Cenário internacional foi referência para pequena alta

MERCADO


Bolsa

A sexta-feira foi de pequena alta (0,16%) para o Ibovespa, com fechamento aos 102.818 pontos e giro financeiro de R$ 17,9 bilhões. Em julho, no entanto, o índice contabiliza alta de 1,83%. Com noticiário doméstico fraco, o cenário internacional foi referência para o desempenho da bolsa, principalmente a divulgação do PIB do 2T19 nos EUA, com alta de 2,1%, acima das expectativas de 1,9%. A semana abre com agenda econômica fraca, com destaque apenas para o Boletim Focus e aguardando a decisão para os juros americanos e Taxa Selic, nesta virada de mês. As bolsas internacionais mostram queda no fechamento da Ásia e predomínio de baixa na zona do euro, nesta manhã. Do lado doméstico, os resultados corporativos devem seguir influenciando os preços dos respectivos papéis.

Câmbio

O dólar encerrou a R$ 3,778 contra R$ 3,779 (queda de 0,04%). A moeda subiu 0,71% na semana, a segunda consecutiva de alta. No mês, o dólar recua 1,77% e no ano, 2,55%.

Juros

Os juros futuros encerraram a sexta-feira cm o DI para jan/20 terminou estável, a 5,59% e para jan/25 os juros recuaram de 6,90% para 6,87%. O mercado segue dando peso para a reunião dos juros nos EUA, que acontece nesta segunda-feira.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Hypera (HYPE3)  
Lucro líquido de R$ 334,9 milhões no 2T19, crescimento de 21,3% sobre o 2T18

A Hypera encerrou o 2T19 e o 1S19 com bom crescimento no lucro líquido, mas o resultado foi influenciado positivamente principalmente pela redução da taxa efetiva de imposto de renda por conta da declaração de Juros Sobre Capital Próprio no 2T19, no montante de R$ 161,3 milhões, e o montante de R$ 91,8 milhões relacionados à reversão de parte do passivo fiscal relacionado a créditos tributários.

A ação HYPE3 encerrou a sexta-feira cotada a R$ 30,46 com alta de apenas 2,8% no ano.


Copasa (CSMG3)  
Lucro do 2T19 cresce 8% e soma R$ 119 milhões

A Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais (Copasa) registrou no 2T19 um lucro líquido de R$ 119 milhões, 8% superior ao lucro de R$ 110 milhões do 2T18, refletindo, principalmente, o aumento de preços e o melhor resultado financeiro líquido entre os trimestres comparáveis. Em adição, foram constituídas duas provisões não dedutíveis e não recorrentes referentes a dois processos judiciais no valor de R$ 31,6 milhões.

Excluídas estas provisões o lucro do trimestre veio em linha com o que esperávamos. Destaque para o reajuste médio de 8,38% nas tarifas de prestação de serviços públicos de abastecimento de água e de esgotamento sanitário da companhia, autorizado pela ARSAE MG, com aplicação a partir de 1º de agosto de 2019. As perspectivas apontam para uma melhora de eficiência reflexo do adequado controle de custos e despesas. Não estamos contando com a privatização da companhia, ao menos no curto prazo.

Ao preço de R$ 64,49/ação (valor de mercado de R$ 8,2 bilhões), as CSMG3 registram alta de 7,1% este ano e valorização de 60,5% em doze meses. Os múltiplos apontam para um P/L de 12,5x e VE/EBITDA de 6,5x para 2019. Temos recomendação de COMPRA e Preço Justo de R$ 75,00/ação (potencial de alta de 16,3%).


São Martinho S.A. (SMTO3)
Ex-dividendo de R$ 0,3136/ação a partir de hoje (29/julho)

A companhia comunica o pagamento de R$ 110,0 milhões na forma de dividendos, equivalentes a R$ 0,31356660214/ação, conforme aprovado na Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária  (AGOE) realizada na sexta-feira, 26 de julho de 2019.

Os dividendos terão como base a posição acionária de 26 de julho de 2019 e serão pagos em 16 de agosto de 2019. As ações da companhia serão negociadas “ex-dividendos” a partir de 29 de julho de 2019.  Com base na cotação de R$ 19,84/ação o retorno é de 1,6%.


Boletim Focus    
Mercado mantém indicadores praticamente sem alterações em semana de Copom, cuja expectativa é de, no mínimo, uma redução de 0,25%

Dentre as alterações contidas no Boletim Focus desta segunda-feira, destaque para a elevação marginal das estimativas para o IPCA de 2019, com as atualizações dos últimos 5 dias na mesma linha, demonstrando que a inflação corrente segue comportada e ancorada. Para o PIB, a mediana das estimativas não registrou alteração, mas já é esperado um impacto positivo na atividade por conta de da liberação do FGTS, pelos cálculos do governo o impacto esperado no PIB será de 0,35% em 12 meses. Por fim, o mercado manteve suas estimativas para a Taxa Selic estáveis neste ano. Para a próxima reunião do Copom (30 e 31 de julho) o consenso é de um corte de 0,25 pp, porém há quem enxergue um maior afrouxamento por parte do BC, haja vista a aprovação das reformas necessárias para o país. Para a taxa de câmbio, o mercado também manteve inalteradas suas estimativas, neste ano.

A mediana do agregado para a produção industrial registrou recuo marginal para 2019, sugerindo crescimento de 0,50% ante 0,66%. Para os demais indicadores de relevância, não houve alteração em relação às estimativas anteriores.

Com isso, para 2019, as expectativas para o IPCA ficaram em 3,80%, o PIB em 0,82%, Taxa de Câmbio R$/US$ 3,75 e a Meta da Taxa Selic em 5,50% aa.

Destaques do Boletim Focus publicado na segunda-feira, para 2019:

  • IPCA: 3,80%;
  • IPCA (atualização dos últimos 5 dias): 3,80%;
  • PIB: 0,82%
  • Taxa de Câmbio: R$/US$ 3,75;
  • Meta Taxa Selic: 5,50% a.a.

Siderurgia
Produção e vendas muito fracas em junho

A produção brasileira de aço bruto em junho foi de 2,8 milhões de toneladas, 5,0% menor que no mesmo mês do ano passado, conforme os dados divulgados pelo Instituto Aço Brasil (IABr).

  • Os números do mês foram fracos nos laminados, com quedas de 3,7% na produção de aços planos e 5,4% em longos.  Apenas cresceu (5,3%) a produção de semiacabados, que tem menor valor agregado;
  • Em junho, as vendas de aço no Brasil em abril caíram muito (12,8%).  O pior desempenho ocorreu em aços longos, com uma queda de 17,5%, mas as vendas de planos não foram muito melhores, apresentando redução de 11,0%;
  • Estes dados do IABr são uma indicação negativa para os resultados das siderúrgicas no 2T19.

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.