Ibovespa fechou em queda de 1,21% aos 103.452 pontos

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa passou por uma realização de lucros na sexta-feira, acompanhando o dia fraco das bolsas norte-americanas e ainda influenciada pelas declarações do ex-ministro Antonio Palocci, em delação premiada, citando doações eleitorais feitas por alguns bancos. Com isso, o Ibovespa fechou em queda de 1,21% aos 103.452 pontos, com giro financeiro de R$ 12,5 bilhões. Na semana, a Bolsa acumulou perda de 0,44%. A semana inicia com agenda econômica fraca, com destaque apenas para o Boletim Focus nesta manhã e na parte da tarde, os dados do CAGED (geração de empregos) para o mês de junho. Nenhum dado importante do lado externo para hoje. As bolsas asiáticas fecharam em queda, mas na zona do euro o movimento predominante é de alta nesta manhã e os futuros de NY indicam abertura do lado positivo, na expectativa de resultados corporativos e nos sinais para os juros americanos, na próxima reunião do Federal Reserve. Os investidores estrangeiros seguem negativos no mês, até o dia 17/07 o saldo estava em R$ 1,89 bilhão.

Câmbio

O dólar voltou a subir na semana passada, encerrando a sexta-feira cotado a R$ 3,7486 ante R$ 3,7205 no dia anterior (+0,76%. O comportamento da moeda no Brasil reflete um misto da alta no exterior, com o mercado avaliando um corte nos juros americanos.

Juros

O mercado de juros futuros operou com liquidez reduzida e as taxas dos contratos futuros de Depósito Interfinanceiro (DI) encerraram a sexta-feira perto da estabilidade. O DI para jan/20 encerrou o pregão a 5,675%, ante 5,689% na sessão anterior. Entre os contratos longos, DI para jan/25 passou de 6,93% para 6,94%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Randon (RAPT4)  
Receita cresce 27,8% no 2T19

A receita líquida consolidada da Randon em junho atingiu R$ 425,9 milhões, valor 18,1% maior que no mesmo mês do ano passado.  Com isso, o faturamento no primeiro semestre de 2019 somou R$ 2,4 bilhões, 25,5% acima daquele verificado em 2018.

No 2T19, a receita atingiu R$ 1,3 bilhão, ficando 27,8% acima do 2T18;

Esta é uma boa notícia, indicando que o resultado do 2T19 pode ser bastante positivo.


Petrobras (PETR4)
Venda dos Polos Pampo e Enchova

Após o pregão da última sexta-feira, a empresa informou que a Trident Energy fez a melhor proposta para a aquisição da totalidade de sua participação nos Polos Pampo e Enchova.  A oferta foi de US$ 1 bilhão, considerando pagamentos firmes e contingentes (feitos posteriormente se determinadas condições forem atingidas).

Os dois polos têm uma produção somada de, aproximadamente,40 mil barris ao dia de petróleo;

Como sempre afirmamos, o desenvolvimento do Programa de Desinvestimentos da Petrobras é sempre uma boa notícia, porque permite a redução da dívida e dos investimentos.


Light S.A. (LIGT3)   
Morgan Stanley atingiu participação de 7,8% do total das ações da companhia

A Light comunicou na sexta-feira (18/julho) que em 12 de Julho de 2019, o Morgan Stanley (de forma agregada, por meio de suas subsidiárias), atingiu posição equivalente a 23.509.585 ações ordinárias representando 7,8% das ações ordinárias de emissão da companhia.

Lembrando que após o encerramento em 17/julho da oferta pública de distribuição primária e secundária de ações ordinárias de emissão da companhia, a Cemig passou a deter 22,6% das ações ordinárias da Light, o BNDESPAR, 6,3% e Outros acionistas, 71,1% das ações.

Ao preço de R$ 20,08/ação (valor de mercado de R$ 6,1 bilhões) a ação LIGT3 registra alta de 22,8% este ano. O preço justo de R$ 22,0/ação traz um potencial de alta de 9,6%.


Banco BTG Pactual S.A. (BPAC11)
Aquisição do Capital Social da Ourinvest Distribuidora

O banco assinou em 19 de julho os documentos definitivos referentes à aquisição de 80% do capital social da Ourinvest Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A., que será mantida como plataforma independente do BTG Pactual.

A conclusão e fechamento da Operação estão sujeitos à verificação de determinadas condições precedentes, incluindo a obtenção de todas as aprovações regulatórias necessárias, inclusive do Banco Central do Brasil.

O valor da transação não foi divulgado e a aquisição não envolve o Banco Ourinvest e as operações do banco ligadas ao mercado de câmbio para empresas e clientes institucionais.

Cotadas a R$ 56,90 as Units do Banco Pactual registram expressiva alta de 147,9% este ano, correspondente a um valor de mercado de R$ 25,0 bilhões.


Itaú Unibanco (ITUB4)
Doações nas eleições presidenciais de 2006, 2010 e 2014

Em relação à matéria divulgada pelo jornal O Globo que trata da delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci, o Itaú Unibanco informou na sexta-feira (19/julho) que “repudia veementemente qualquer tentativa de vincular doações eleitorais realizadas de forma lícita e transparente a condutas antiéticas para atender a eventuais interesses da organização, no caso a aprovação da fusão entre Itaú e Unibanco, anunciada em novembro de 2008”.

O banco reiterou que “nas eleições presidenciais de 2006, 2010 e 2014, todos os valores doados pelo Itaú Unibanco aos candidatos que lideravam as pesquisas de opinião foram rigorosamente iguais, além de muito semelhantes nos três anos”; e que “a fusão entre Itaú e Unibanco foi aprovada por todas as autoridades competentes, seguindo estritamente seus fluxos e ritos de aprovação, e que foram impostas uma série de condições para aprovar a operação, todas inteiramente atendidas pelo Itaú Unibanco”.

Nesse contexto, na sexta-feira, a ação ITUB4 registrou queda de 2,60% acima da baixa de 1,21% do Ibovespa. Nesse preço, equivalente a um valor de mercado de R$ 356,9 bilhões, o banco está sendo negociado a 3,0x seu valor patrimonial e com P/L de 12,8x para 2019. Temos recomendação de COMPRA e preço justo de R$ 43,00/ação, que traz um potencial de alta de 18,1%.


Aliansce (ALSC3) e Sonae Sierra (SSBR3)
Expectativa de conclusão da união das empresas em 05 de agosto

As duas empresas de shopping centers, possuem ativos de boa qualidade e que se complementam, formando uma companhia mais robusta.

Na sexta-feira a ação ALSC3 encerrou cotada a R$ 27,70 com alta de 48,9% no ano e a SSBR3 a R$ 35,18 com valorização de 38,7%.


Boletim Focus
Mercado corrige marginalmente para cima o PIB, enquanto projeta menor inflação e câmbio valorizado

Dentre as alterações contidas no Boletim Focus desta segunda-feira, destaque para a redução das estimativas para o IPCA de 2019, com as atualizações dos últimos 5 dias na mesma linha. Para o PIB, a mediana das estimativas acusou sua 1ª elevação, mesmo que de forma marginal, porém as projeções de crescimento para este ano não são animadoras, o que também acaba por contaminar as projeções para 2020. Por fim, o mercado manteve suas estimativas para a Taxa Selic e agora enxerga uma taxa de câmbio marginalmente mais valorizada, neste ano.

A mediana do agregado para a produção industrial registrou elevação marginal para 2019, sugerindo crescimento de 0,66% ante 0,65%. Para os demais indicadores de relevância, não houve alteração em relação às estimativas anteriores.

Com isso, para 2019, as expectativas para o IPCA ficaram em 3,78%, o PIB em 0,82%, Taxa de Câmbio R$/US$ 3,75 e a Meta da Taxa Selic em 5,50% aa.

Destaques do Boletim Focus publicado na segunda-feira, para 2019:

IPCA: 3,78%;

IPCA (atualização dos últimos 5 dias): 3,77%;

PIB: 0,82%

Taxa de Câmbio: R$/US$ 3,75;

Meta Taxa Selic: 5,50% a.a.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.