M Dias Branco – Relatório de Análise

Menor volume e pressão nos custos resultam em forte contração do lucro e das margens operacionais no 1T19

A M Dias Branco registrou no 1T19 um lucro líquido de R$ 56,9 milhões, 59% abaixo do lucro de R$ 139,7 milhões no 1T18, redução explicada pela piora do resultado operacional que refletiu o aumento de 37% do custo médio do trigo e a redução de 7,3% dos volumes produzidos (notadamente na linha de biscoitos), com reflexo na menor diluição dos custos e despesas. Soma-se a piora do resultado financeiro, em função do resgate de aplicações financeiras para pagamento da aquisição da Piraquê e do aumento dos juros sobre financiamentos captados no 2T18. As despesas operacionais cresceram 25% em doze meses, com elevação na proporção da receita líquida.

Amenizou parcialmente a queda, o aumento de 16,7% do preço médio entre os trimestres. Como forma de retomar volumes, reduzir custos fixos, e aumentar a lucratividade, a M Dias iniciou em abril a redução número de colaboradores através de desligamentos e Programa de Demissão Voluntária, com 408 desligamentos até o momento. A companhia também priorizou (i) investimentos na cadeia de suprimentos; a (ii) linearização dos volumes vendidos ao longo dos meses; bem como (iii) campanhas comerciais e de marketing com foco no crescimento nas regiões e subcategorias com alto poder de crescimento; junto com outras medidas em curso. Com isso esperamos melhora do resultado e o incremento de margem, que virão com a redução dos custos e despesas, maior ocupação de capacidade e a continuidade da captura dos ganhos de sinergia com a aquisição da Piraquê. Revisamos nosso modelo de projeção a partir do resultado do 1T19 e da perspectiva de retomada gradual dos volumes e melhora dos resultados a partir do 2º semestre deste ano. Reduzimos o Preço Justo de R$ 56,00/ação para R$ 50,00/ação e seguimos com recomendação de COMPRA.

A receita líquida do 1T19 cresceu 8,2% em relação ao 1T18 e somou R$ 1,3 bilhão, com queda de 7,3% em volume (principalmente nas linhas de “biscoitos” e “farinha e farelo”), e alta de 16,7% no preço médio (em todas as linhas de produtos). Excluídos os resultados da Piraquê (cuja aquisição foi concluída em 17/mai/18) a receita teria caído 3,7% mostrando quão acertada foi a aquisição, que agrega valor à companhia, pois traz maior margem de contribuição, com produtos de maior valor agregado.

O Lucro Bruto registrou queda de 2,5% em doze meses para R$ 452,8 milhões, com o maior impacto do custo médio de 36,9% do trigo, sua principal matéria prima. As despesas operacionais cresceram 25% em doze meses e somaram R$ 394,1 milhões, com elevação na proporção da receita líquida, de 25,9% no 1T18 para 29,9% no 1T19. Nesse contexto o EBITDA caiu 38,9% para R$ 112,1 milhões, com a margem EBITDA passando de 15,1% no 1T18 para 8,5% no 1T19. O resultado financeiro piorou, vindo de receita financeira líquida de R$ 14,1 milhões no 1T18 para despesa financeira líquida de R$ 3.7 milhões no 1T19, em função do resgate de aplicações financeiras para pagamento da aquisição da Piraquê e do aumento dos juros sobre financiamentos captados no 2T18.

Clique para acessar:

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.