Guerra comercial EUA x China ganha novas proporções

MERCADO


Bolsa

Na sexta-feira, o destaque ficou por conta das ações da Petrobras, contribuindo para a alta de 0,54% do Ibovespa aos 102.674 pontos. Petrobras ON e PN terminaram o dia com ganhos de +3,03% e +3,59%. As declarações de Donald Trump no sentido de promover nova taxação a produtos da China pesaram sobre os mercados. No final de semana, o assunto “Guerra comercial EUA x China” ganhou novas proporções. A sinalização foi que um eventual acordo ficará para após as eleições americanas. Em resposta às ameaças do governo Trump, a China decidiu suspender importações de produtos agrícolas dos EUA. Enquanto isso, os mercados seguem refletindo declarações de ambas as partes. As bolsas internacionais mostram queda no fechamento da Ásia e no andamento das bolsas da zona do euro e os futuros de NY também indicam baixa para hoje. A agenda econômica traz em destaque apenas o Boletim Focus. Do lado externo, nenhum dado relevante, ficando mesmo no radar somente a tensão comercial lá fora, o que poderá respingar na B3.

No dia 31/07, a retirada de investidores estrangeiros somou R$ 715,3 milhões. Destaque para o retorno, nesta semana, dos parlamentares após o recesso. Na pauta a retomada da votação da reforma da Previdência no segundo turno na Câmara e o reforma tributária. o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcou oito sessões de plenário para discussão e votação em segundo turno da matéria entre terça e quinta-feira da próxima semana

Câmbio

A piora no ambiente externo levou o dólar para cima novamente, fechando cotado a R$ 3,8886 na sexta-feira, ante R$ 3,8404 no fechamento da quinta-feira (+1,01%). O nervosismo do lado externo poderá ditar mais uma alta da moeda americana hoje.

Juros

O mercado de juros futuros doméstico teve comportamento moderado em relação a outros ativos, com poucas oscilações nas taxas. No fim da sessão regular, DI para  janeiro de 2020, estava a 5,505%, ante 5,501% no ajuste da 5ª feira e para jan/25 a taxa fechou estável, a 6,91%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Banco ABC Brasil (ABCB4) )  
Trimestral em linha, por redução de PDD, estabilidade da margem financeira e inadimplência contida

O Banco ABC Brasil registrou no 2T19 um lucro líquido recorrente de R$ 125 milhões (ROAE de 13,0%), 12% superior ao 2T18 (R$ 112 milhões e ROAE de 13,0%). Temos recomendação de COMPRA com preço justo de R$ 24,00/ação, equivalente a um potencial de valorização de 34,4%.

Um resultado trimestral, em linha com o esperado, principalmente explicado pela queda de PDD em relação a igual trimestre do ano anterior, dado o estorno parcial (R$ 12,5 milhões) da provisão adicional de R$ 50 milhões, constituída em setembro de 2015.

Na comparação do 2T19 versus o 2T18, destaque para (i) a queda da Margem Financeira com clientes e com o mercado, parcialmente compensada por uma melhora na linha do patrimônio líquido remunerado a CDI; somado a (ii) queda na receita de serviços, nas linhas de garantias prestadas e tarifas, compensado por melhores resultados com a linha de Fees de mercado de capitais e M&A; e (iii) por aumento das despesas de pessoal e outras administrativas, em percentual acima da inflação.

No 1º semestre de 2019 o lucro líquido recorrente somou R$ 246 milhões, com crescimento de 12% em relação aos R$ 220 milhões do 1S18, com destaque (i) para a redução de PDD; (ii) queda da Margem Financeira com clientes e da margem financeira com o mercado, parcialmente compensado por uma melhora na linha do patrimônio líquido remunerado a CDI; (iii) queda das receitas de serviços; e (iv) aumento das despesas de pessoal e outras administrativas. Nesta base de comparação o ROAE recorrente manteve-se estável em 13,0%.

Com base no resultado do semestre a administração do banco reduziu o guidance de crescimento da carteira de crédito expandida, da estimativa anterior (entre 11% e 15%) para o intervalo entre 6% a 10%. A linha de despesas de pessoal e outras administrativas foi mantida entre 4% e 6%.


Sabesp (SBSP3)   
ARSESP publica cronograma da 3ª Revisão Tarifária Ordinária (RTO)

Na sexta-feira (2/agosto) a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo – ARSESP, publicou no Diário Oficial do Estado de São Paulo a Deliberação nº 894 que trata do cronograma da terceira Revisão Tarifária Ordinária (RTO).

Ao preço de R$ 55,93/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 38,2 bilhões, a ação SBSP3 registra alta de 82,0% este ano. Nesse preço os múltiplos para 2019 são: P/L de 13,6x e VE/EBITDA de 7,8x. Temos recomendação de compra para SBSP3.

A terceira RTO da Sabesp terá início em junho de 2020 e será finalizada até abril de 2021. Compreenderá: (a) a determinação do Custo Médio Ponderado de Capital; (b) a definição da metodologia a ser adotada no ciclo tarifário (2021-2024); (c) o envio do Plano de Negócios pela Sabesp e análise das informações pela ARSESP, incluindo o Índice Geral de Qualidade; (d) a determinação da Tarifa Média-Máxima (P0), do Fator X e do Índice de Reposicionamento Tarifário; e (e) a realização de consultas e audiências públicas e análise das contribuições recebidas.

A ARSESP divulgará o cronograma detalhado da terceira RTO no 1º semestre de 2020, conforme previsto na Ação DEF 16 (Cronograma de eventos da 3ª Revisão Tarifária da Sabesp) da Agenda Regulatória do biênio 2019-2020.


Petrobras (PETR4)
Redução no preço do GLP e recebimento da Eletrobras

A partir de hoje, a empresa diminuirá os preços do GLP (gás liquefeito de petróleo ou gás de cozinha) vendido nas refinarias entre 6,5% e 12,0% para uso residencial (botijões de 13 kg) e em 13% para uso comercial e industrial.  Estes dados foram informados pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás).

Com a redução recente nos preços do petróleo, a empresa está apenas acompanhando o movimento no GLP;

Na última sexta-feira, a Petrobras informou que a Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobras), quitou antecipadamente o saldo devedor do Instrumento de Assunção de Dívida assinado em 3 de dezembro de 2018, no valor de R$ 1,275 bilhão;

O recebimento da Eletrobras é uma boa notícia para a Petrobras, com uma entrada importante de caixa, que ajuda na redução do endividamento.


BRMalls (BRML3)
Aprovação de JCP de R$ 0,20 e dividendos de R$ 0,62 por ação

O pagamento, no valor total de R$ 696.409.000,00, equivalente a R$ 0,825986422960775 por ação, será realizado aos acionistas no dia 19 de agosto de 2019.

Farão jus ao direito de recebimento de dividendos e juros sobre o capital próprio os titulares de ações no dia 07 de agosto de 2019.

As ações ficarão ex-direito a partir de 08 de agosto de 2019, inclusive.

Na sexta-feira a ação BRML3 encerrou cotada a R$ 15,06. Com base nesta cotação, o retorno para os acionistas é de 5,45%.


EZTec (EZTC3)
Transferência de de participação societária da companhia dentro da família Zarzur

A companhia recebeu de seu acionista, Sr. Ernesto Zarzur, comunicado informando que realizou a transferência de sua participação societária indireta, representando 31,56%

do capital social da Companhia, a seus filhos e netos.

Em razão de tal transferência, o Sr. Ernesto Zarzur deixou de deter direta ou indiretamente participação societária na Companhia, reservando, entretanto, para si, o direito de posse, uso, administração, percepção dos frutos e rendimentos e o poder de voto nas deliberações sociais em relação à participação societária transferida.

Foi, ainda, informado que este evento não objetiva alterar a composição do controle, nem a estrutura administrativa da Eztec, e que as transferências foram realizadas exclusivamente a membros de sua família, que também pertencem ao bloco de controle da Eztec sujeito ao Acordo de Acionistas da Companhia de 28 de abril de 2007.

Na sexta-feira a ação EZTC3 encerrou cotada a R$ 33,84 com valorização de 64,8% no ano. O valor de mercado da companhia é de R$ 6,8 bilhões.


Boletim Focus
Após redução da taxa de juros pelo Copom com sinalização de novos ajustes, mercado corrige Taxa Selic para 5,25% no final de 2019

Destaques do Boletim Focus publicado na segunda-feira, para 2019:

IPCA: 3,80%;

IPCA (atualização dos últimos 5 dias): 3,77%;

PIB: 0,82%

Taxa de Câmbio: R$/US$ 3,75;

Meta Taxa Selic: 5,25% a.a.

POSITIVO

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) – Anúncio de antecipação de pagamento de R$ 40 bilhões ao Tesouro Nacional

Com esse pré-pagamento, o BNDES já terá devolvido à União, neste ano, R$ 84 bilhões, o que corresponde cerca de 70% da meta de R$ 126 bilhões.


BNDS
Anúncio de antecipação de pagamento de R$ 40 bilhões ao Tesouro Nacional

Com esse pré-pagamento, o BNDES já terá devolvido à União, neste ano, R$ 84 bilhões, o que corresponde cerca de 70% da meta de R$ 126 bilhões.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.