Ferbasa- Relatório de Análise

Mercado mais difícil

A Ferbasa apresentou resultados fracos no primeiro semestre de 2019, com redução das vendas, receita e margens. Este ambiente desafiador deve persistir no 2S19, principalmente com a guerra comercial entre os EUA – China e a redução do ritmo de crescimento mundial. Porém, a exportação de minério, os ganhos com exclusão do valor do ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS, além da venda de energia elétrica, devem melhorar os números do 3T19. Com isso ajustamos nossas projeções e reduzimos o Preço Justo da FESA4 de R$ 28,00 para R$ 26,60. A queda das ações este ano (3,5% versus alta de 16,3% do Ibovespa), abre uma oportunidade de investimento na Ferbasa, mesmo que o momento do setor seja difícil.

Evolução dos preços: As cotações do Ferro Cromo Alto Carbono (FeCrAc), principal produto da Ferbasa, são definidas trimestralmente pelos principais produtores e servem como base para as negociações da empresa com seus clientes. Para o 3T19, o preço foi definido em US$ 1,04 por libra (peso), valor que representa uma queda de 13,3% em relação ao 2T19 e é 24,6% menor que no 3T18. Porém, segundo o site UNICHROME, a forte queda recente nos preços do ferro cromo, os levaram para um nível próximo dos custos de produção de muitos fabricantes. Com isso, vários deles estão cortando suas produções. Um exemplo disso é que no mês passado a empresa sul-africana Merafe, a maior produtora mundial de ferro cromo, anunciou que irá reduzir sua utilização da capacidade de 85% para 80%.. Com isso, vários deles estão cortando suas produções. Um exemplo disso é que no mês passado a empresa sul-africana Merafe, a maior produtora mundial de ferro cromo, anunciou que irá reduzir sua utilização da capacidade de 85% para 80%. Estas reduções na produção podem indicar que os preços atingiram seu piso, tendendo a subir nos próximos trimestres. Outra indicação positiva para os preços do ferro cromo é a recente alta do níquel, outra matéria prima da produção de aço inoxidável;

Exclusão do ICMS: o mês passado, a Ferbasa informou que o Tribunal Federal da 1ª Região proferiu sentença, já transitada em julgado (sem apelação), que determinou a exclusão do valor do ICMS da base de cálculo do PIS e da COFINS, no período entre 1997 e 2018. O crédito destes impostos deve ser lançado no balanço do 3T19, o que será positivo para o resultado. Não temos condição de estimar o valor deste crédito, por isso não o incluímos em nossas projeções, mas acreditamos que será bastante elevado;

Venda de energia: A energia elétrica é um insumo fundamental para a Ferbasa. A empresa tem um contrato de longo prazo com a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) para o fornecimento de 134 MW. Ao lado disso, a Ferbasa tem contratos para aquisição de 60 MW entre 2018 e 2023 no mercado livre. Esta energia de custo mais elevado, a empresa revende, desde que usá-la na produção de ligas tenha menor retorno. Na maior parte do 1S19, a Ferbasa vendeu uma quantidade menor de energia, em função dos baixos preços no mercado livre. Já em junho, com o aumento do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), a empresa fez a cessão de 35 MW. A cessão de energia, neste momento mais difícil com as margens das ligas, é uma boa forma de aumento da rentabilidade, devendo ter impactos positivos nos resultados do 3T19;

Boa remuneração aos acionistas: A Ferbasa distribui proventos trimestralmente. Relativo ao exercício de 2019, a empresa já pagou juros sobre o capital em duas oportunidades (junho e setembro), totalizando R$ 50,2 milhões (valor bruto de R$ 0,608697 por ação preferencial). Além disso, em maio/2019, a empresa pagou um dividendo complementar, usando a reserva de lucro de exercícios anteriores, no valor de R$ 20 milhões (R$ 0,242647). Os três proventos permitiram um retorno de 3,9% para os detentores de FESA4, considerando a cotação média da ação em 2019.

Clique acessar:


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.