Ibovespa fecha em queda de 1,41% aos 102.655 pontos

MERCADO


Bolsa

O mercado teve uma quinta-feira mais pesada, com o Ibovespa cedendo 1,41% no fechamento aos 102.655 pontos e com giro financeiro de R$ 19,1 bilhões. Dois assuntos pesaram sobre o mercado: as declarações do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi afirmando que não foram discutidas mudanças na política monetária do BCE, no encontro de ontem e também os rumores sobre uma delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci, que atingiria especificamente o Bradesco. As ações do Banco fecharam em queda de 5,8% a PN e 4,9% a ON. Hoje a agenda econômica traz a INCC (custos de construção) em julho, com alta de 0,91% (prev: 0,81%). Outros dados domésticos importantes como empréstimos pendentes e taxa de inadimplência completam a agenda doméstica. Ainda nesta manhã saem os dados dos EUA, com destaque para o PIB do 2T19. As bolsas internacionais mostram queda no fechamento da Ásia e alta na zona do euro. Nos EUA, segue a expectativa em relação aos juros, com decisão na próxima semana e do lado doméstico, foco nos resultados corporativos divulgados.

Câmbio

A moeda americana encerrou praticamente estável ontem, queda de 0,01%, passando de R$ 3,7745 para R$ 3,7738, reflexo de poucas notícias capazes de influenciar o mercado.

Juros

Os juros futuros voltaram a subir ontem, após três pregões seguidos em queda. Os juros no exterior tiveram dia de alta com as divulgações de indicadores piores nos EUA e a ausência de novos estímulos monetários por parte do Banco Central Europeu (BCE). No fechamento, o DI para jan/20 subiu de 5,57% para 5,60% e para jan/25 a taxa subiu de 6,84% para 6,90%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Fleury (FLRY3)  
Lucro de liquido de R$ 72,6 milhões, queda de 16,2% sobre o 2T18, acumulando R$ 165,2 milhões no 1º semestre

Os resultados da empresa ajustados pelo IFRS 16 mostram queda, pelos ajustes realizados. O Lucro Líquido recorrente atingiu R$ 90,3 milhões, aumento de 4,2%. No semestre, o Lucro Líquido recorrente atingiu R$ 187,2 milhões, crescimento de 2,3%. A Margem Líquida foi de 13,1%.
Temos recomendação de COMPRA para a ação FLRY3 com preço justo de R$ 25,00. Ontem a ação encerrou cotada a R$ 23,75, portanto ainda existe um potencial de valorização de 5,3%. Nossa recomendação foi ao preço de R$ 21,66.


Ecorodovias (ECOR3)
Queda do lucro no 2T19 com aumento do custo financeiro

Após o pregão de ontem, a Ecorodovias divulgou seus resultados do 2T19 apresentando aumento no tráfego com novas concessões e elevação da receita.  No entanto, a forte alta do custo financeiro levou à redução do lucro, na comparação com o mesmo trimestre de 2018.

O lucro líquido no 2T19 foi de R$ 58 milhões (R$ 0,11 por ação), 27,3% menor que no 2T18 e 30,6% abaixo do trimestre anterior;

O expressivo aumento dos custos financeiros foi responsável pela redução no lucro líquido no 2T19.  As despesas financeiras líquidas no trimestre somaram R$ 176 milhões, 43,6% maiores que no 2T18.  Isso foi devido, principalmente, ao forte aumento nos juros e variações monetárias sobre debêntures (25,3%) e também à contabilização de “efeitos financeiros sobre direito de outorga”, no valor de R$ 34 milhões, que não ocorreu no ano passado.


Usiminas (USIM5)   
Um bom resultado no 2T19

A Usiminas divulgou seus resultados do 2T19 nesta manhã, apresentando aumento nas vendas de aço e minério, na comparação com o 2T18, além de uma importante redução nos custos financeiros, levando ao aumento do lucro.

No 2T19, a Usiminas obteve um lucro líquido de R$ 131 milhões (R$ 0,10 por ação), que foi 180,1% maior que no trimestre anterior e reverteu o prejuízo do 2T18;

No 2T19, as vendas totais de aço, comparadas ao mesmo trimestre de 2018, aumentaram 8,4%, principalmente pela elevação de 13,8% no volume vendido no mercado interno.  As exportações tiveram queda de 23,1%.


Minerva (BEEF3)
Redução do prejuízo no 2T19 em base de doze meses

A Minerva reportou seus resultados referentes ao 2T19 com destaque para o crescimento de volumes (+21,9% sobre o 2T18), que mais que compensaram a queda de 11,4% dos preços, entre os trimestres comparáveis. O resultado financeiro veio melhor, mas continuou pesando no resultado final, um prejuízo líquido de R$ 113 milhões no 2T19, que se compara ao prejuízo líquido de R$ 926 milhões no 2T18. A Receita Líquida somou R$ 4,0 bilhões no 2T19 e o EBITDA, R$ 364 milhões. Cotadas a R$ 8,63/ação (valor de mercado de R$ 3,3 bilhões), BEEF3 registra alta de 72,9% este ano.

A companhia permanece confiante nas boas perspectivas para os próximos trimestres, tanto para as exportações, quanto nos mercados internos. A Divisão Athena Foods foi responsável pela maior parte da receita bruta da Minerva, atingindo 43% de participação. No Brasil a receita bruta dos últimos doze meses somou R$ 7,6 bilhões, recorde histórico. Para o 2º semestre a companhia segue buscando a excelência na sua operação, de modo a obter resultados cada vez melhores e com menor volatilidade.


Cemig (CMIG4)
2ª fase da operação “E o vento Levou”

Em relação às ações da Polícia Federal, no âmbito da 2ª fase da operação “E o Vento Levou”, deflagrada na manhã de ontem (25/julho), a Cemig informou que, desde o início da operação, está em total colaboração com as autoridades e que também tem interesse na rápida evolução dessas investigações.

A PF apura indícios da prática de desvios de recursos em prejuízo da Cemig Geração e Transmissão, em investigação de fatos ocorridos anteriormente a 2015, na empresa Renova (RNEW11).

Suas ações (CMIG4) apresentam alta de 4,8% este ano para uma cotação de R$ 14,07/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 20,5 bilhões. O preço justo de R$ 16,00/ação traz um potencial de alta de 13,7%.


Neoenergia (NEOE3)
Resgate antecipado de debêntures da 3ª emissão para posterior cancelamento

A Neoenergia promoverá em 08 de Agosto de 2019 o Resgate Antecipado da totalidade das Debêntures Simples da 3ª emissão, não Conversíveis em Ações, da Espécie Quirografária, em Série Única, em circulação no mercado, com o consequente cancelamento.

Os debenturistas farão jus ao recebimento do Valor Nominal das Debêntures, acrescido dos Juros Remuneratórios, calculados pro rata temporis desde a Data de Emissão ou data do último pagamento efetivo dos Juros e do pagamento de prêmio de resgate correspondente a 0,40% flat, incidente sobre o Valor Nominal Unitário (ou saldo do Valor Nominal Unitário, conforme o caso), acrescido dos Juros Remuneratórios.

Seguimos com recomendação de compra e preço justo de R$ 19,50/ação, que embute um potencial de alta de 10,5% em relação à cotação de fechamento de ontem (25/julho) de R$ 17,64/ação.


Sabesp (SBSP3)
Celebração de contrato com o município de Santo André

Em referência à notícia veiculada dia 25 de julho de 2019, no jornal Folha de S. Paulo, intitulada “Para assumir saneamento em Santo André, Sabesp suspenderá dívida de R$ 3,4 bilhões”, a companhia esclareceu que “estão em estágio avançado nas tratativas para a celebração de contrato por meio do qual a Sabesp assumirá a prestação dos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário pelo prazo de 40 anos e equacionará o pagamento da dívida do município de Santo André”, mas que, “até o presente momento, o acordo ainda não foi concluído entre as partes”.

Ao preço de R$ 52,16/ação (valor de mercado de R$ 35,6 bilhões), suas ações registram alta de 69,7% este ano. Temos recomendação de compra para SBSP3.


Petrobras (PETR4)
Relatório de Produção e Vendas 2T19

A empresa fez sua primeira divulgação de um Relatório Trimestral de Produção e Vendas.  O relatório mostrou fortes quedas nos volumes vendidos no 2T19 e diminuição também da produção, na comparação com o 2T18.

Estes números são indicadores negativos para o balanço da Petrobras no 2T19, que será divulgado no dia 1 de agosto, com a teleconferência sendo realizada em 2/8 às 10 horas;

A produção total da Petrobras no 2T19 foi de 2.633 mil barris equivalentes de petróleo (mbpd), volume 1,0% abaixo do mesmo período do ano passado, mas 3,8% acima do trimestre anterior;

As vendas no 2T19 caíram expressivamente, principalmente nas unidades no exterior.  O volume total vendido no 2T19 somou 2.727 mbpd, 7,0% abaixo do mesmo trimestre de 2018 e 6,0% menor que 1T19.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.