CCR – Relatório de Análise

Mudança de recomendação após forte alta da ação

As ações da CCR tiveram uma expressiva valorização em 2019 depois de dois anos de quedas, levando sua cotação para próximo de sua máxima histórica. CCRO3 já subiu 52,6% este ano, comparado a uma alta de 17,7% do Ibovespa. Isso ocorreu pela solução das questões levantadas pela Operação Lava Jato, assim como pela queda nas taxas de juros. Apesar do crescimento muito modesto da economia, a CCR apresentou bons resultados operacionais no 1S19, com incrementos da receita e do EBITDA. O início da cobrança de pedágio na ViaSul foi muito importante para este crescimento. Porém, a elevação dos custos financeiros, reduziu o lucro do 1S19 na comparação com o mesmo período de 2018. Nos próximos meses, o setor de concessões será agitado por vários leilões importantes de rodovias federais e estaduais, além de aeroportos. A CCR tem ampla experiência na gestão destas concessões e também conta com boa capacidade para obter recursos para os investimentos. Se a empresa ganhar novas concessões, isso certamente terá impacto positivo para os resultados e as ações. No entanto, a alta recente levou a cotação de CCRO3 para um ponto acima do nosso Preço Justo, que foi revisado e subiu de R$ 14,50 para R$ 16,40/ação, obrigando-nos a mudar a recomendação de Compra para Venda.
Tráfego: O grupo de concessionárias controladas pela CCR atua principalmente nos segmentos de rodovias, aeroportos e mobilidade urbana, sendo que 69,6% da receita bruta consolidada veio dos pedágios rodoviários no primeiro semestre de 2019. A expectativa de crescimento do tráfego das concessões rodoviárias da CCR em 2019 é de 1,5%, seguindo a elasticidade histórica do setor em relação ao PIB;
Recuperação das ações: As ações da CCR sofreram bastante em 2017 e 2018, quando havia o risco de perdas expressivas com a citação da empresa em investigações da Operação Lava Jato. Desde o ponto mínimo mais recente da ação em setembro/2018 (R$ 7,61 – já deduzidos os proventos concedidos desde então), a ação já subiu 119,1%. Neste mesmo período o Ibovespa teve uma valorização de 32,2%. Com esta valorização, CCRO3 está muito próxima de seu ponto mais alto desde a abertura do capital em 2002;
Governança e gestão: A CCR foi envolvida em denúncias no âmbito da Operação Lava Jato no início de 2017 no Paraná e em São Paulo. No Paraná, sua controlada RodoNorte assinou um Acordo de Leniência com o Ministério Público Federal daquele estado, com compromissos que somam R$ 750 milhões. Em São Paulo, a justiça homologou em julho último, o acordo firmado com o Ministério Público do Estado (MP-SP), no caso de doações ilegais para campanhas políticas. Para resolver a questão, a empresa se comprometeu a fazer uma doação de R$ 81,5 milhões ao governo e à biblioteca da USP;
Novos leilões de concessões: O setor terá muitos leilões nos próximos meses, o que é uma oportunidade para a CCR “rejuvenescer” seu portfólio de investimentos. Em rodovias, serão mais de 13 mil km de rodovias a serem leiloados até 2022. O primeiro leilão será realizado no dia 27 de setembro, serão trechos da BR 364/365 (437 km), ligando Uberlândia (MG) a Jataí (GO). Em São Paulo, será realizado no dia 28 de novembro o leilão do lote Piracicaba-Panorama. O contrato será de 30 anos para um trecho de 1.273 km, com diversas ligações pelo interior paulista. São previstos investimentos de R$ 14 bilhões, sendo R$ 1,5 bilhão nos dois primeiros anos.

Clique para acessar:

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.

[/fusion_text][/fusion_builder_column][/fusion_builder_row][/fusion_builder_container]