Nervosismo no mercado

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa encerrou a sexta-feira com queda de 0,74% aos 98.040 pontos e giro financeiro de R$ 16,7 bilhões. O clima ruim provocado pela manifestação da economia, Paulo Guedes sobre o relatório da reforma da Previdência, trouxe de volta o nervosismo ao mercado. Mesmo assim, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) garantiu que a reforma será votada na Câmara antes do recesso parlamentar. A semana abre com a saída do Presidente do BNDES, Joaquim Levy e um ambiente político negativo. A agenda econômica traz o Boletim Focus e o IPC-S com alta de 0,12% e no exterior nenhum dado importante para hoje, mas a semana está carregada de assuntos importantes: Copom, Fomc, tensão entre EUA e Irã, etc. As bolsas internacionais mostram movimento misto na zona do euro e no fechamento da Ásia, na expectativa de sinais para a decisão sobre juros nos EUA. Do lado doméstico, as questões políticas poderão ter mais peso no mercado, nesta segunda-feira.

Câmbio

O dólar encerrou a sexta-feira cotado a R$ 3,8964 com alta de 1,22% sobre os R$ 3,8494 da véspera. Os investidores reagiram negativamente aos atritos na política entre governo e parlamentares.

Juros

Os juros futuros mais uma vez mostraram acomodação, com a divulgação do IBC-Br de abril, mostrando fraqueza na indústria. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 terminou em 6,04%, de 6,088% na quinta-feira e para jan/25 a taxa recuou de 7,541% para 7,51%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Banco do Brasil S.A. (BBAS3)  
Eleito o Presidente e o Vice-Presidente do Conselho de Administração

O Conselho de Administração (CA) reunido em 13.06.2019 nomeou os Srs. Hélio Lima Magalhães e Marcelo Serfaty para o cargo de conselheiro de administração para completar o mandato 2019/2021. Na reunião, o Conselho escolheu o Sr. Hélio Lima Magalhães para o cargo de presidente e o Sr. Waldery Rodrigues para o cargo de vice-presidente.

Seguimos com recomendação de COMPRA e preço justo de R$ 62,00/ação, que embute potencial de alta de 22,7% em relação à cotação de R$ 50,52/ação (valor de mercado de R$ 144,8 bilhões). Nesse preço as BBAS3 registram alta de 11,5% este ano, negociadas com P/L de 8,9x para 2019 e a 1,4x o seu valor patrimonial.


Frigoríficos
O Brasil recorre à OMC contra barreira da Indonésia sobre importação de frango

Em abril de 2018, país asiático mandou missão técnica para vistoriar os frigoríficos brasileiros, mas ainda não emitiu o certificado sanitário internacional que autoriza as exportações. A divergência com a Indonésia tem cinco anos. Em 2017, o país ganhou uma disputa contra aquele país na OMC, e os juízes deram prazo até junho do ano passado para os indonésios eliminarem as barreiras contra o frango brasileiro. Até hoje, porém, o país asiático não autorizou as exportações brasileiras.

Nesse contexto, o Brasil vai acionar a Indonésia na Organização Mundial do Comércio (OMC), em Genebra, na Suíça, para contestar as barreiras criadas pelo país para dificultar a importação de carne de frango. No dia 13 de junho, o governo brasileiro circulou em Genebra um pedido de painel contra a Indonésia. O pedido será examinado no Órgão de Solução de Controvérsias (DSB), em reunião prevista para o próximo dia 24 de junho.

Acreditamos que uma solução esteja próxima e pode beneficiar os frigoríficos brasileiros. A Ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, visitou a Indonésia no mês passado e pediu uma reposta ao governo indonésio sobre a missão técnica daquele país que visitou frigoríficos no Brasil em abril de 2018.


Magazine Luiza (MGLU3)
Negócio com a Netshoes fechado por R$ 450 milhões

Após uma disputa acirrada entre o Magazine Luiza e a Centauro pelo controle da Netshoes, o Magalu levou a vantagem, pagando US$ 3,70 por ação, aproximadamente US$ 115 milhões ou R$ 450 milhões, pelo total de ações.  O valor é 85% maior que o oferecido inicialmente (US$ 2,00) pela varejista. A decisão foi tomada na sexta-feira (14/06) e a operação será concluída até o dia 19 próximo.

Na sexta-feira a ação MGLU3 encerrou cotada a R$ 211,57 com valorização de 17,5% no ano e valor de mercado de R$ 40,0 bilhões


Ferbasa (FESA4)  
Redução no preço do Ferro Cromo

Na noite da última sexta-feira, a empresa comunicou que o preço básico na Europa para o Ferro Cromo Alto Carbono (principal produto da empresa), foi definido em US$ 1,04 por libra (peso) e vai vigorar no 3T19.

  • Este valor representa uma queda de 13,3% em relação ao preço do 2T19 e é 24,6% menor que no 3T18;
  • Está é uma notícia negativa, que vai impactar a receita e a rentabilidade da empresa no próximo trimestre.

Petrobras (PETR4)  
Dois comunicados importantes (Plano de Desinvestimentos e novas descobertas)

A empresa informou na sexta-feira, após o pregão, que conseguiu reverter a liminar que determinava a suspensão da venda de 100% de sua participação acionária na Araucária Nitrogenados S.A. (Ansa) e da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN-III).

  • Após esta decisão judicial, a Petrobras vai retomar o processo de venda destas unidades de fertilizantes, o que é uma boa notícia dentro do curso do seu Programa de Desinvestimentos;
  • Nesta manhã, a Petrobras comentou as descobertas de gás natural na Bacia de Sergipe que estão noticiadas na edição de hoje do jornal Estado de São Paulo;
  • A prioridade dada pela Petrobras em dimensionar a área e realizar rapidamente um teste de longa duração, são uma indicação de que estas áreas são muito promissoras.

Boletim Focus   
Mercado faz ajustes para o PIB e Selic deste ano

Dentre as alterações contidas no Boletim Focus no último Boletim Focus desta segunda-feira, destaque para a nova redução das estimativas para o IPCA de 2019, convergindo com a redução das atualizações dos últimos 5 dias. Para o PIB, a mediana das estimativas acusou sua 16ª retração, reforçando as apostas negativas sobre o desempenho da economia neste ano e também. Por fim, o mercado reduziu pela primeira vez a Taxa Selic deste ano, enquanto manteve inalteradas suas estimativas para a Taxa de Câmbio, apontando uma desvalorização do real frente ao dólar.

Após forte recuo, a mediana do agregado para a produção industrial registrou variação positiva para 2019, sugerindo crescimento de apenas 0,65% ante 0,47%. Para os demais indicadores de relevância, não houve alteração em relação às estimativas anteriores.

Com isso, para 2019, as expectativas para o IPCA ficaram em 3,84%, o PIB em 0,93%, Taxa de Câmbio R$/US$ 3,80 e a Meta da Taxa Selic em 5,75% aa.

Destaques do Boletim Focus publicado na segunda-feira, para 2019:

  • IPCA: 3,84%;
  • IPCA (atualização dos últimos 5 dias): 3,83%;
  • PIB: 0,93%
  • Taxa de Câmbio: R$/US$ 3,80;
  • Meta Taxa Selic: 5,75% a.a.

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas e Mapas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.