SLC Agrícola – Relatório de Análise

Lucro do 2T19 acima do esperado e redução de produtividade no algodão e milho

A SLC Agrícola registrou no 2T19 um lucro líquido de R$ 205 milhões, acima do que esperávamos, com crescimento de 31% em relação ao lucro do 2T18, em função da dinâmica de apropriação dos ativos biológicos, que compensou o menor volume faturado de soja no trimestre. O destaque negativo ficou com a redução em 6% da produtividade esperada para o algodão, para os níveis orçados anteriormente, em função de maior volume de chuvas em maio, principalmente no Nordeste. Some-se a isso a leve redução de 0,6% da produtividade no milho, e a maior volatilidade no mercado internacional de commodities agrícolas, reflexo da guerra comercial entre EUA e China, a peste suína africana na China e as estimativas relativas às condições das lavouras de soja e milho nos EUA.

No acumulado do 1S19 o lucro líquido registrou queda de 1,3% totalizando R$ 307,3 milhões ante R$ 311,4 milhões do 1S18. A companhia possui um modelo de negócio competitivo e rentável, e que ainda apresenta potencial de crescimento. Nesse contexto, vem buscando um equilíbrio entre crescimento nas culturas de maior valor agregado e incremento da geração de caixa, com foco na melhoria de produtividade agrícola, maior eficiência operacional e escala de produção. A monetização do portfólio de terras permanece no radar da companhia. Ao final de junho de 2019 o valor líquido dos ativos (NAV) da companhia era de R$ 4,62 bilhões, equivalente a R$ 24,22/ação, que se compara a cotação de R$ 17,47/ação, portanto não precificado.

Destaque para a redução em 6% da produtividade esperada para o algodão, para os níveis orçados anteriormente e para a queda de 0,6% da produtividade no milho. Nesta safra de soja, a companhia alcançou uma produtividade de 3.742 kg/ha, alta de 6,2% ao projeto inicial (1,4% acima da safra anterior) e 16,7% superior à média nacional (Conab). No milho, a projeção atual é de 7.125 kg/ha, 4,5% superior ao projeto, após leve redução de 0,6% do estimado no trimestre anterior. No algodão, a produtividade de pluma, com 62% das lavouras já colhidas (data-base de 02/08) está atualmente estimada em linha com o projeto, bem acima da produtividade média mundial. A redução de 6,0% no algodão 1ª safra refletiu maiores chuvas em maio, principalmente no Nordeste, e com queda de 5,4% no algodão 2ª safra, por regime mais seco no Mato Grosso.

Preços de venda e política de hedge. A companhia já tem mais de 90% do algodão travado para o ano, com preço médio de 79,5 centavos de dólar a libra-peso, em patamar superior ao mercado spot internacional atual, inclusos os prêmios capturados pela venda direta de aproximadamente 1/3 da produção. Na soja a companhia já supera a marca de 90% da produção vendida para este ano, a 10,15 dólares por bushel (base-porto), também acima do preço atual de mercado. O milho já está 80% vendido, com preço médio de R$23,40/saca, 16,9% superior ao preço de venda de 2018.

Clique para acessar:

 

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.