Ibovespa marca queda de 0,10% aos 103.803 pontos

MERCADO


Bolsa

Com agenda política vazia e poucos indicadores para o dia, a bolsa abriu a semana sem um referencial para ditar seu rumo. No final o Ibovespa marcou queda de 0,10% aos 103.803 pontos, com giro financeiro de R$ 19,6 bilhões, influenciado pelo exercício de opções com movimento de R$ 6,1 bilhões. Hoje a agenda econômica traz dados positivos da balança comercial na zona do euro em maio, com 20,2 bilhões de euros, acima das expectativas. No Brasil, temos a divulgação do IGP-10 com alta de 0,61% e o IPC-s com alta de 0,14% e nos EUA um maior número de indicadores para junho, com destaque para: índices de preços, vendas no varejo e produção industrial. As bolsas internacionais mostram alta na zona do euro. A expectativa fica mesmo em cima do esperado corte de juros nos EUA neste mês e a sinalização passada por Jerome Powell de mais redução à frente. A B3 poderá ter mais um dia de pouco variação, diante da expectativa de um noticiário político fraco a partir de amanhã com o recesso parlamentar.

Câmbio

O dólar voltou a subir após operar em baixa durante toda a semana passada. Ontem a cotação fechou aos R$ 3,7570 com valorização de 0,99% sobre os R$ 3,7375 da sexta-feira. O dia foi de noticiário fraco e demanda também abaixo da média de sessões anteriores.

Juros

Os juros futuros voltaram a ceder ontem com a taxa do contrato de DI para jan/21 encerrando em 5,56% de 5,598% na sexta-feira. O mercado voltou a se ajustar após o adiamento da votação do segundo turno da RP. No longo prazo a variação foi menos sensível, com a taxa passando de 6,88% para 6,86%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

EZtec (EZTC3)  
Bom desempenho operacional no 2T19 com as venda líquidas somando R$ 676 milhões no 1S19

No 2T19, a companhia lançou R$ 313 milhões em VGV somando R$ 707 milhões no 1º semestre. Este valor representa 70% do piso do guidance estimado para 2019. Foram lançados 3 empreendimentos: O guidance de lançamentos para 2019 permanece entre R$ 1,0 bilhão e R$ 1,5 bilhão.

A ação EZTC3 encerrou ontem cotada a R$ 29,00 acumulando valorização de 41,2% no ano, com valor de mercado de R$ 5,8 bilhões.


MRV Engenharia (MRVE3)
Prévia operacional do 1S19 mostra crescimento de 15,4% nos lançamentos e 4,3% nas vendas líquidas

A MRV registrou crescimento no VGV lançado e nas vendas liquidas no 2T19 e no acumulado do semestre, um bom desempenho operacional, com destaque para a redução nos distratos e recuperação da geração de caixa positivo.

A ação MRV3 encerrou ontem cotada a R$ 19,27 acumulando valorização de 59,3% no ano, com valor de mercado de R$ 8,5 bilhões.


EDP – Energias do Brasil S.A. (ENBR3)   
Encerrado Programa de Recompra de Ações

A EDP comunicou ontem (15/julho) o encerramento do Programa de Recompra de Ações de sua emissão, aprovado pelo seu Conselho de Administração em 19 de junho de 2019. Foram recompradas 1.500.000 ações ordinárias, entre os dias 24 de junho e 05 de julho, equivalentes a 0,51% das ações em circulação. O preço médio de aquisição foi de R$ 18,56/ação.

Cotadas a R$ 19,40/ação (valor de mercado de R$ 11,8 bilhões) a ação ENBR3 registra alta de 38,8% este ano. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 12,7x e VE/EBITDA de 6,5x. O preço justo de R$ 20,00/ação, corresponde a um potencial de alta de 3,1%.

De acordo com a EDP “o Programa de Recompra teve como objetivo permitir a outorga de ações no âmbito do plano de incentivo de longo prazo baseado em ações que integra a atual política de remuneração de emissão da companhia”.


Banco Inter (BIDI4)
Atingido percentual mínimo para o Programa de Units e alienação de participação

O Banco Inter, informou ontem, durante o pregão, que foi atingido o Percentual Mínimo de 40% de adesão para efetivação de seu Programa de Emissão de Certificados de Depósito de Ações do Banco para a formação de units (“Programa de Units”).

O período de conversão teve início no dia 08 de julho de 2019 e se encerrou ontem dia 15 de julho de 2019. Oportunamente o banco informará seus acionistas e ao mercado, sobre o resultado final do Programa de Units por meio de Comunicado ao Mercado ou Fato Relevante.

Alienação de participação acionária. Em 15 de julho de 2019 a TRUXT Investimentos Ltda (“Truxt”), com sede no Rio de Janeiro, informou que alienou ações de emissão do banco, passando a deter, de forma agregada, 6.246.092 ações preferenciais, representando aproximadamente 2,05% do total de ações preferenciais emitidas pelo banco. A participação anterior era de 5,05% das preferenciais.


Vale (VALE3)    
Assinatura de acordo com MPT/MG

Segundo vários jornais, a Vale assinou ontem com o Ministério Público do Trabalho de Minas Gerais (MPT/MG), um acordo para o pagamento dos familiares dos trabalhadores vítimas do rompimento da barragem 1 da Mina Córrego do Feijão.  Ainda não houve um comunicado oficial da empresa sobre o assunto.

  • Ficou acertado que a Vale pagará R$ 500 mil por dano moral para os pais, cônjuges ou companheiros (as) e filhos de trabalhadores falecidos, sendo que os irmãos receberão R$ 150 mil cada um.  Além disso, os pais, cônjuges ou companheiros (as) e filhos, individualmente, receberão um seguro adicional por acidente de trabalho no valor de R$ 200 mil;
  • Os acertos destinados à mitigação dos danos do acidente em Brumadinho são uma boa notícia para a Vale, facilitando o retorno à operação da empresa na região, que foi paralisado.

Petrobras (PETR4)    
Início do processo de venda das refinarias

A empresa comunicou na noite de ontem, que foi iniciado o processo de venda do primeiro lote de quatro refinarias e ativos logísticos ligados a elas.
• Serão vendidas neste grupo as refinarias Abreu e Lima (RNEST) em Pernambuco, Landulpho Alves (RLAM) na Bahia, Presidente Getúlio Vargas (REPAR) no Paraná, e Alberto Pasqualini (REFAP) no Rio Grande do Sul;
• A venda de ativos da Petrobras é sempre uma boa notícia, por permitir a diminuição de investimentos e da dívida.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.