Especulações sobre a flexibilização do teto de gastos ​ após a aprovação da reforma da Previdência

MERCADO


Bolsa

Ontem o Ibovespa andou na contramão das bolsas internacionais, embora sem um motivo aparente, exceto por especulações na parte da tarde sobre um possível estudo para flexibilização do teto de gastos após a aprovação da reforma da Previdência. O governo desmentiu esta informação, mas o mercado sentiu o seu efeito. O Ibovespa encerrou a quarta-feira em queda de 1,42%, aos 95.999 pontos, com giro financeiro de R$ 12,4 bilhões. Hoje a agenda econômica traz dados da zona do euro com destaque para o PIB do 1T19 com alta de 0,4% no T/T e de 1,2% em 12 meses e para os dados de empregos na região também com alta de 0,3% no T/T e de 1,3% no A/A. Os dados do EUA completam a agenda que não traz nenhum indicador doméstico. As bolsas internacionais operam em alta na zona do euro e no fechamento da Hang Seng, com queda na Nikkei. Os futuros de NY indicam alta na expectativa de flexibilização da política monetária no País, aumentando o apetite por ativos de risco. Os bonds também operam em alta.

Câmbio

O dólar voltou a subir ontem de R$ 3,8570 para R$ 3,8812 no fechamento, (+0,63%), reflexo do noticiário doméstico e internacional, tratando dos mesmos assuntos recorrentes das últimas semanas. A única novidade vem da percepção que o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) poderá cortar juros no curto prazo.

Juros

O mercado de juros futuros voltou a subir ontem com a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechando em 6,280%, de 6,229% na terça-feira e a do DI para jan/25 avançou de 7,841% para 8,01%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Via Varejo (VVAR3)  
Lançamento de banco digital banQi para atendimento às classes C, D e E

Anúncio do lançamento banQi, um conceito de banco digital para oferecer à população serviços de pagamento e produtos acessíveis e sem custos, em parceria com startup norte-americana de tecnologia financeira Airfox.

Ontem a ação VVAR3 encerrou cotada a R$ 4,65 acumulando valorização de 5,9% no ano. O valor de mercado da empresa é de R$ 6,0 bilhões.


Omega Geração S.A. (OMGE3)
Conclusão da aquisição de 100% da CEA

A Omega Geração concluiu ontem (5/junho) a aquisição de 100% da CEA – Centrais Eólicas Assuruá, detentora dos projetos CEA I e CEA II, no interior da Bahia, do FIP IEER. O valor final da Transação (Enterprise Value) foi de R$ 1.917 milhões, sendo R$ 1.010 milhões em assunção de endividamento líquido, R$ 548 milhões pagos em dinheiro em 5/junho, R$ 30 milhões a serem pagos em dinheiro ao longo de segundo semestre de 2019 e R$ 329 milhões a serem pagos em ações ou dinheiro, em até 3 anos, a critério da Omega.

Os projetos CEA I e CEA II têm capacidade instalada de 303 MW e são formados por 13 centrais eólicas vencedoras dos Leilões de Energia de Reserva (LER) de 2013 e 2014, com início da operação comercial em abril de 2016 e fevereiro de 2018, respectivamente.

Além disso, o FIP IEER possui na mesma região uma área vasta com potencial de desenvolvimento de ativos de geração eólica e solar superior a 2,0 GW, projetos sobre os quais a Omega Geração passa a ter o direito de primeira oferta na aquisição após entrada em operação dos ativos.

Ao preço de R$ 22,05/ação (valor de mercado de R$ 3,0 bilhões), OMGE3 registra alta de 26,4% este ano. O preço justo de mercado (Bloomberg) de R$ 25,00/ação traz um potencial de alta de 13,3%.


Alupar Investimento S.A. (ALUP11) 
Licença de instalação da TCC

A companhia informa que sua subsidiária, Transmissora Caminho do Café S.A. (TCC), recebeu a Licença de Instalação da Linha de Transmissão de 500 kV Governador Valadares 6 – Mutum, da Linha de Transmissão de 500 kV Mutum – Rio Novo do Sul e das Subestações Mutum de 500 kV e da Rio Novo do Sul de 500/345 kV, expedida pelo IBAMA.

A TCC é responsável pela implementação do lote 6 da 2ª Etapa do Leilão de Transmissão nº 013/2015, realizado em outubro de 2016, na qual a Alupar detém participação de 51,0%. Trata-se de 288 km de linha com uma RAP de R$ 155 milhões, cujo prazo estipulado pela Aneel para entrada em operação, é fevereiro de 2022.

Ao preço de R$ 24,55/Unit (valor de mercado de R$ 7,2 bilhões), ALUP11 registra alta de 36,6% este ano. O preço justo de mercado (Bloomberg) de R$ 26,00/ação, embute um potencial de alta de 5,9%.


Randon (RAPT4) 
Abertura de subsidiária no México

A empresa comunicou hoje, que vai iniciar a constituição de uma subsidiária próximo à cidade de Monterrey (México).  O investimento inicial será de US$ 2 milhões.

A nova empresa vai atuar no segmento da subsidiária Suspensys, fabricando suspensões, eixos e componentes destinados a veículos comerciais, ônibus, caminhões, trens, reboques e semirreboques;

A busca por novos mercados seguramente é uma boa notícia para o grupo Randon.


Marfrig (MRFG3) 
Por decisão estratégica encerra as atividades na Unidade de Paranaíba (MS)

A Marfrig Global Foods encerrou as atividades da unidade de Paranaíba (MS), afirmando tratar-se de uma “decisão estratégica”, e que a empresa “cumpre rigorosamente todas as normas vigentes e mantém compromisso com a excelência operacional”.

  • Esta unidade havia sido reaberta em 2017 e não temos maiores informações, mas que podem ter relação com a suspensão temporária, pelo Ministério da Agricultura, de novos certificados sanitários para exportação de carne bovina para a China, no âmbito do “caso atípico de encefalopatia espongiforme bovina (EEB) detectado em um bovino em Mato Grosso”.
  • A Marfrig divulgou comunicado reiterando que “a situação da companhia está dentro dos parâmetros regulares envolvendo questões sanitárias, e que as exportações devem ser retomadas em breve”.
  • Suas ações registram alta de 20,7% este ano para R$ 6,59/ação (valor de mercado de R$ 4,1 bilhões). O preço justo de mercado de R$ 8,05/ação aponta para um potencial de alta de 22,2%.

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.