Ibovespa marca terceira queda consecutiva

MERCADO


Bolsa
A quinta-feira trouxe uma surpresa para o mercado logo na parte da manhã, com a prisão do ex-presidente Michel Temer na operação Lava Jato. O Ibovespa, que já vinha na retaguarda com a frustração com a proposta de previdência dos militares teve mais este componente para empurrar os papéis para baixo. As ações do setor financeiro e estatais foram os que mais pesaram. Já as exportadoras se beneficiaram com a alta repentina do dólar. No fechamento o Ibovespa marcou queda de 1,34% aos 96.729 pontos com volume financeiro de R$ 17,5 bilhões. Esta foi a terceira queda consecutiva do Ibovespa, que passa a contabilizar perda de 2,43% no acumulado da semana. Hoje a agenda traz dados da zona do euro e dos EUA, sem relevância para o nosso mercado, ficando o destaque para a prorrogação da decisão do Brexit para o dia 22 de maio, cuja votação deveria acontecer no dia 29/03. As bolsas internacionais mostram queda na zona do euro com a divulgação de dados fracos na Alemanha, para o setor de manufaturados, renovando as preocupações a respeito da economia global. Na Ásia o fechamento foi positivo nas principais bolsas. Do doméstico o mercado deverá ainda refletir o noticiário da quinta-feira, (prisão de Michel Temer), sem deixar de lado a questão da Previdência que começa a encontrar resistência. Ontem foi adiada a escolha do relator, o que deverá acontecer na primeira semana de abril. A B3 deverá seguir sensível a estes fatos.

Câmbio
Se a reação na bolsa foi negativa, para o dólar o dia foi de alta forte com a aversão ao risco para os investidores. No fechamento a moeda americana marcou alta de 0,88% cotada a R$ 3,8009 no mercado à vista. O risco-país medido pelo Credit Default Swap (CDS) de 5 anos do Brasil fechou a 165,24 ontem.

Juros
A reação do noticiário do dia sobre os juros também foi forte, com a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 passando de 6,325% para 6,55%. Na ponta mais longa, do DI para jan/25 encerrou em 8,49%, de 8,391%.

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Cyrela (CYRE3)

Lucro líquido de R$ 116 milhões no 4T18, mas ainda com prejuízo de R$ 84 no acumulado de 12 meses 

A Cyrela mostrou reversão no prejuízo trimestral, encerrando o 4T18 com resultado líquido de R$ 116 milhões ante uma perda de R$ 123 milhões no 3T18 e lucro líquido de R$ 49 milhões no 4T17. No comparativo anual a companhia segue negativa nos dois anos, com prejuízo de R$ 96 milhões em 2017 e de R$ 84 milhões no último exercício.

Já é possível observar sinais de recuperação em vendas, redução dos níveis de estoques e melhora na velocidade de vendas.

A ação CYRE3 encerrou ontem cotada a R$ 17,20 com valorização de 11,2% no ano. O valor de mercado da companhia é de R$ 6,6 bilhões.


RD Raia Drogasil (RADL3)
Aprovação de JCP no valor bruto de R$ 0,172923963 por ação

  • Acionistas com direito ao provento até o dia 26 de março. Ex no dia 27/03;
  • O pagamento será realizado até 03/12/2019;

Com base na cotação de fechamento de ontem (R$ 66,50), o retorno para os acionistas é de 0,27%


CCR (CCRO3)
Um resultado muito fraco no 4T18

Os resultados da CCR no 4T18, na comparação com o mesmo trimestre de 2017, mostraram quedas no tráfego, nas margens e um conjunto de expressivas provisões que levaram a empresa ao resultado negativo.

  • A CCR sofreu no 4T17 um prejuízo de R$ 307 milhões (R$ 0,15 por ação), contra resultados positivos de R$ 365 milhões no trimestre anterior e R$ 329 no 4T17;
  • Em 2018, a empresa foi impactada pela redução do tráfego (-3,0%), em função da greve dos caminhoneiros e da isenção do eixo suspenso.  Isso levou a expressivas reduções em suas margens operacionais.  As provisões para o acordo de leniência impactaram severamente os números do 4T18, contribuindo para um resultado anual 56,5% menor que no ano anterior.  O lucro líquido de 2018 foi de R$ 783 milhões (R$ 0,39/ação).

Omega Geração (OMGE3)
Resultado do 4T18 e de 2018

 

A Omega Geração, uma companhia de geração de energia com 100% do portfólio renovável reportou seus resultados referentes a 2018, cuja capacidade instalada contratada cresceu mais de 140% em doze meses, de 476,2 MW em 2017 para os atuais 1.144,9 MW. A companhia registrou um Lucro líquido de R$ 59,0 milhões no 4T18 e de R$ 50,0 milhões em 2018 – que se compara ao lucro de R$ 113,1 milhões em 2017.

  • As OMGE registram alta de 11,7% este ano para uma cotação de R$ 19,50/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 2,7 bilhões.
  • A Receita Líquida somou R$ 206,5 milhões no 4T18, acumulando R$ 742,0 milhões em 2018, com incremento de 36% em relação a Receita de R$ 546,1 milhões do ano anterior.
  • O EBITDA ajustado alcançou R$ 153,0 milhões no 4T18, totalizando R$ 411,6 milhões em 2018, 76% acima de 2017. A margem EBITDA ajustada foi de 88% no trimestre e 81,9% em 2018, 4,6pp acima de 2017.
  • Ao final de dezembro de 2018 a dívida líquida da companhia era de R$ 1,8 bilhão (4,4x o EBITDA), após crescimento de 25% em doze meses, com prazo médio de 5,95 anos.

Cemig S.A. (CMIG4)
Contrato para Aquisição de Participação na Renova e Realização de OPA

A Cemig S.A. em conjunto com sua subsidiária integral Cemig Geração e Transmissão S.A. (Cemig GT) informa a realização de dois atos: (1) a Celebração de Contrato para Aquisição de Participação na Renova Energia S.A. e Realização de OPA; e (2) o Reperfilamento das Dívidas entre Partes Relacionadas.

  • Cotadas a R$ 14,15/ação (valor de mercado de R$ 20,6 bilhões) suas ações registram alta de 2,1% este ano e 77,0% em doze meses. O preço justo de R$ 16,00/ação traz um potencial de valorização de 13,6%. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 10,7x e VE/EBITDA de 7,9x.
  • Contrato para Aquisição de Participação na Renova Energia S.A. e Realização de OPA. Na data de ontem (21/março) foi celebrado o Contrato de Compra e Venda de Ações referente à aquisição, pela Cemig GT e Light Energia S.A., de até 7.282.036 ações de emissão da Renova, sendo 6.637.878 ordinárias e 644.158 preferenciais, todas de titularidade de CG I Fundo de Investimento em Participações e de certas pessoas a ele relacionadas.
  • O Contrato prevê que estaas ações serão adquiridas na proporção de 67,85% pela Cemig GT e 32,15% pela Light Energia e, como contrapartida, a CG I receberá títulos de valor mobiliário subscritos pela Light Energia e títulos de valor mobiliário subscritos pela Cemig GT, que correspondam ao valor nominal de R$ 14,68/ação de emissão da Renova, ordinária ou preferencial (Relação de Troca).
  • O Conselho de Administração da Cemig GT aprovou, condicionado ao Fechamento da Aquisição das Ações, a realização por Cemig GT e por Light Energia de oferta pública de aquisição das ações em circulação de emissão da Renova, em data a ser oportunamente anunciada, em que será oferecido aos acionistas da Renova tratamento igualitário àquele conferido à CG I.

AES Tietê Energia S.A. (TIET11)
Aquisição potencial do Complexo Eólico Alto Sertão III

A Petrobras informou ontem, após o pregão, que o Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (CARF) proferiu decisão desfavorável à empresa em processo administrativo cujo valor aproximado é de R$ 2,2 bilhões.
• Este processo se refere a cobrança de Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) do ano de 2009 sobre valores de aluguel de plataformas;
• Esta decisão do CARF é negativa para a empresa, principalmente porque poderá influenciar a visão do órgão sobre outras causas com o mesmo tema e valores mais elevados. No entanto, é importante frisar que a decisão no CARF não implica em pagamento efetivo da multa, que ainda será discutida longamente no judiciário.


Renova Energia S.A. (RNEW11)
Aprovação da Oferta da AES ASIII e equacionamento de dívidas

O Conselho de Administração da Renova deliberou o aceite de nova proposta vinculante, apresentada pela AES Tietê Energia S.A., para a aquisição das ações representativas da totalidade do capital social das sociedades de propósito específico que compõem o Complexo Eólico Alto Sertão III. A Operação ainda está sujeita ao cumprimento de condições precedentes e a obtenção das aprovações necessárias para a sua conclusão.

  • Equacionamento de dívidas: O Conselho de Administração da Renova também aprovou (i) o reperfilamento das dívidas com partes relacionadas, sendo R$ 768 milhões detidos pela Cemig GT e de R$ 253 milhões detidos pela Light Comercializadora de Energia S.A., nas datas base de mar/19. Serão feitos quatro instrumentos através de Títulos de dívidas de emissão da companhia, com prazo de 6 anos, 1 ano de carência e juros de 155% de CDI, com garantia real.
  • Ao preço de R$ 19,45 (valor de mercado de R$ 2,7 bilhões), suas Units registram queda de 10,3% este ano e desvalorização de 33,2% em doze meses.

Burger King (BKBR3)
Preço da oferta secundária fica em R$ 21,41 resultando em um montante de R$ 714,5 milhões

O início da negociação das Ações na B3 ocorrerá no dia 25 de março de 2019 e a liquidação no dia 27 de março de 2019, com a entrega das Ações aos respectivos investidores.

Ontem a ação BKBR3 encerrou cotada a R$ 21,41 com alta de 3,9% neste ano e 25,9% em 12 meses. O valor de mercado da companhia é de R$ 4,86 bilhões.


Localiza (RENT3)
Pagamento de proventos

O Conselho de Administração da Localiza autorizou a distribuição aos acionistas de R$ 69,2 milhões (R$ 0,096414094 por ação – valor bruto) na forma de juros sobre o capital próprio.

  • O pagamento será realizado no dia 20 de maio, com base nas posições acionárias de 26/março, com as ações já sendo negociadas ex-JCP no dia seguinte (27/3);
  • Este provento permite um retorno bruto de 0,3%, considerando a cotação de RENT3 no último pregão.

Se preferir, baixe em PDF:

 

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.