Mais um dia de alta do Ibovespa

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa engatou mais um dia de alta com a melhora do noticiário em relação à expectativa de votação da reforma da Previdência e outros assuntos da pauta do governo. No fechamento o índice marcou 96.303 pontos, alta de 1,61%, com volume expressivo de R$ 24,4 bilhões. Hoje a agenda econômica traz em destaque dados do mês de abril para o resultado primário do governo, empréstimos pendentes e taxa de inadimplência de empréstimos pessoais, a serem divulgados na parte da tarde. No caminho de aversão ao risco as bolsas internacionais mostram queda generalizada, no fechamento da Ásia e no andamento na zona do euro, enquanto os bonds operam em alta. Este movimento reflete as incertezas em relação à economia global, já mostrando uma consequência da longa disputa comercial, EUA x China. Após a votação de ontem no Senado, os próximos prazos para as decisões deverão ir até o dia 10 de junho, tendo no centro da pauta a reforma da Previdência e o mercado deverá reagir às expectativas destas discussões.

Câmbio

O dólar recuou de R$ 4,0419 na segunda-feira para R$ 4,0257 no fechamento de ontem (-0,40%), mas ainda permanece por dez sessões acima do patamar de R$ 4,0. A melhora no sentimento de que as decisões políticas poderão finalmente avançar, cria um ambiente favorável para um recuo da moeda americana.

Juros

Os juros futuros continuam em queda também na carona da melhora do humor no cenário político neste começo de semana, após as manifestações de ruas no domingo. Em dia de volume elevado nos mercados, a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou em 6,610%, de 6,751% no ajuste da segunda-feira e para jan/25 caiu de 8,522%. Para 8,36%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

 

Centauro (CNTO3) e Magazine Luiza (MGLU3)
Disputa pela Netshoes já chega a US$ 108,7 milhões

As empresas Magazine Luiza e Centauro seguem na disputa para a compra da Netshoes. O valor da oferta inicial de US$ 62 milhões feita pelo Magalu já chega a US$ 108,7 milhões na nova proposta da Centauro. Ontem a ação MGLU3 encerrou cotada a R$ 189,00 acumulando alta de 5,0% no ano. Somente ontem a alta foi de 6,2% reflexo da parceria anunciada com o Carrefour no dia anterior. A ação CNTO3 encerrou cotada a R$ 11,52 acumulando queda de 7,8% em relação à cotação inicial de R$ 12,50 no dia 18/abril.


ENGIE Brasil Energia (EGIE3) 
Conselho aprova emissão de debêntures de R$ 1,6 bilhão

O Conselho de Administração da Engie aprovou ontem (28/maio) a realização da nona emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quirografária, em duas séries, no valor total de R$ 1,6 bilhão. O valor unitário das debêntures será de R$ 1.000,00 na data de emissão (15 de julho de 2019), e a quantidade a ser alocada em cada série, pelo sistema de vasos comunicantes, será definida conforme o Procedimento de Bookbuilding.

  • As debêntures da primeira série terão prazo de vigência de 7 anos, vencendo em 15 de julho de 2026, e as da segunda terão prazo de 10 anos contados, vencendo em 15 de julho de 2029. Os títulos da primeira série pagarão juros remuneratórios prefixados a serem definidos de acordo com o bookbuilding, limitados à taxa interna de retorno do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais com vencimento em 15 de agosto de 2026; e para a segunda série, à taxa interna de retorno do Tesouro IPCA+, com vencimento em 15 de agosto de 2028.
  • Os recursos líquidos captados serão alocados no reembolso de gastos, despesas ou dívidas relacionados aos projetos: (a) UFV Assú V; (b) EOL Umburanas; (c) Usina hidroelétrica UHE Jaguara; e (d) Usina hidroelétrica UHE Miranda.
  • As EGIE3 registram alta de 29,2% este ano para R$ 42,57/ação (valor de mercado de R$ 34,7 bilhões). O preço justo de mercado aponta para R$ 45,00/ação e uma potencial valorização de 5,7%.

EDP – Energias do Brasil S.A. (ENBR3)
Aquisição de Linhas de Transmissão em SC/RS

A companhia comunicou que em 27 de maio de 2019, a EDP – Comercialização e Serviços de Energia LTDA. assinou contrato de compra e venda com a CEE Power e Brafer para aquisição de 100% das quotas da Litoral Sul Transmissora de Energia LTDA. (LSTE).

  • O lote é composto por 2 subestações e 142 km de extensão de linha. O projeto está dividido em 2 trechos, sendo um em Santa Catarina, que já possui licença de instalação, representando 42% da RAP, e o outro entre os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul, representando os 58% remanescentes, ambos com previsão de RAP parcial na entrada em operação.
  • O investimento total estimado é de R$ 407 milhões, considerando o valor de aquisição e o Capex total nominal, bem como benefícios fiscais REIDI e Pró-Emprego. A alavancagem foi estimada em 85%, a ser obtida no veículo de aquisição, sendo que o regime tributário da LSTE é de lucro presumido. A RAP atualizada por IPCA é de R$ 45,8 milhões (base maio/19).
  • Considerando as premissas mencionadas, juntamente com o benefício fiscal da dívida no veículo de aquisição, a rentabilidade real alavancada do investimento é superior a 12%, lembrando que a operação está sujeita à aprovação pela Aneel e não enseja direito de recesso.
  • De acordo com a EDP “essa aquisição realizada no mercado secundário integra-se na estratégia da companhia de reforçar seu posicionamento no segmento de Transmissão, acumulando um investimento de R$ 3,5 bilhões já contratado em 1.439 km de extensão e 6 subestações”.
  • Ao preço de R$ 19,11/ação as ENBR3 registram alta de 36,7% este ano. O preço justo de R$ 20,00/ação, corresponde a um potencial de alta de 4,7%.

Ferbasa (FESA4) 
Pagamento de proventos

A Ferbasa informou ontem, após o pregão, que seu Conselho de Administração deliberou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor total de R$ 26,7 milhões.

  • Os valores brutos (antes do Imposto de Renda) serão de R$ 0,2965713305 para cada ação ordinária e R$ 0,3262284635 para a preferencial;
  • Terão direito ao provento, os acionistas da empresa no dia 6 de junho, sendo que as ações serão negocias “ex-Juros sobre Capital Próprio” a partir de 7/junho;
  • O pagamento deste JCP será realizado no dia 19/junho, proporcionando um retorno de 1,5% para os detentores de FESA4, tendo em vista a cotação da ação no fechamento do pregão de ontem.

Movida (MOVI3) 
Emissão de debêntures

O Conselho de Administração da Movida aprovou a quarta emissão de debêntures no valor total de R$ 700 milhões. A operação será dividida em três séries, sendo que a empresa vai escolher, dependendo das ofertas, quantas debêntures irá emitir para as duas últimas.

  • Ao final do 1T19, a dívida líquida da Movida era de R$ 1,5 bilhão, que cresceu 4,7% no trimestre e 36,5% em doze meses. No 1T19, a relação dívida/EBITDA era de 2,7x, vindo de 2,8x no trimestre anterior e 3,2x no 1T18;
  • As ações da Movida são negociadas com indicadores Preço/Lucro de 15,6x para os resultados deste ano e 11,9x para 2019.

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.