Reajuste no óleo diesel favorece o índice ​e o Ibovespa encerra a quinta-feira com alta de 1,39%

MERCADO


Bolsa

O Ibovespa encerrou a quinta-feira com alta de 1,39% aos 94.578 pontos, com giro financeiro de R$ 14,6 bilhões. A confirmação do reajuste de R$ 0,10 no litro do óleo diesel favoreceu as ações da Petrobras e também o índice. O rumor de possibilidade de nova greve de caminhoneiros no final deste mês traz preocupações. Na semana, o Ibovespa valorizou 1,83%. A semana abre com uma agenda econômica fraca, trazendo apenas o boletim Focus e o Índice de Confiança na Indústria (CNI) de abril. Nos EUA, saem dados de vendas de casas em março. As bolsas internacionais mostram queda no fechamento da Ásia e na zona do euro. Os futuros de NY mostram queda após o feriado prolongado e aguardando decisões do governo americano sobre negociações de petróleo com o Irã. Do lado doméstico, atenção para o retorno o feriado com a mesma pauta política, por enquanto sem avanços.

 

Câmbio
Após alta em três pregões, a moeda americana recuou de R$ 3,9402 na quarta-feira para R$ 3,9278 na quinta-feira, baixa de 0,31%. O desconforto dos investidores em relação aos assuntos domésticos, sem avanços nas últimas duas semanas, segue colocando pressão sobre o dólar.


Juros
Da mesma forma que o dólar, os juros seguem sem rumo definido, na dependência das discussões políticas em Brasília. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechou em 6,495%, de 6,541% na quarta-feira e para jan/25 a taxa caiu de 8,842% para 8,77%.

 

 ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Randon (RAPT4) 
Forte crescimento da receita no 1T19

Nesta manhã, a empresa divulgou sua receita em março, fechando excelentes números para o 1T19.
• Em março, a receita líquida consolidada da Randon atingiu R$ 399 milhões, valor 9,4% maior que no mesmo mês do ano passado. Com isso, a receita no 1T19 somou R$ 1.134 milhões, que foi 23,0% acima daquela auferida no 1T18;
• Esta é uma boa notícia para a Randon, indicando que o resultado do 1T19 pode ser bastante positivo. Os números do trimestre devem ser divulgados no dia 9 de maio, após o encerramento do pregão.


Usiminas (USIM5)  
Aumento dos investimentos em 2019

A empresa divulgou seus resultados do 1T19 na manhã da última quinta-feira e logo em seguida realizou uma teleconferência para discutir estes números, quando um dos principais assuntos foi o aumento dos investimentos.
• Para 2019, a Usiminas previu em sua teleconferência que vai investir R$ 1 bilhão, que será 116,0% maior que no ano anterior. A empresa não detalhou muito onde investirá, mas afirmou que 70% será gasto no segmento de siderurgia;
• A notícia do aumento dos investimentos é positiva para a Usiminas, indicando a volta da capacidade financeira da empresa e sua confiança na expansão da demanda no mercado interno.


Cielo (CIEL3) 
Companhia divulga resultados do 1T19 depois do fechamento do mercado

Hoje (23/abril) após o fechamento do mercado a Cielo publica seus resultados referentes ao 1T19. Esperamos um lucro líquido de R$ 600 milhões, em queda em ambas as bases de comparação (trimestral e anual), em linha com o guidance divulgado para esse ano, um lucro líquido entre R$ 2,3 bilhões e R$ 2,6 bilhões, e que se compara ao lucro de R$ 3,3 bilhões de 2018, e que considera, principalmente: (i) o ambiente competitivo atual; (ii) os investimentos em companhas publicitárias e no lançamento de novos produtos e serviços; e (iii) o reforço do time comercial com a contratação de executivos de vendas.

  • Nesse contexto de uma maior competição no segmento, a REDE do Itaú Unibanco divulgou na semana passada a isenção da taxa cobrada na antecipação de recebíveis do crédito à vista, de D+30 para D+2, a partir de 2 de maio para todos os clientes.
  • O assunto já estava em estudo pelo Banco Central há algum tempo, em linha com a agenda do regulador de aumentar a concorrência no setor de cartões. No mercado internacional, a liquidação das operações já acontece em dois dias (D+2). Acreditamos que pesou o fato de que os pequenos entrantes não possuem as mesmas condições dos grandes, relativas ao custo do funding e capacidade de alavancagem.
  • A Cielo ainda não se posicionou em relação ao assunto, e sendo a única companhia de capital aberto, suas ações registraram forte baixa na quinta-feira, de mais de 10% durante o pregão, fechando em queda de 7,3% para uma cotação de R$ 8,25/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 22,4 bilhões.

CPFL Energia S.A. (CPFE3)
Cumprimento da Obrigação de Restabelecimento do seu Free Float

Com relação ao pedido formalizado pela companhia e seu acionista controlador a B3 aprovou:

  • A postergação do prazo para o cumprimento da obrigação de recomposição do free float da companhia até 31 de outubro de 2019, e
  • Em razão do contexto atual de distribuição do capital social em que se insere a companhia, que lhe seja dado tratamento excepcional de recém listada no Novo Mercado, de maneira que a pretendida oferta pública subsequente de distribuição de ações da companhia resulte em um free float de no mínimo 15% de seu capital social.
  • A avaliação e aprovação finais por parte da administração da companhia quanto ao lançamento da referida oferta, bem como a definição de seus termos e condições, estão ainda pendentes.
  • Na quinta-feira (18/abril) as CPFE3 fecham cotadas a R$ 28,65/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 29,1 bilhões. Este ano suas ações registram queda de 0,7%.

 


Sanepar (SAPR11) 
Quantidade de ações após conversão

A Companhia de Saneamento do Paraná – Sanepar, comunicou o mercado que que quando do processo de formação de Units no final de 2017, houve um período de liberação para que os acionistas convertessem ações ordinárias em preferenciais e preferenciais em ordinárias.

  • Nesse contexto, ao final dessas conversões, a quantidade de ações que perfazem o capital social da companhia ficou em 167.911.753 ações ordinárias e 335.823.420 ações preferenciais.
  • Temos recomendação de compra para SAPR11 com preço justo de R$ 97,00/Unit, que quando comparado à cotação de fechamento de quinta-feira (18/abril) de R$ 80,94/Unit, oferece um potencial de alta de 19,8%. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 8,6x e VE/EBITDA de 5,9x.

Suzano (SUZB3)
Pagamento de dividendos no montante de R$ 600 milhões (R$ 0,44/ação)

Na última quinta-feira (18), a Suzano comunicou a aprovação por AGO do pagamento de dividendos, conforme a seguir:

Resumo:

  • Montante Total: R$ 600 milhões;
  • Dividendo por ação: R$ 0,44470086;
  • Retorno para o acionista: 1,1%
  • Data de pagamento: 30 de abril de 2019.

Na quinta-feira a ação SUZB3 encerrou cotada a R$ 41,03 acumulando valorização de 7,7% neste ano. O valor de mercado atual da companhia é de R$ 55,4 bilhões e suas ações estão sendo negociadas a 3,74x o valor patrimonial.


Boletim Focus
Mercado reduz as estimativas de inflação e PIB para este ano

Dentre as alterações contidas no Boletim Focus no último Boletim Focus desta segunda-feira, destaque para o recuo das estimativas para o IPCA de 2019, mesmo comportamento observado nas atualizações dos últimos 5 dias. Para o PIB, a mediana das estimativas também mostrou nova retração. Por fim, o mercado corrigiu para cima a mediana de suas estimativas para a Taxa de Câmbio, mas manteve inalterada para a Taxa Selic, todas para este ano.

Já mediana do agregado para a produção industrial mostrou forte queda para 2019, sugerindo crescimento de 1,70% ante 2,30%. Para os demais indicadores de relevância, não houve alteração em relação às estimativas anteriores.

Com isso, para 2019, as expectativas para o IPCA ficaram em 4,01%, o PIB em 1,71%, Taxa de Câmbio R$/US$ 3,75 e a Meta da Taxa Selic em 6,50% aa.

Destaques do Boletim Focus publicado na segunda-feira, para 2019:

  • IPCA: 4,01%;
  • IPCA (atualização dos últimos 5 dias): 4,00%;
  • PIB: 1,71%
  • Taxa de Câmbio: R$/US$ 3,75;
  • Meta Taxa Selic: 6,50% a.a.

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.