Ambiente nos bastidores da política traz preocupações ao mercado

MERCADO


Bolsa

Após um dia de alta com a aprovação da reforma da Previdência na CCJ da Câmara, os investidores voltaram a mostrar cautela em relação aos próximos passos do projeto, mesmo com a instalação da comissão especial da Previdência marcada para hoje. Além disso, o ambiente nos bastidores da política traz preocupações ao mercado. A agenda econômica traz o Índice de Confiança do Consumidor (FGV) de abril em 89,5 e a inflação medida pelo IPCA-15 com alta de 0,72% no M/M e de 4,71% no A/A. Nos EUA, saem dados do mercado de trabalho e indicadores da economia. As bolsas internacionais mostram queda no fechamento da Ásia e no andamento dos mercados na zona do euro. Os indicadores econômicos divulgados no exterior seguem como ponto de atenção para os investidores em relação à economia global. Do lado doméstico, além dos fatores acima, os investidores dão peso aos resultados corporativos do 1T19, com destaque para os números do Banco Bradesco, nesta quinta-feira.

Câmbio

O movimento de fortalecimento da moeda americana em outros mercados e fatores domésticos, levaram o dólar a uma alta forte de 1,79% ontem em relação ao real, com influência também do aumento do risco-pais, medido pelo Credit Default Swap (CDS) de 5 anos, que bateu em 175 pontos, ante 168 do fechamento de ontem, de acordo com cotações da IHS Markit. A cotação subiu de R$ 3,9216 para R$ 3,9920.

Juros

O dia foi de alta nas taxas de juros futuros, com a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 passando de 6,425% para 6,460 e para a taxa jan/25 avançou de 8,652% para 8,76%.

 

 ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Grupo Pão de Açúcar (PCAR4)  
Bom desempenho de vendas no 1T19 deverá impulsionar os resultados do GPA

O Grupo Pão de Açúcar registrou forte crescimento nas vendas do 1T19, o que deverá refletir positivamente nos resultados financeiros a serem divulgados no dia 08/maio (após o fechamento do mercado).

Receita Líquida total do segmento alimentar: R$ 12,71 bilhões, sendo R$ 6,38 bilhões no Multivarejo e R$ 6,33 bilhões no Assaí.

Ontem a ação PCAR4 encerrou cotada a R$ 96,35 acumulando valorização de 20,0% no ano. Atualmente o valor de mercado do GPA é de R$ 25,7 bilhões.


Banco Bradesco (BBDC4)  
Resultado do 1T19 acima do esperado

O Bradesco registrou no 1T19 um lucro líquido recorrente de R$ 6,2 bilhões (ROAE de 20,5%), correspondente a um crescimento de 22,3% em relação aos R$ 5,1 bilhões do 1T18 (ROAE de 18,6%). Mais um bom resultado, melhor que o esperado, explicado principalmente por maior margem financeira com clientes, queda das despesas com PDD (expandida) e o maior resultado das operações de seguros, previdência e capitalização, somados ao bom desempenho das receitas de serviços.

  • Seguimos com recomendação de compra para BBDC4 com preço justo de R$ 45,00/ação, que traz um potencial de alta de 26,2% ante a cotação de R$ 35,65/ação (valor de mercado de R$ 287,5 bilhões). Nesse preço as ações registram alta de 10,9% este ano, sendo negociadas com P/L de 11,8x para 2019 e a 2,3x o valor patrimonial.
  • As Despesas com Pessoal/Outras Administrativas do 1T19 cresceram 5,7% em relação ao 1T18, acima do intervalo esperado, entre 0% e 4,0%. Dentre os motivos, o crescimento dos negócios, o reajuste de 5% do acordo coletivo de 2018/19, a evolução do quadro de funcionários, e a implementação de programa de remuneração variável direcionado a rede de agências.
  • As receitas de Serviços cresceram 2,4% em doze meses e somaram R$ 8,1 bilhões, abaixo do guidance de crescimento entre 3% e 7%.
  • A inadimplência registrou queda, em todos os principais segmentos do banco, sendo de 3,3% no total do 1T19 (sendo de 1,0% nas Grandes Empresas, 4,3% em PF e 4,2% no segmento de Micro, Peq. E Médias empresas) e se compara a 3,5% no 4T18.

O guidance de crescimento para 2019 foi mantido e o banco segue confiante na consecução dos seus objetivos. O cenário atual é de melhor dinâmica do crédito, inadimplência contida e queda da PDD. O foco na redução de custos permanece.


Eletropaulo/Enel SP (ELPL4)
Resultado do 1T19

A Eletropaulo (Enel Distribuição São Paulo) registrou no 1T19 um lucro líquido de R$ 69,0 milhões que se compara ao prejuízo de R$ 5,4 milhões do 1T18.

  • Este resultado foi construído a partir do crescimento de 4,4% do volume de energia (com destaque para a expansão de 5,3% do mercado cativo), aliado ao incremento de tarifa que resultou na evolução de 8,3% da Receita Líquida para R$ 3,5 bilhões. O resultado operacional registrou melhora, e o EBITDA cresceu 18,4% para R$ 399,0 milhões, com melhora da margem EBITDA, de 11,5% no 1T18 para 12,2% no 1T19.
  • Em julho de 2019 a companhia passará pelo 5º Ciclo de Revisão Tarifária Periódica, período em que ocorrerá a redefinição das tarifas de energia elétrica em níveis compatíveis com o seu equilibro econômico-financeiro.
  • Ao final de março a dívida líquida da companhia era de R$ 4,2 bilhões, abaixo de R$ 4,5 bilhões do 1T18, equivalente a 2,65x o EBITDA ajustado, com o custo médio da dívida de 8,36% ou CDI + 1,06% e prazo médio de 3,42 anos.
  • Suas ações registram alta de 8,6% este ano para R$ 34,00/ação (valor de mercado de R$ 6,8 bilhões). Nesse preço os múltiplos de mercado para 2019 são: P/L de 28,4x e VE/EBITDA de 7,7x.

Petrobras (PETR4)
Novo Plano de Desligamento Voluntário

O Conselho de Administração da empresa aprovou ontem um novo Plano de Desligamento Voluntário (PDV), para os qual serão elegíveis os empregados da Petrobras (controladora) que estejam aposentados pelo INSS até junho de 2020, data em se encerram as inscrições.

  • A Petrobras estimou que este PDV terá um custo de R$ 1,1 bilhão, com a participação total de 4,3 mil empregados.  O Programa tem um retorno esperado de R$ 4,1 bilhões entre 2019 e 2013;
  • Ações destinadas à redução de custos são sempre uma boa notícia para a Petrobras.  Um dos pilares da recuperação da empresa, foi o corte dos custos operacionais.

Sanepar (SAPR11)
Ex dividendos a partir de hoje

Na AGO da Sanepar, realizada ontem (24/abril) foi aprovada a distribuição de dividendos no montante de R$ 97,7 milhões, com base nos resultados da companhia em 2018, correspondendo a R$ 0,981878489543 por Unit.

  • Serão consideradas as posições de ações em 24/abril sendo negociadas “ex” dividendos a partir de hoje, 25 de abril de 2019. O retorno para os acionistas é de 1,2%. O pagamento será feito em 21 de junho de 2019.
  • A companhia informou também que o pagamento dos Juros sobre o Capital Próprio relativos ao 1º e 2º semestres de 2018, deliberados em reunião do Conselho de Administração em 27/06/18 e 18/12/18, respectivamente, serão pagos na mesma data.
  • Temos recomendação de compra para SAPR11 com preço justo de R$ 97,00/Unit, que quando comparado à cotação de fechamento de R$ 79,78/Unit, oferece um potencial de alta de 21,6%. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 8,5x e VE/EBITDA de 5,8x.

Tenda (TEND3)
Aprovação de dividendos adicionais de R$ 13,3 milhões (R$ 0,13 por ação)

  • Terão direito aos proventos os acionistas na data base de 29 de abril, inclusive.
  • As ações passam a ser negociadas ex-dividendos a partir de 30 de abril.
  • Os dividendos serão pagos a partir de 10 de maio.

Ontem a ação TEND3 encerrou cotada a R$ 17,65. Com base nesta cotação o retorno para os acionistas será de 0,78%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.