerando a cotação de PETR4 (r$ 25,45) no final do pregão de 12/08.

Nossa recomendação para PETR4 é de COMPRA com Preço Justo de R$ 34,50/ação (potencial de alta em 29%).


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.