Cautela dos investidores

MERCADO


Bolsa
Ontem a B3 refletiu a cautela dos investidores com a cena política no país, em dia de apresentação do parecer do projeto da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). As bolsas lá fora também operaram no vermelho e ao final o Ibovespa fechou em queda de 1,11% aos 96.292 pontos e giro financeiro de R$ 12,1 bilhões, em linha com o dia anterior.

Câmbio
Contrariando movimento registrado pelas demais moedas emergentes, o dólar fechou em leve valorização, com a expectativa de retomada da tramitação da reforma da Previdência na CCJ. Ao final, sem início da leitura do relatório, o dólar comercial fechou em R$ 3,8532, alta de 0,11%.

Juros
Da mesma maneira que o câmbio, o mercado de juros operou com cautela, à espera da votação da reforma com movimento de leve alta. Diante desse cenário, ao fim do pregão regular o DI janeiro/2020 era negociado com taxa de 6,495% (de 6,475% no ajuste anterior). O DI janeiro/2021 a 7,09% (de 7,05% no ajuste anterior) e o DI janeiro/2025 fechou a 8,79% (de 8,76% no ajuste anterior).

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Petrobras (PETR4) 
Revisão do contrato da Cessão Onerosa vai render US$ 9,058 bilhões 

Em reunião realizada ontem, o Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), determinou que a Petrobras receba US$ 9,058 bilhões da União, em decorrência da revisão do contrato da Cessão Onerosa.
• O pagamento deve ser feito após o leilão dos excedentes da Cessão Onerosa, que será realizado no dia 28 de outubro deste ano;
• Esta é uma excelente notícia para a empresa, em função do elevado montante envolvido e da solução de um problema que vinha se arrastando desde 2013.


Vale (VALE3) 
Tribunal arbitral condena BSGR a pagar US$ 1,246 bilhão

Ontem, após o pregão, a empresa comunicou que foi notificada da decisão proferida por um tribunal arbitral em Londres, condenando a BSG Resources Limited (BSGR) a ressarci-la em US$ 1,246 bilhão mais juros e despesas.

  • A Vale afirmou que não existem garantias quanto ao prazo ou ao valor do recebimento.  Mesmo assim, consideramos que esta é uma boa notícia para a empresa;
  • A questão na arbitragem era de que a BSGR teria cometido fraudes e violações de garantia, ao induzir a Vale a constituir uma joint venture para exploração de minério de ferro na região de Simandou na República da Guiné.  Em 2014, o governo daquele país cancelou a concessão da mina, com base em evidencias de que a BSGR a teria conseguido por ato de corrupção.

Direcional (DIRR3) 
Prévia Operacional do 1T19, com crescimento de 55% nos lançamentos

A Direcional divulgou ontem (09) a prévia operacional do 1T19, com destaque para os crescimentos de 55% nos lançamentos e de 51% nas vendas líquidas do MCMV, ambos comparados a igual período do ano anterior. Além disso, a companhia apresentou recorde histórico de vendas no MCMV 2 e 3 para um primeiro trimestre.

Ontem a ação DIRR3 encerrou contada a R$ 8,82 acumulando valorização de 22,5% em 2019. O valor de mercado atual da companhia é de 1,3 bilhão e suas ações estão sendo cotadas a 1,01x o valor patrimonial.


Minerva S.A. (BEEF3) 
Aprovação do Registro CMF Athena Foods

A Minerva recebeu ontem (9/abril) a aprovação do pedido de registro de sua subsidiária Athena Foods S.A. (“Athena”) na CMF – Comisión para el Mercado Financiero (“CMF”) – o órgão regulador do Chile. Com a aprovação do registro de companhia aberta, a Athena torna-se então apta a realizar a oferta pública inicial de ações da Athena na bolsa de valores de Santiago – Bolsa de Comercio de Santiago.

  • A Minerva recebeu ontem (9/abril) também o consentimento dos Bondholders dos Notes 2026 e 2028, emitidos pela Minerva Luxembourg S.A., para que seja realizada a exclusão da Athena Foods da posição de garantidora dos referidos instrumentos de dívida. A companhia obteve aproximadamente 85% de adesão e pagou um fee de US$ 7,50 para cada US$ 1.000,00 de principal consentido.
  • Suas ações registram alta de 49,3% este ano para R$ 7,45/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 2,8 bilhões.

ENGIE Brasil Energia (EGIE3) 
Fitch reafirmou Ratings da companhia

A agência Fitch Ratings reafirmou o Rating Nacional de Longo Prazo em ‘AAA(bra)’ com perspectiva estável e em escala global ‘BB’ com perspectiva estável, ainda um nível acima do rating soberano. A Agência reafirmou também o rating ‘AAA (bra)’ com perspectiva estável, atribuído à sexta e sétima emissões de debêntures quirografárias da companhia.

  • Conforme divulgado no comunicado, a agência considerou que “a aquisição de 29,25% da Transportadora Associada de Gás (TAG) não muda os fundamentos de crédito da companhia e seu forte perfil financeiro, declarando ainda que a aquisição fortalece o perfil de negócios da EBE, devido à entrada previsível de recursos de longo prazo”.
  • A compra está em linha com a estratégia de diversificação dos negócios da companhia, e representou um Valor da Empresa (Enterprise Value) de R$ 35,1 bilhões para 100% da TAG, na data base de dez/17, equivalente a um EV/EBITDA de 8,3x.
  • As EGIE3 registram alta de 29,9% este ano para R$ 42,88/ação (valor de mercado de R$ 35,0 bilhões). Nesse preço os múltiplos para 2019 são: P/L de 14,1x e VE/EBITDA de 8,2x.

Cemig S.A. (CMIG4) 
Renova assina contrato de venda de Alto Sertão III

A Renova Energia S.A. (RNEW11) empresa coligada da Cemig, divulgou comunicado de Fato Relevante informando que assinou ontem (9/abril), o contrato de compra e venda de ações para alienação do complexo eólico Alto Sertão III e determinados projetos eólicos em desenvolvimento para a AES Tietê Energia S.A.

  • A Operação compreende a alienação do complexo eólico Alto Sertão III, subdividido em Fase A, com capacidade instalada de 438MW, por R$ 350 milhões, e Fase B, com 305 MW a serem instalados, por R$ 90 milhões, além de uma opção de compra de até 1,1 GW de projetos eólicos em desenvolvimento, por até R$ 76 milhões.
  • A Operação prevê o equacionamento das dívidas com credores do projeto, sendo que a AES Tietê assumirá a dívida financeira estimada em R$ 988 milhões, majoritariamente com o BNDES. A Operação ainda está sujeita a um eventual acréscimo de valor sob a forma de earn-out, caso o desempenho dos ventos da Fase A exceda a referência assumida na negociação.
  • Cotadas a R$ 14,07/ação (valor de mercado de R$ 20,5 bilhões) suas ações registram alta de 1,5% este ano. O preço justo de R$ 16,00/ação traz um potencial de valorização de 13,7%. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 10,4x e VE/EBITDA de 7,8x.

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.