Investidores seguem sensíveis aos fatos no campo da política

MERCADO


Bolsa
Após dois pregões de recuperação das perdas da semana anterior, o Ibovespa voltou a ceder ontem, (-0,13%) no fechamento, aos 94.361 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 13,7 bilhões. Os investidores seguem sensíveis aos fatos domésticos no campo da política e nos movimentos do lado externo. Hoje a agenda econômica traz indicadores de preços na zona do euro, dentro das expectativas e a ata da reunião de política monetária de abril. Nos EUA, dados do mercado de trabalho e do setor imobiliário. No Brasil, somente o IPC-S com alta de 0,34%. As bolsas internacionais operam no vermelho, mais uma vez influenciadas pela difícil disputa comercial entre EUA e China, levando o dólar para cima. Os futuros de NY também estão negativos nesta manhã e o Ibovespa pode seguir estes mercados, mesmo com a melhora nos sinais domésticos de que a pauta de votações pode avançar em Brasília.

Câmbio
Após a queda da terça-feira, a moeda americana chegou a cair forte na primeira parte do pregão, mas recuperou durante o dia, encerrando praticamente estável, cotada a R$ 4,0395 contra R$ 4,0390 no dia anterior.

Juros
O mercado de juros futuros segue com as taxas em queda, com um cenário político mais calmo e algumas votações acontecendo na Câmara. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/21 fechou em 6,850%, de 6,871% na terça-feira e a do DI para jan/25 terminou em 8,60%, de 8,632%.


ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

 

Natura (NATU3)
Confirmada a aquisição da Avon Products por US$ 3,7 bilhões

A Natura &Co (B3: NATU3) anuncia a aquisição da Avon Products, Inc. (NYSE: AVP), em uma operação de troca de ações, criando o quarto maior grupo exclusivo de beleza no mundo.
Alguns dados da operação:

  • A união das duas companhias cria um grupo com mais 6,3 milhões de Representantes e Consultoras da Avon e da Natura;
  • Presença geográfica global com 3,2 mil lojas;
  • Crescimento na área digital;
  • A combinação NATURA e AVON gerará um faturamento bruto anual superior a US$ 10 bilhões, mais de 40 mil colaboradores e presença em 100 países;
    A Avon, marca com tradição de mais de 130 anos, é a principal plataforma de vendas diretas de produtos de beleza no mundo.
  • Ontem a ação NATU3 encerrou cotada a R$ 61,50 acumulando valorização de 37,8% no ano e 9,4% no pregão de ontem, após a confirmação da operação. Em 1 mês a valorização foi de 38,0%. O valor de mercado da Natura é de R$ 26,5 bilhões.

Petrobras (PETR4)
Aprovação do modelo para venda das ações da BR Distribuidora

Após o pregão de ontem, a empresa informou que seu Conselho de Administração aprovou o modelo para a venda adicional de ações Petrobras (BR) Distribuidora. Após a oferta, a Petrobras, que hoje tem 71,25% de participação na BR Distribuidora, terá menos de 50%.

  • Vemos como positiva para as duas empresas a venda destas ações. Para a Petrobras, a negociação amplia o caixa, reduzindo o endividamento. No caso da BR Distribuidora, a operação no curto prazo eleva o número de ações em circulação, o que pode impactar a cotação. Porém, no longo prazo o aumento do número de ações amplia a liquidez, o que deve contribuir positivamente para a valorização de BRDT3;
  • Vale lembrar que a Petrobras “reabriu” o capital da BR Distribuidora em dezembro de 2017, vendendo 28,75% de sua participação ao preço de R$ 15,00.

Vale (VALE3)
Construção de uma laminadora de aço no Pará

A imprensa publica hoje informações dadas pelo governador do Pará, que a Vale e a empresa chinesa China Communications Construction Company (CCCC) vão construir uma laminadora de aço em Marabá – PA. O investimento está inicialmente orçado em R$ 1,5 bilhão.

  • A usina vai comprar placas para produzir bobinas destinadas à venda no mercado interno. Estima-se que a operação seja iniciada em 2023, com uma capacidade para 300 mil toneladas ao ano;
  • A Vale não deve aportar recursos, mas providenciar garantias para os financiamentos da obra. Apesar disso, não vemos como positiva esta notícia, mesmo sendo um projeto pequeno, porque aparentemente trata-se apenas de uma “compensação” ao estado do Pará, onde a Vale extrai minérios no complexo de Carajás.

Sanepar (SAPR11)
TCE-PR determina reajuste tarifário menor que o definido pela AGEPAR

A Sanepar comunicou ontem (22/maio) que o Tribunal de Contas do Estado do Paraná, em reunião do Tribunal Pleno do Órgão, determinou pela fixação do “Reajuste Tarifário Anual de 2019” em percentual de 8,37%, a ser aplicado nas contas de água e esgoto. No comunicado a Sanepar informa que envidará esforços no sentido de (i) demonstrar que o percentual de 12,13% aprovado pela AGEPAR atende aos preceitos estabelecidos na metodologia regulatória e (ii) reestabelecer o seu direito a esse reajuste.

  • Notícia negativa. Esta decisão do TCE se contrapõe aos critérios técnicos estabelecidos pela agência de saneamento do estado, ao mesmo tempo em que acrescenta forte volatilidade aos papeis, o que parece justificar o desconto das Units da companhia em relação às suas principais congêneres (Sabesp e Copasa).
  • Lembrando que no 1T19 a Sanepar registrou um lucro líquido de R$ 217,5 milhões (+16% sobre o 1T18), um resultado que não foi afetado por itens extraordinários ou não recorrentes, e construído a partir do crescimento de 10% da Receita Líquida e da melhora do resultado operacional. Ao final do trimestre sua dívida líquida era de R$ 2,5 bilhões, equivalente a 1,5x o EBITDA. Ou seja, a empresa permanece rentável e com reduzida alavancagem para uma empresa de saneamento.
  • Ontem as SAPR11 registraram forte queda de 6,2% para R$ 68,00/Unit. Nesse preço o valor de mercado da companhia é de R$ 6,9 bilhões e os múltiplos para 2019 são: P/L de 7,2x e VE/EBITDA de 5,2x. Temos recomendação de COMPRA para SAPR11 com preço justo de R$ 97,00/Unit, equivalente a um potencial de alta de 42,6%.

Totvs (TOTS3)
Confirmação de oferta primária de ações ao preço de R$ 39,50 por ação

Serão emitidos 27 milhões de ações ordinárias ao preço de R$ 39,50 com a oferta podendo chegar a R$ 1,06 bilhão.
Um dos objetivos da operação é potencial aquisição de empresas.
A ação TOTS3 acumula valorização de 52,6% neste ano com valor de mercado de R$ 6,75 bilhões ontem.


Duratex (DTEX3)
Aquisição da Cecrisa por R$ 539 milhões

A Duratex comunica aos seus acionistas e ao mercado a aquisição de 100% do controle da Cecrisa através da sua controlada CEUSA.

O valor, sujeito à variação do capital de giro e da dívida líquida, é de até R$ 539 milhões em 22 de maio de 2019, com parte do pagamento à vista , e será composto por: (i) pagamento de R$ 264 milhões em dinheiro; e (ii) possível preço adicional de até R$ 275 milhões na hipótese de verificação futura de determinadas condições suspensivas.

Em 30 de abril de 2019, o valor da dívida líquida da CECRISA era de R$ 442 milhões. Com a transação, a Companhia espera capturar gradualmente sinergias operacionais e administrativas acima de R$ 250 milhões.


Centauro (CNTO3)
Apresentação de proposta concorrente para aquisição da Netshoes por aproximadamente US$ 87 milhões

De acordo com o fato relevante encaminhado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a Centauro se dispôs a pagar US$ 2,80 por ação da Netshoes, uma operação que somaria aproximadamente US$ 87 milhões. O preço ofertado embute um prêmio de 40% em relação aos US$ 62 milhões oferecidos pela Magazine Luiza nos termos do acordo fechado no fim de abril.

O Magazine Luiza divulgou nesta manhã Fato Relevante comunicando que a referida operação NETSHOES foi aprovada pelo CADE sem restrições.

A ação CNTO3 encerrou ontem cotada a R$ 11,35 abaixo do preço de lançamento de R$ 12,00 no dia 16/04/2019


Se preferir, baixe em PDF:

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

>>Mapa de Oscilações

>>Mapa de Posições Alugadas

>>Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.