Alta de 0,17% aos 103.680 pontos

MERCADO


Bolsa

A tensão causada pelo ataque a instalações petrolíferas no Arábia Saudita durante o fim de semana, com forte alta nos preços do petróleo levou a uma puxada nas ações da Petrobras, ajudando o Ibovespa a se manter do lado positivo. No fechamento, o índice marcou alta de 0,17% aos 103.680 pontos, com giro financeiro de R$ 27,9 bilhões, em dia de exercício de opções sobre ações, com volume de R$ 7,6 bilhões. Hoje as bolsas internacionais mostram movimento misto, absorvendo o golpe de ontem, com os preços do petróleo recuando no mercado internacional, mesmo sem um diagnóstico para este mercado no curto prazo.
O dia é de queda também para o minério de ferro e outras commodities importantes, no mercado internacional. No caso do minério de ferro a cotação segue influenciada pelos sinais de desaquecimento vindos da economia chinesa. A agenda econômica de hoje vem fraca, ficando a expectativa para amanhã com decisões importantes para os juros no Brasil e nos Estados Unidos, o que somado a outros indicadores, deverá influenciar os mercados.

Câmbio

A despeito dos acontecimentos no final de semana, a moeda americana só teve um comportamento atípico na parte da manhã. No decorrer do dia, as cotações se ajustaram para fechar praticamente estável em relação ao dia anterior, passando de R$ 4.0868 para R$ 4,0805 (-0,15%).

Juros

Apesar da apreensão em relação ao mercado de petróleo, os juros futuros tiveram mais um dia de queda com investidores dando mais peso para a expectativa em torno da reunião do Copom que acontece amanhã. A taxa do DI para jan/21 caiu de 5,378% para 5,27%, novo piso histórico. Para jan/25 a taxa também marcou a mínima, passando de 7,071% para 6,97%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Petrobras (PETR4)
Preços dos derivados no Brasil após os ataques na Arábia Saudita

A empresa informou ontem, após o pregão, que não vai reajustar seus preços como consequência da alta do petróleo derivada dos ataques ocorridos no domingo a uma grande refinaria na Arábia Saudita.
• A Petrobras vai monitorar o mercado internacional, esperando que a alta possa ser atenuada, na medida que mais informações sobre o evento sejam conhecidas;
• Esta é uma decisão sensata da Petrobras, porque uma correção forte nos preços dos derivados traria muita pressão política sobre a empresa. “Segurar” por alguns dias o repasse ao mercado interno não deve trazer perdas significativas, considerando que a empresa tem estoques de petróleo e derivados. Os preços do petróleo do tipo Brent estavam caindo 1,4% às 9 horas do Brasil.


Locamerica (LCAM3)
Desdobramento das ações

O Conselho de Administração da empresa aprovou ontem o aumento do capital autorizado R$ 1,5 bilhão para R$ 4 bilhões, além do desdobramento em três de cada ação hoje existente.
• O desdobramento tomará como base as posições dos acionistas no dia 04 de outubro de 2019. As ações já serão negociadas “ex-desdobramento” no dia útil seguinte (07 de outubro).


NotreDame (GNDI3)
Acordo para compra de 100% da SMEDSJ – Serviços Médicos São José e Nanci & Cia (Grupo SMEDSJ), de São Gonçalo (RJ), por R$ 105 milhões

Com a conclusão da Transação, a Companhia passará a deter, de forma indireta, 100% de cada uma das entidades do Grupo SMEDSJ. O preço de aquisição de R$ 105 milhões (Enterprise Value) será pago à vista na data de fechamento da Transação, descontados o endividamento apurado e uma parcela retida para contingências.

O Grupo SMEDSJ opera um hospital com 106 leitos, sendo 31 leitos de UTI, localizado na cidade de São Gonçalo (RJ), 3 centros clínicos e uma carteira de aproximadamente 17 mil beneficiários de planos de saúde na região.

Ontem a ação GNDI3 encerrou cotada a R$ 54,55 acumulando alta de 88,5% no ano. O valor de mercado da companhia e de R$ 28,8 bilhões.


Banco Inter S.A. (BIDI11)
Celebração de Acordo de Acionistas e participação acionária relevante

Foi celebrado ontem (16/setembro) pelo Banco Inter, pelo japonês SoftBank Group Corp., pelo Sr. Rubens Menin Teixeira de Souza e pelo Sr. João Vitor N. Menin Teixeira de Souza, acionistas controladores do banco, um Acordo de Acionistas, em decorrência do know-how, capacidade técnica e experiência que o SoftBank poderá contribuir ao banco. A partir deste acordo o SoftBank passará a ter determinados direitos:

  • Registration Rights. Prevê a obrigação do banco de viabilizar o registro de ofertas públicas de ações de emissão do Banco Inter no Brasil e nos EUA, o qual se encerra a partir do primeiro dos seguintes eventos: decurso de 5 anos contados da realização de uma Oferta Qualificada ou a partir do momento em que o SoftBank passar a deter 5% ou menos do capital social do banco após a realização da oferta pública inicial nos Estados Unidos;
  • Board Nomination Rights. Direito de apontar um membro para eleição do Conselho de Administração do Banco Inter enquanto possuir pelo menos 5% do capital social do banco.

Aumento de participação no capital do banco. O Banco Inter, comunica que o SoftBank e seus veículos de investimento atingiram participação equivalente a 14,94% do capital social do banco, passando a deter, de forma agregada, 35 milhões de certificados de depósitos de ações, representativos cada um de 1 ação ordinária e 2 ações preferenciais (“Units”).


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.