Randon – Relatório de Análise

A Randon teve no 1T19 outro trimestre de forte aumento das vendas em todos os produtos do grupo, com exceção de vagões.  Porém, o aumento de custos de matérias-primas e a contabilização de fatores não recorrentes, levaram à redução dos lucros na comparação com o mesmo período de 2018.  É importante citar que a forte demanda persiste no 2T19, com a carteira de pedidos forte e com vendas já para o 3T19.  Além disso, a conclusão da expansão em 30% na capacidade de produção de implementos rodoviários, deve ampliar os volumes deste segmento para o restante do ano.  Nossa recomendação para RAPT4 é de Compra com Preço Justo de R$ 12,00/ação (potencial de alta em 39%).  Este ano, RAPT4 caiu 5,5%, enquanto o Ibovespa teve uma valorização de 7,9%.

  • Principais assuntos da teleconferência para discussão dos resultados do 1T19:

– No 1T19, ocorreram recuperações dos preços, que foram reduzidos durante a crise.  No entanto, os preços ainda não voltaram ao nível pré-crise;

– A empresa finalizou em março a expansão de 30% em sua capacidade de produção de implementos rodoviários.  As obras na fábrica durante o 1T19 comprometeram a produção;

– A demanda no 1T19 foi mais forte que o esperado e continua assim no 2T19;

– A carteira de pedidos está tomada até o 3T19;

  • Resultados do 1T19: A Randon divulgou seus números do 1T19 na noite de ontem, com forte elevação das vendas, mas diminuição nos resultados operacionais e expressiva queda no lucro líquido, na comparação com o mesmo trimestre do ano passado.  Esta redução no lucro é em parte explicada por fatores não recorrentes, que influenciaram positivamente os números do 1T18 e de forma negativa o 1T19;
  • A Randon teve outro excelente trimestre em vendas, com forte crescimento em praticamente todas as linhas de produtos vendidos pelo grupo.  A retomada na produção da indústria automobilística foi o principal responsável por este aumento nas vendas;
  • A diminuição no EBITDA do 1T19 (4,2%), em relação ao 1T18, ocorreu pelo aumento das despesas operacionais, mas também porque o número do ano passado havia sido beneficiado por ganhos com a compra vantajosa da JURID (R$ 52,5 milhões) contabilizada naquele trimestre.  Além disso, o EBITDA do 1T19 foi impactado negativamente pela contabilização de Hedge Accounting no valor de R$ 18,5 milhões.  Se ajustássemos os valores de EBITDA, expurgando os fatores não recorrentes dos dois períodos, teríamos R$ 152,8 milhões no 1T19 e R$ 117,3 milhões no 1T18.  Dessa forma, haveria um crescimento de 30,2% e um ganho na margem de 0,7 ponto percentual.

Clique para acessar:

DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.