Ibovespa encerra mês com alta de 3,6%

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa não acompanhou o bom humor das bolsas internacionais e fechou em queda de 0,32% aos 104.745 pontos com giro financeiro de R$ 13,1 bilhões. Pesaram para a queda as ações do setor financeiro e da Petrobras. Mesmo assim, o mês de setembro foi de alta de 3,57% para o Ibovespa, acumulando valorização de 19,18% em 9 meses. Hoje, o relatório da reforma da Previdência deverá ser votado, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Na agenda hoje no Brasil o IPC-S 30/set em 0,00% e os dados da Produção Industrial. Nos EUA a divulgação do PMI Manufatura EUA Markit e o ISM manufaturas, ambos de setembro. Dólar , S&P futuro, e yields sobem refletindo cautela dos investidores. Por aqui o Senado realiza nova tentativa de votar a reforma da previdência após frustração com o adiamento na semana passada. Esses assuntos devem nortear os mercados.

Câmbio

Ontem o dólar abriu em alta e passou a cair no meio da tarde, após a entrada de fluxo vendedor e percepção positiva do mercado para aprovação, com folga, da reforma da Previdência no Senado. Ao final fechou com queda de 0,2% a R$ 4,16.

Juros

O mercado de juros futuros teve um dia de pouco oscilação com a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechando com taxa de 4,950% (mínima), de 4,959% na sexta-feira. O DI para jan/25 terminou com taxa de 6,67%, de 6,661%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Petrobras Distribuidora (BRDT3)
Recebimento da Eletrobras

A empresa informou na noite de ontem que recebeu mais R$ 38,1 milhões da Eletrobras, referentes à 17ª parcela dos Instrumentos de Confissão de Dívida (ICDs).

  • Considerando o montante de R$ 1.446,4 milhões, recebido da Amazonas Energia na semana passada e a presente parcela, os ICDs passam a ter um saldo remanescente de R$ 649,4 milhões, a ser quitado em mais 19 parcelas.  Desde a assinatura destes instrumentos, a BR Distribuidora já recebeu um montante total de R$ 4.125,9 milhões;
  • Estes recebimentos são uma boa notícia para a empresa, com impacto direto no resultado do 3T19, dado que esta dívida já havia sido inteiramente provisionada.

Ferbasa (FESA4)
Gestão de dívidas

A empresa informou ontem, após o pregão, que pagou antecipadamente a dívida de R$ 137 milhões, referente ao preço de aquisição do Complexo Eólico BW Guirapá, para os vendedores (Santander Corretora de Seguros e Serviços e Brazil Wind).  Esta dívida seria paga em duas parcelas nos anos de 2020 e 2021 com um custo de CDI + 1% ao ano.

  • Ao mesmo tempo, a Ferbasa contratou uma nova dívida, no mesmo valor daquela que foi quitada, para pagamento em cinco parcelas anuais (2020 a 2024), com custo de CDI + 0,7% ao ano;
  • Consideramos esta notícia como positiva, pela empresa ter alongado o pagamento de uma dívida e reduzido seu custo.

Petrobras (PETR4)
Comunicados sobre gestão de ativos

A empresa fez ontem dois comunicados sobre a gestão de seus ativos, que envolvem negócios pequenos, mas cujo desenvolvimento é positivo.

  • No primeiro deles, foi informada a assinatura da venda da participação dos campos terrestres de Ponta do Mel e Redonda por US$ 7,2 milhões para a Central Resources do Brasil Produção de Petróleo Ltda.  Estes campos estão localizados no Estado do Rio Grande do Norte, sendo que no primeiro semestre de 2019 sua produção totalizou cerca de 540 barris ao dia;
  • No segundo comunicado, a Petrobras informou que concluiu o acordo com o Estado do Uruguai para devolução das concessões de gás detidas pela empresa naquele país.

Taesa (TAEE11)
Trecho de linha de transmissão Miracema-Lajeado é energizado

A Taesa comunica que em 29 de setembro de 2019, o trecho LT Miracema – Lajeado (circuito 2), tensão de 500kV e 30 km de extensão, do empreendimento Miracema Transmissora de Energia Elétrica S.A. (“Miracema”) foi energizado.

Miracema é um empreendimento em construção, 100% controlado pela Taesa, localizado no estado do Tocantins com extensão de 90 km de linha (LT 230kV Lajeado – Palmas (circuito duplo) de 60 km e LT 500kV Miracema – Lajeado (circuito 2) de 30 km) e 3 subestações (SE 230kV/138kV Palmas, SE 500kV/230kV Lajeado e SE 500kV Miracema).

Totaliza um investimento de R$ 276 milhões (Capex Aneel) e uma Receita Anual Permitida (RAP) de R$ 65,0 milhões para o ciclo 2019-2020. O prazo estipulado pela Aneel para energização de Miracema é dezembro de 2019.


Banco Santander Brasil (SANB11)
Pagamento de JCP de R$ 1,0 bilhão a partir do dia 30/out/19

O Conselho de Administração do Banco Santander (Brasil) reunido ontem (30/set) aprovou a distribuição de Juros sobre o Capital Próprio (JCP) no montante bruto de R$ 1,0 bilhão, equivalente a R$ 0,26808819384/Unit.

Farão jus aos JCP os acionistas que se encontrarem inscritos nos registros da companhia no final do dia 08 de outubro de 2019 (inclusive). Dessa forma, a partir de 09 de outubro de 2019 (inclusive), as ações do banco serão negociadas “Ex-Juros Sobre Capital Próprio”. Com base na cotação de R$ 45,33/Unit o retorno líquido é de 0,5%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.