Segundo dia de baixa

MERCADO


Bolsa
A B3 registrou o segundo dia de baixa, refletindo mais um pregão de ajustes de posição por parte dos investidores, com correção dos papéis dos bancos e da Vale, e sem catalizadores no exterior para sustentar o índice. Ao final o Ibovespa caiu 0,35% para 95.953 pontos, com giro financeiro de R$ 14,3 bilhões, acima da média deste mês (R$ 12,9 bilhões). Sem indicadores internos a agenda está concentrada nos EUA com destaque para o PPI de março e os Novos pedidos de seguro-desemprego até 6/abril. O governo Bolsonaro comemora 100 dias em cerimônia em Brasília e deve anunciar 13º salário para o programa “Bolsa Família”. O ministro da Economia, Paulo Guedes, e o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, cumprem agenda em Washington. Mercados globais operam sem definição, com bolsas de lado e dólar em leve alta.

Câmbio
A maioria dos diretores do Fed espera manter os juros inalterados em 2019, em meio à inflação tímida e à desaceleração do crescimento global. Nesse contexto o dólar comercial operou perto das mínimas e fechou em queda de 0,79% cotado a R$ 3,8228.

Juros
Ontem os juros futuros tiveram um dia de queda, sobretudo nos contratos mais longos, em linha com o comportamento do câmbio. Como pano de fundo a manutenção dos juros americanos, o que favorece a liquidez global e a busca por ativos de risco. No Brasil, a divulgação da inflação de março gerou pouca reação dos investidores, e ao final o DI janeiro/2020 era negociado a 6,465% (de 6,49% no ajuste anterior), o DI janeiro/2021 com taxa de 7,05% (de 7,09% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2025 fechou a 8,66% (de 8,79% no ajuste anterior).

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Petrobras Distribuidora (BRDT3) 
Multa do CADE de R$ 64 milhões

A empresa informou que, na tarde ontem, o Tribunal Administrativo de Defesa Econômica do CADE a condenou ao pagamento de multa no valor de R$ 64 milhões, aproximadamente.
• A multa se refere à acusação de prática de influência na adoção de conduta uniforme entre concorrentes da revenda na região metropolitana de Belo Horizonte – MG;
• Esta notícia não é positiva, mesmo que a multa seja de pequena monta, considerando a posição financeira da Petrobras Distribuidora.


Ultrapar (UGPA3) 
Multa do CADE e desdobramento das ações

A Ultrapar informou ontem, após o pregão, que sua controlada Ipiranga foi condenada pelo Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) ao pagamento de uma multa no valor de R$ 40,7 milhões.

  • Esta é uma notícia negativa para a empresa, mas pela imagem que necessariamente pelo valor imputado;
  • A Ultrapar comunicou também que a Assembleia Geral Extraordinária e Ordinária, realizada ontem, aprovou a proposta de desdobrar cada uma de suas ações em duas.  A data do desdobramento será de 17 de abril, sendo que as ações “ex-desdobramento” já serão negociadas no dia seguinte;
  • Estes desdobramentos, normalmente, contribuem para o aumento do volume negociado da ação e sua valorização.

Sabesp (SBSP3) 
ARSESP autoriza reajuste tarifário de 4,7242% a partir de 11/maio

A Sabesp informa que a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (ARSESP) publicou ontem (10/abril) a Deliberação nº 859 que autoriza a companhia a aplicar o índice de reajuste tarifário de 4,7242% em relação às tarifas vigentes, composto por: (i) Variação do IPCA no período de 4,5754%; (ii) Fator de eficiência (Fator X) de 0,6920%; e (iii) Ajuste compensatório de 0,8408%, conforme descrito na Nota Técnica NT.F-0010-2018.

  • A Deliberação com as novas tabelas tarifárias será publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo hoje (11/abril) e passará a vigorar a partir de 11 de maio de 2019. Positivo mas já esperado. Trata-se do acolhimento parcial dos pedidos da companhia junto a Arsesp.
  • Lembrando que suas ações estão sendo negociadas na condição “cheias” de um JCP de R$ 1,15900 por ação até 29 de abril. O retorno líquido é de 2,4%. Seguimos com recomendação de compra para SBSP3 com preço justo de R$ 52,00/ação, que trazem um potencial de alta de 30,0%.

 


Magazine Luiza (MGLU3) 
Companhia avalia aquisição da Netshoes

A companhia divulgou ontem (10/abril), Fato Relevante confirmando que avalia potencial aquisição da Netshoes, mas que “não há até o momento, qualquer contrato, acordo ou oferta vinculante acerca de uma eventual transação, assim como não há qualquer garantia sobre a efetivação de qualquer negócio entre as partes”.

Conforme divulgado na mídia, a varejista on-line Netshoes contratou o banco de investimento Goldman Sachs para ajudá-la na escolha de sócio ou comprador da sua operação. Quatro empresas teriam demonstrado interesse: Lojas Americanas, Mercado Livre, Centauro e Advent, fundo de investimento que comprou 80% da operação do Walmart no Brasil.

A ação da Netshoes listada na NYSE já subiu 50% desde o dia 2 de abril.  A companhia tem um valor de mercado de US$ 70 milhões e uma dívida líquida de R$ 144 milhões.

 


Copel Energia (CPLE6) 
UHE Baixo Iguaçu – 100% operacional

A Copel Energia S.A. comunica que ontem (10/abril) entrou em operação comercial a última unidade geradora da Usina Hidrelétrica – Baixo Iguaçu (UG3, com 117 MW de potência instalada). Com isso, a Usina está com 100% das suas unidades geradoras operando comercialmente.

  • A Copel detém 30% de participação no Consórcio Empreendedor Baixo Iguaçu – Cebi, responsável por construir e explorar a Usina Baixo Iguaçu, que possui uma potência instalada de 350,2 MW e garantia física de 171,3 MW médios. A energia comercializada no ACR ao preço de R$ 176,43/MWh foi repactuada conforme Decisão Aneel nº 4.101/2017.
  • Este ano as CPLE6 registram alta de 22,4% para uma cotação de R$ 37,40/ação, correspondente a um valor de mercado de R$ 10,2 bilhões. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 7,0x e VE/EBITDA de 5,8x. O preço justo de R$ 40,00/ação traz um potencial de alta de 7,0% para suas ações.

Klabin (KLBN11) 
Emissão de US$ 1 bilhão em notes

A Klabin comunicou ontem (10), por meio de sua subsidiária integral, Klabin Austria GmbH, a emissão de US$ 1 bilhão em notes, títulos representativos da dívida (Senior Unsecured Notes) em duas emissões:

Emissão – Notes 2029:

  • Valor da Emissão: US$ 500 milhões;
  • Yield: 5,80% aa;
  • Cupom (juros): 5,75% aa;
  • Vencimento: 03 de abril de 2029.

Emissão – Notes 2049 (Green Bons):

  • Valor da Emissão: US$ 500 milhões;
  • Yield: 7,125% aa;
  • Cupom (juros): 7,00% aa;
  • Vencimento: 03 de abril de 2049.

Ontem a unit (KLBN11: 1 On + 4 PN’s) encerrou cotada a R$ 16,45 acumulando valorização de 3,7% neste ano. O valor de mercado atual da companhia é de R$ 19,00 bilhões com as units negociadas a 2,75x o valor patrimonial.

 


Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.