Sinais de um acordo entre EUA e China

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa encerrou a terça-feira com alta de 1,82% aos 99.404 pontos e giro financeiro de R$ 15,4 bilhões. O mercado reagiu aos sinais de um acordo entre EUA e China para a disputa comercial que se arrasta por longo tempo e para a decisão sobre juros hoje nos EUA e no Brasil. Além das reuniões do Federal Reserve e do Copom, saiu o IPC-Fipe semanal com alta de 0,08%.  As bolsas internacionais operam em alta na zona do euro, com valorização também no fechamento da Ásia. Embora o mercado não espere surpresas nas reuniões sobre os juros, a bolsa pode ter uma acomodação em parte do dia na expectativa das decisões, refletindo também a estratégia dos investidores, com  feriado prolongado.

Câmbio

O dólar recuou mais um pouco ontem, de R$ 3,8889 para R$ 3,8605 (0,73%) influenciado pela melhora do humor no mercado internacional enxergando redução no risco e reduzindo posições na moeda.

Juros

O mercado de juros encerrou o dia com a taxa do DI para jan/20, estável em 6,020% e para jan/25 recuou de 7,561% para 7,500%, em relação ao dia anterior.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Localiza (RENT3)  
Provento e recompra de ações

Em reunião realizada ontem, o Conselho de Administração da Localiza aprovou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) e a recompra de ações.

O JCP totalizará R$ 75,5 milhões (valor bruto de R$ 0,104982046 por ação) e será pago no dia 16 de agosto, para os acionistas da empresa em 24/junho (próxima segunda-feira).  RENT3 passará a ser negociada “ex-direitos” a partir de 25/junho;

O Conselho autorizou ainda o 11º Plano de Recompra de Ações, permitindo que a diretoria adquira, por 365 dias, até 50 milhões de RENT3.  O número atual de ações da empresa em circulação é de 565.911.082 ações, portanto, o limite da recompra é de 8,8% desta quantidade.


Vale (VALE3)
Retorno à operação na mina de Brucutu

A empresa comunicou nesta manhã, que o Superior Tribunal de Justiça deferiu a suspensão da liminar que impedia as atividades da barragem Laranjeiras.  Esta barragem serve à mina de Brucutu.

Esta decisão permitirá o retorno integral das operações a úmido em Brucutu em até 72 horas.  Com isso, haverá um aumento da qualidade média dos produtos da Vale;

Esta é uma boa notícia para a empresa, permitindo aumento das vendas e do prêmio por qualidade no minério vendido.


Braskem (BRKM5)
Esclarecimento sobre a recuperação judicial da controladora

A empresa comunicou ontem, após o pregão, ter sido informada por sua controladora, que o processo de recuperação judicial da Odebrecht S.A. e outras empresas do grupo, não alterou seu controle acionário.

As ações da Braskem são detidas pela OSP Investimentos S.A. e foram dadas em alienação fiduciária a credores do grupo Odebrecht;

Vale lembrar que a Odebrecht controla 50,1% das ações ordinárias e 23,0% das preferenciais da Braskem.  A Petrobras detém 47,0% das ações ordinárias e 22,0% das preferenciais.


Suzano (SUZB3)  
Liquidação antecipada de US$ 1,15 bilhão de dívida e contratação de US$ 900 milhões de pré-pagamento de exportação

Com esta operação a Companhia melhora o cronograma de amortização de sua dívida, a custo competitivo. No final de março/19, a dívida líquida da Suzano somava R$ 53,8 bilhões e a relação Dív. Líq./EBITDA (12m) era de 3,4x.

Ontem a ação SUZB3 encerrou cotada a R$ 33,38  acumulando queda de 11,38% no ano.


São Martinho S.A. (SMTO3)  
Protocolo de Intenções

A companhia firmou ontem (18/junho) um Protocolo de Intenções com o Estado de Goiás, para a implantação de uma unidade produtora de etanol a partir do processamento de milho, no município de Quirinópolis – GO.

A nova unidade produtora, anexa à Usina Boa Vista, terá capacidade para produção anual de até 200 mil m³ de etanol hidratado e 140 mil toneladas de DDGS (Distiller’s Dried Grains with Solubles). O investimento estimado é de aproximadamente R$ 350 milhões, contemplando instalações industriais, armazenagem e capital de giro necessário para início das operações.

Ao final do trimestre a sua dívida líquida era de R$ 3,1 bilhões, equivalente a 1,8x o EBITDA dos últimos 12 meses. Ao preço de R$ 19,76/ação suas ações registram alta de 8,6% este ano. Nesse preço o valor de mercado da companhia é de R$ 7,2 bilhões. O preço justo de R$ 25,00/ação traz um potencial de alta de 26,5% para os papéis da companhia.


TAESA (TAEE11)   
Licença de instalação de linha de transmissão

A Transmissora Aliança de Energia Elétrica S.A. (Taesa) comunica que o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) emitiu ontem (18/junho) a Licença de Instalação (LI) referente à linha de transmissão 230 kV Sarandi – Paranavaí Norte, circuitos duplos (CD), com extensão de 81,2 km, da Interligação Elétrica Ivaí S.A. (Ivaí), estando a companhia, autorizada a iniciar as obras dessas instalações.

Ivaí é o empreendimento em que a Taesa participa em parceria com a ISA CTEEP, na proporção igualitária de 50%. Encontra-se no Estado do Paraná, com extensão de 600 km de linha (Circuito Duplo) e 3 subestações, um investimento de R$ 1,9 bilhão (Capex Aneel) e RAP de R$ 280,9 milhões (ciclo 2018-2019).

O prazo estipulado pela Aneel para energização da concessão Ivaí é agosto de 2022.

Ao preço de R$ 26,70 (valor de mercado de 9,2 bilhões) suas Units registram alta de 15,2% este ano. O preço justo de R$ 28,00/Unit comtempla um potencial de alta de 4,9%.


Copel Energia S.A. (CPLE6)   
Reajuste da Copel Distribuição e Termo de Liberação

A Copel Energia S.A. comunicou que ontem (18/junho), a Aneel autorizou o reajuste tarifário da Copel Distribuição com efeito médio de 3,41% a ser percebido pelos consumidores. Este reajuste será aplicado integralmente às tarifas da Copel Distribuição a partir de 24 de junho de 2019.

Termo de Liberação. A Copel Energia recebeu ontem também, o Termo de Liberação para entrada em operação comercial da Subestação 230kV Medianeira, que compõe o lote E do leilão de transmissão 005/2015 e, com isso, iniciou a operação comercial do empreendimento 3 meses antes do prazo previsto pela Aneel.

A SE Medianeira, pertencente 100% à Copel GeT, proporcionará uma RAP de R$ 13,5 milhões, equivalente a 11,5% do total de R$ 117,8 milhões previstos para quando a totalidade dos empreendimentos que compõe o lote E estiverem 100% em operação.

Este ano as CPLE6 registram alta de 57,4% para uma cotação de R$ 47,64/ação, correspondente a um valor de mercado de R$ 13,0 bilhões. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 8,0x e VE/EBITDA de 6,2x.


Sanepar (SAPR11)   
Crédito de JCP referente ao 1S19

O Conselho de Administração da Sanepar, em reunião realizada no dia 18 de junho de 2019, deliberou pela atribuição de crédito contábil, em 30 de junho de 2019, no montante bruto de R$ 174,2 milhões referente a Juros sobre o Capital Próprio (JCP), em substituição aos dividendos obrigatórios, conforme previsão estatutária e com base nos resultados alcançados pela companhia no 1º semestre de 2019.

O montante ora aprovado corresponde a R$ R$ 1,750346883679 por Unit. Serão consideradas as posições de ações em 28 de junho de 2019, com as ações sendo negociadas na condição ex-juros a partir de 1º de julho.

O pagamento ocorrerá em data a ser definida em AGO a ser realizada até o mês de abril de 2020.

Com base na cotação de R$ 77,00 por Unit o retorno líquido é de 1,9%. Temos recomendação de compra e preço justo de R$ 97,00 por Unit equivalente a um potencial de alta de 26,0%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.