Queda de 1,27% e forte desvalorização das ações do banco BTG

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa abriu a semana com queda de 1,27% no fechamento de ontem aos 96.430 pontos e giro financeiro de R$ 14,3 bilhões. No começo da manhã, os mercados lá de fora repercutiram os pronunciamentos dos líderes políticos do G7 o que não chegou a ajudar a B3, que já mostrava queda na primeira hora de pregão. Na parte da tarde a queda se intensificou com a forte desvalorização das ações do banco BTG com as units marcando baixa de 18,5% no fechamento aos R$ 46,46. Em dois pregões a queda foi de 30,9%, com a unit cotada a R$ 67,20 no fechamento de 22/08. Hoje a agenda econômica traz o IPC-Fipe semanal com alta de 0,28% e a inflação da construção civil em agosto (INCC) com alta de 0,34%. Os dados a serem divulgados nos EUA são pouco relevantes para nosso mercado que segue atento aos acontecimentos políticos no exterior, com o Presidente Donald Trump mostrando interesse em dialogar com o Irã, que afirma só aceitar conversa após os EUA levantarem as sanções contra o país islâmico. Na Alemanha, preocupação com a queda de 1,3% nas exportações, a maior em seis anos e baixa também de 0,1% no PIB alemão no 2T19. Em clima político mais ameno, as bolsas internacionais mostram predomínio de alta na zona do euro. No Brasil, o mercado segue sem um bom referencial para que os investidores voltem às compras.

Câmbio

O dólar deu mais uma esticada ontem, refletindo o predomínio de incertezas tanto no cenário internacional quanto doméstico. A cotação fechou aos R$ 4,1564 de R$ 4,1233 na sexta-feira (+0,80%). Parte deste comportamento foi atribuído à variação da moeda americana em mercados emergentes.

Juros

As taxas de juros futuros tiveram dia de alta, refletindo o cenário político carregado de incertezas do lado externo e sua influência sobre nosso mercado, que tem ainda o componente câmbio, com peso sobre o humor dos mercados. Com isso, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 subiu de 5,439% na sexta-feira para 5,51%, ontem e para jan/25 a taxa fechou a 7,06%, de 6,941% na sexta-feira.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Cielo S.A. (CIEL3)
Aplicativo focado no empreendedor: Cielo Pay

A companhia anunciou ontem (26/agosto) o lançamento do app Cielo Pay – aplicativo gratuito que reúne funcionalidades de credenciamento, conta de pagamento e carteira digitais focado no empreendedor. O aplicativo deriva da parceria entre Cielo e Cateno, empresa do Grupo, disponível nas plataformas Android e IOS a partir do dia 14 de outubro, começando a ser testado pelos colaboradores da companhia nesta semana.

De acordo com a companhia “o Cielo Pay nasce com nove funcionalidades, não é um banco digital e as atividades desempenhadas por meio do aplicativo não são privativas de instituição financeira”.

Trata-se de mais uma iniciativa em resposta ao acirramento da concorrência.  Num primeiro momento a reação foi positiva, mas a jornada é longa.

Cotadas a R$ 7,30/ação (valor de mercado de R$ 19,8 bilhões) suas ações registram queda de 13,8% este ano. Temos recomendação de compra para CIEL3 com preço justo de R$ 10,00/ação, que sinaliza um potencial de alta de 37,0%.


Vale S.A. (VALE3)
Resgate dos bônus com vencimento em 2021 e redução de participação acionária da Litel

A companhia comunicou ontem (26/agosto) aos bondholders, o resgate de todos os bonds com vencimento em junho de 2021. O saldo remanescente é de US$ 280,95 milhões e o resgate será efetuado em 26 de setembro de 2019. Este resgate é consistente com o pilar estratégico de disciplina de alocação de capital.

A companhia destaca também que foi informada ontem (26/agosto) que a Litel Participações S.A. (“Litel”) reduziu sua participação acionária na Vale em 95.167.645 ações ordinárias, passando a deter, 883.579.219 ações ON de emissão da Vale, que representam 17,23% dessa espécie de ação. A Litel declarou que as ações em referência não são vinculadas ao Acordo de Acionistas da Vale e foram transferidas para os acionistas da Litel como pagamento de juros sobre o capital próprio e dividendos.

Nossa recomendação para VALE3 é de COMPRA com Preço Justo de R$ 56,00/ação, indicando um potencial de alta em 30,8% ante a cotação de R$ 42,80/ação.


Via Varejo (VVAR3)
Aprovada a 2ª emissão de notas promissórias no montante de R$ 1,5 bilhão

O prazo das notas será de até um ano, segundo a companhia e os juros oferecidos aos investidores serão correspondentes a 119% do DI. Os recursos captados mediante a colocação das Notas Promissórias serão destinados para a gestão ordinária dos negócios da Companhia, mediante o refinanciamento do passivo bancário da Companhia.

No 1S19 a empresa registrou prejuízo líquido de R$ 196 milhões, sendo R$ 154 milhões no 2T19). Em junho, a Via Varejo registrou caixa liquido + recebíveis não descontados, no montante de R$ 1,06 bilhão e um EBITDA (12m) de R$ 1,34 bilhão.

 Ontem a ação VVAR3 encerrou cotada a R$ 6,48 acumulando valorização de 47,8% no ano. O valor de mercado da empresa é de R$ 8,4 bilhões.


Gol (GOLL4)
Aprovação de emissão de bônus para subscrição de ações

Serão emitidos até 15.192.439 bônus ao preço de R$ 20, e cada um dará direito a comprar uma ação PN da companhia, que, quando emitida, terá os mesmos direitos atribuídos às demais ações preferenciais da Companhia. O preço do exercício do direito de compra da ação é de R$ 39,24.

Ontem a ação GOLL4 encerrou cotada a R$ 32,39 acumulando valorização de 29,0% no ano. O valor de mercado da empresa é de R$ 11,3 bilhões.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.