Banco PINE – Relatório de Análise

Estratégia de pulverização da carteira com spreads adequados, melhora da eficiência operacional e a transformação digital do banco, sinaliza melhores resultados à frente.

 

Revisamos nossas premissas e estimativas, incorporando o resultado do 2T19, impactado mais uma vez pelo desempenho negativo da carteira monitorada. As perspectivas são de retomada gradual de rentabilidade, na medida em que a estratégia do banco venha sendo realizada através (i) da pulverização da carteira Corporate II com ticket médio de R$ 4,1 milhões; (ii) da redução da exposição na carteira Corporate I (ticket médio de R$ 12,1 milhões); (iii) da busca por maior eficiência operacional; e (iv) através da transformação digital do banco, direcionada ao segmento de PME.

 

Ressalte-se ainda para a redução do risco da carteira de crédito, a pulverização da captação via depósitos de pessoas físicas com ticket reduzido, e o aumento do número de clientes ativos. O banco mantém um balanço líquido à espera de um adequado momento de rentabilização, através da geração de lucro tributável para acelerar a utilização do alto volume de créditos tributários. Ao mesmo tempo, a estratégia de desinvestimento e desmobilização de ativos não core (BNDU), pode liberar capital e contribuir para uma melhor precificação do banco. Nesse contexto, e considerando um custo de capital de 10,0% e crescimento de 3% na perpetuidade, elevamos o Preço Justo de R$ 3,00 para R$ 4,00/ação, e seguimos com recomendação de COMPRA para PINE4.

 

Destaque para a transformação digital do banco, direcionada ao segmento de Pequenas e Médias Empresas (PME), com investimentos realizados no Data Center, up grade dos sistemas legados para Web e barramento de sistemas de alta qualidade, que permitiram a implementação de API`s para todas as interfaces tecnológicas. Esse processo de digitalização do banco teve início em 2017, através evolução da sua infraestrutura digital e de telecomunicações, junto com a criação de uma Plataforma 100% digital para investimentos. O ano de 2018 foi marcado pela continuidade desse processo, com destaque para: a (i) implantação da Arquitetura Global de Segurança do Ambiente Digital (Quadrante Gartner) e da Consolidação da Cloud Privada e migração do Data Center para IBM; a (ii) implementação da grade de Squads, usando a metodologia Agile; a (iii) reestruturação da engenharia de projetos e engenharia do Banco Digital; (iv) primeira Fase de digitalização interna e criação da área de Canais Digitais, em abril de 2018; culminando com a  (v) estruturação das jornadas Digitais – Visão Cliente em dez/18.

 

No 1º semestre de 2019 ressalte-se a (i) construção de uma arquitetura para suportar o Open Banking; (ii) a estruturação da Pré e Pós Venda a Pessoa Jurídica, integrado com a área de Canais Digitais e (iii) em julho, o início da Primeira Fase do onboarding digital para Pessoas Jurídicas. Nesse contexto, a jornada de digitalização do Banco PINE continua presente, em linha com a estratégia de rentabilização e criação de valor. Os “produtos já digitalizados, focados no transacional das companhias, começam a apresentar resultados relevantes. Os novos canais, produtos e jornadas para Empresas registraram mais de 62.000 acessos transacionais desde julho 2018 levando a um maior nível de autoserviço, e autonomia digital aos clientes”.

 


 

 

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.