B3 fecha praticamente estável

MERCADO


Bolsa

O cenário externo negativo pesou sobre a B3, mas o Ibovespa ainda resistiu às quedas das bolsas internacionais e fechou praticamente estável (-0,01%) aos 97.020 pontos, com giro financeiro de R$ 12,9 bilhões. Hoje a agenda econômica traz o IPC-Fipe mensal com queda de 0,02% e a produção industrial em maio registrou alta de 0,3% no M/M e queda 3,9% no A/A, abaixo da expectativa. Na zona do euro a taxa de desemprego ficou em 7,6% em abril e nos EUA, saem ainda nesta manhã dados da atividade industrial. Mesmo sem novidades no exterior os mercados mostram recuperação, com as bolsas da zona euro em alta nesta manhã, mas com queda no fechamento da Ásia. A B3 deverá refletir os assuntos domésticos, com ambiente favorável, apostando no avanço da pauta política.

Câmbio

A moeda americana recuou mais uma vez no fechamento de ontem, cotada a R$ 3,8862 contra R$ 3,9229 na sexta-feira, (0,94%), com a redução da pressão em relação à reforma da Previdência e o avanço na votação da MPs no Congresso, com destaque para a MP que trata da verificação das contas do INSS, aprovada durante a noite.

Juros

O mercado de juros futuros também marcou queda ontem, com taxa do DI para jan/25, fichando em 7,99%, de 8,161%. A indicação de uma possível queda nos juros americanos no curto prazo, a expectativa da aprovação da Medida Provisória (MP) 871, de combate a fraudes no INSS, ontem no Senado e o ambiente favorável para redução também na Selic,  ditaram o rumo dos juros.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Braskem (BRKM5)  
Encerradas as negociações da Odebrecht com a LyondellBasell

A empresa comunicou nessa manhã, que foi informada por sua controladora (Odebrecht) acerca do encerramento das negociações com a LyondellBasell.

Estas negociações foram iniciadas em junho/2018, para a venda das ações pertencentes à Odebrecht (50,1% das ações ordinárias e 22,9% das preferenciais da Braskem);

A expectativa era de que a Petrobras, que detém 47,0% das ações ordinárias e 21,9% preferenciais, também negociasse sua participação na Braskem;

Essa é uma má notícia, que vai impactar negativamente as ações da empresa.


Via Varejo (VVAR3)
Retirada da pílula de veneno do estatuto abre caminho para venda de participação do GPA na empresa

Para a Via Varejo, a eliminação desse mecanismo é positiva para a empresa, uma vez que a pílula de veneno poderia afastar potenciais investidores interessados na aquisição da companhia.

A decisão acontece após rumores de uma possível negociação da empresa.


BRF S.A. (BRFS3) 
Conclusão da venda da Tyson

A BRF concluiu ontem (3/jun) a venda de 100% das ações detidas por ela em sociedades localizadas na Europa e Tailândia, que desenvolvem atividades de processamento de alimentos e abate de aves, para a Tyson International Holding Co. O valor final da operação totalizou US$ 377,0 milhões.

Com esta operação, a BRF conclui as alienações previstas no Plano de Reestruturação Operacional e Financeira anunciado pela companhia, cujo objetivo era acelerar o seu processo de desalavancagem financeira.

Suas ações registram alta de 25,9% este ano para uma cotação de R$ 27,60/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 22,4 bilhões.


Magazine Luiza (MGLU3) 
AGE da Netshoes convocada para 14/6 poderá aprovar a venda para o Magazine Luiza

Ontem o Conselho de Administração da Netshoes decidiu convocar uma Assembleia Geral Extraordinária (AGE) para o dia 14, às 11h, com o objetivo de deliberar sobre a aprovação da oferta de compra das ações da companhia feita pelo Magazine Luiza.

A última proposta da Centauro chegou a US$ 108 milhões (US$ 3,50/ação) contra a proposta do Magazine Luiza de US$ 93 milhões (US$ 3,0/ação). A Netshoes estará abrindo mão de uma diferença de US$ 15 milhões, pela segurança da operação.


Ministério da Agricultura   
Suspensão temporária de exportação de carne bovina para a China

O Ministério da Agricultura divulgou nota oficial ontem (3/jun) em relação ao caso atípico de encefalopatia espongiforme bovina (EEB) detectado em um bovino em Mato Grosso e confirmou a suspensão temporária da emissão de novos certificados sanitários para exportação de carne bovina para a China.

Esta notícia repercutiu nas ações dos frigoríficos brasileiros ontem, resultando em quedas importantes, com destaque para MRFG3 com baixa de 4,25% para R$ 6,54/ação e BEEF3 com desvalorização de 2,80% para R$ 7,97/ação.

Marfrig (MRFG3)  
A companhia divulgou comunicado ontem ressaltando que “as exportações diretas de carne da América do Sul para a China são originadas de nove plantas, das quais quatro ficam no Uruguai, três no Brasil e duas na Argentina. As vendas para o país asiático representaram 3% do faturamento total da Marfrig no primeiro trimestre deste ano, sendo que 2,1% do valor foram originados no Uruguai e na Argentina, e os 0,9% restantes no Brasil”. “A sua situação está dentro dos parâmetros regulares envolvendo questões sanitárias, e que as exportações devem ser retomadas em breve”.

Minerva (BEEF3)  
A empresa se manifestou na mesma linha esclareceu que “o estado oficial de risco do Brasil para a doença da vaca louca não foi afetado por um caso recente de EEB, que é contraído espontaneamente e pode ocorrer em qualquer rebanho no mundo”. A suspensão de embarques brasileiros para a China “afeta apenas planta da Minerva em Barretos, Estado de São Paulo, com capacidade de abate de 840 cabeças de gado por dia. A unidade Athena Foods opera outras 4 fábricas no Uruguai e na Argentina que ainda podem exportar para a China, com capacidade para abater um total de 5.600 cabeças por dia”.


Petrobras (PETR4)  
Produção de petróleo em abril cresceu 2,5%

Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, a produção brasileira de petróleo e gás natural em abril/2019 foi de 3,3 milhões de barris ao dia. Este volume foi 1,6% maior que em março e 1,2% acima do verificado no mesmo mês do ano passado.
Para a Petrobras como consorciada em seus vários projetos, a produção diária de petróleo foi de 1.933.875 barris e mais 87.765 barris de gás, somando 2.485 mil barris no total. Em abril, houve um crescimento de 2,5% no volume total em relação a março;
O crescimento da produção de petróleo é uma boa notícia para a Petrobras, por permitir o aumento da participação do óleo nacional na carga processada das refinarias, assim pelo incremento das exportações, justamente em um bom momento de preços elevados.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.