Divulgação de um PIB fraco e incertezas em relação a Previdência

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa foi pressionado no fechamento do mês com a divulgação de um PIB anual trimestral fraco e o aumento das incertezas em relação ao projeto da Previdência, fechando com queda de 1,86% aos 95.584 pontos. Hoje a agenda econômica vem mais concentrada em indicadores do lado externo, com a taxa de desemprego na zona do euro em 7,8% em jan/19 e o IPC A/A com alta de 1,0%, entre outros dados. No Brasil, apenas o IPC-S com alta de 0,35% e nos EUA dados pouco relevantes para nosso mercado. Destaque para um possível acordo comercial entre China e EUA esperado para as próximas semanas, conforme o noticiário internacional. As bolsas internacionais reagem positivamente na zona do euro e no fechamento da Ásia. Do lado doméstico, destaque para os resultados corporativos divulgados e a possibilidade de uma reação ao bom humor externo, mesmo com a ambiente dando sinal de alerta aos investidores. O feriado prolongado de carnaval também poderá ter impacto no comportamento dos papéis na volta do mercado na quarta-feira.

Câmbio
Ontem a moeda americana fechou cotada a R$ f3,7535 (+0,62%), encerrando fevereiro com valorização de 2,58%. As mesmas preocupações que levaram a bolsa a uma queda mais forte puxaram o dólar para cima. O dia foi de formação da Ptax que fechou com ganho de 0,09%, a R$ 3,7385.

Juros
As taxas de juros para jan/20 subiram de 6,450% na quarta-feira para 6,485% e dia de divulgação do PIB do 4T18, abaixo das expectativas do mercado. Para jan/25 a taxa do contrato de DI avançou de 8,732% para 8,79%.

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

MRV Engenharia (MRV3)
 Lucro líquido de R$ 690 milhões em 2018, aumento de 5,6% sobre 2017

Destaques:

  • Recorde na receita anual e diluição de despesas operacionais.;
  • Registrou 26 trimestres de geração de caixa positiva, somando R$ 3,3 bilhões, com a distribuição de R$ 2,3 bilhões em dividendos;
  • O banco de terrenos (com alvará de construção) corresponde a 42,7 mil unidades, totalizando R$ 6,6 bilhões;
  • Recorde de lançamentos no 4T18, somando R$ 2,23 bilhões;
  • Aumento da produtividade com novos processos de mecanização e automação do processo produtivo e uso de fôrma de alumínio na construção;
  • Redução no volume de unidades distratadas.

Ontem a ação MRVE3 encerrou cotada a R$ 13,59 acumulando valorização de 10,0% no ano. Temos recomendação

 


Cia. Hering (HGTX3)
4T18, resultados trimestrais fracos

A Hering reportou ontem (28/fev) seus resultados referentes ao 4T18 e 2018, os quais se mostraram impactados pelo ano desafiador, haja vista a tímida recuperação econômica e a incidência de eventos extraordinários, levando a companhia a reportar queda de receita, tanto no comparativo trimestral, quanto interanual. No entanto, a diminuição das despesas operacionais e a incidência de outras receitas melhoraram o lucro operacional, impulsionando o crescimento de 19% (t/t) do lucro líquido para R$ 86,3 milhões (margem líquida de 21,3%), porém, no acumulado do ano a retração foi de 15,7% para R$ 235,2 milhões (margem líquida de 15,6%).

Destaques do Trimestre

  • Receita líquida: R$ 447,9 milhões no 4T18 (-1,0% frente o 4T17), R$ 1,5 bilhão em 2018 (-1,5% a/a);
  • Margem Bruta: 44,3% no 4T18 (44,1% no 4T17) e 42,6% em 2018 (44,2% em 2017);
  • EBITDA: R$ 88,9 milhões (+19,0% frente ao 4T17) e R$ 259,5 milhões em 2018 (-0,5% a/a);
  • Margem EBITDA: 19,8% no 4T18 (+1,8 pp frente ao 4T17 e 16,9% em 2018 (+0,2 pp frente 2017);
  • Lucro Líquido: R$ 95,5 milhões no 4T18 (+11,0%) e R$ 239,5 milhões em 2018 (-9,2% frente 2017);
  • ROIC: 22,0% em 2018 (+1,1 pp em relação a 2017);

A companhia também aprovou a recompra de até 1,5 milhões de ações ordinárias, correspondentes a 1,2% do total das ações ordinárias em circulação. As operações de aquisição serão realizadas a preço de mercado no pregão da B3, com o prazo máximo para a aquisição de 365 dias, com início a partir de 28/02 e término em 28/02/2020.

Ontem a ação HGTX3 encerrou cotada a R$ 30,19 acumulando valorização de 4,1% em 2019. O valor de mercado atual da companhia é de R$ 4,9 bilhões e suas ações estão sendo negociadas a 3,69x o valor patrimonial.


Sabesp (SBSP3)
Segunda Revisão Tarifária Ordinária (RTO)

A Sabesp informou que foi publicado ontem (28/fev), no Diário Oficial do Estado de São Paulo (DOE), Extrato da Ata da 480ª Reunião de Diretoria da ARSESP – Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo, de 06 de fevereiro de 2019.

  • A Arsesp deliberou pelo não acolhimento do pedido de reconsideração (recurso administrativo) sobre a 2ª RTO, concluída em maio de 2018. O Índice de Reposicionamento Tarifário (IRT) determinado pela Arsesp para a Sabesp no ciclo 2017-2020 foi de 3,5070% e abaixo do que havia sido anteriormente proposto pela própria agência reguladora no processo da 2ª RTO (4,7744%).
  • Nesse contexto esperamos um aumento de volatilidade sobre as ações da companhia que registram alta de 24,9% este ano para uma cotação de R$ 39,35/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 26,9 bilhões. Temos recomendação de compra com preço justo de R$ 52,00/ação.
  • Em relação ao segundo pedido de esclarecimentos e revisão, por meio do qual a Sabesp solicitou:
  • explicitação dos motivos que levaram à redução significativa nas projeções finais do OPEX para o período de 2017 a 2020; e (b) revisão dos cálculos do Fator X, do ajuste compensatório pelo atraso na aplicação da 2ª Revisão Tarifária Ordinária e do cálculo do componente financeiro referente a fundos municipais, a Arsesp deliberou pela aprovação da Nota Técnica NTF-0010-2018 (não divulgada) referente ao pedido de esclarecimentos e revisão, “devendo as correções dos erros e imprecisões apresentadas serem realizadas quando da aplicação do reajuste tarifário anual (maio/19), com índice de 0,8408%, que já contempla a compensação pelo período transcorrido”.

Copasa (CSMG3)
Lucro em 2018 de R$ 579 milhões, cresce 3,3% ante 2017

A Companhia de Saneamento Básico de Minas Gerais (Copasa) registrou no 4T18 um lucro líquido de R$ 178 milhões, acumulando em 2018 um lucro líquido de R$ 579 milhões, 3,3% superior ao lucro de R$ 560 milhões de 2017. Esse resultado foi impactado por redução de volume, recomposição parcial dos preços, e comportamento dos custos e despesas, acima do crescimento das receitas, resultou na queda do EBITDA. O resultado financeiro veio levemente melhor, contribuindo e pequena parte para o incremento do lucro.

  • Ao preço de R$ 61,95/ação as CSMG3 registram alta de 0,7% este ano e de 51,3% em 12 meses.
  • Em base anual a receita líquida cresceu 4,4% entre 2018 e 2017 para R$ 4,2 bilhões. Os custos e despesas registraram alta de 7,9% para R$ 3,3 bilhões, resultando na queda de 2,0% do EBITDA para R$ 1,5 bilhão. A margem EBITDA caiu de 38,0% em 2017 para 35,7% em 2018. O resultado financeiro melhorou, passando de despesa financeira líquida de R$ 201 milhões para despesa financeira líquida de R$ 192 milhões, nesta mesma base de comparação.
  • Ao final de dezembro de 2018 a dívida líquida da Copasa era de R$ 3,3 bilhões, equivalente a 2,2x o EBITDA, que se compara a 1,8x de dez/17. Em 2018 a companhia realizou investimentos de R$ 732 milhões, volume 36% maior que em 2017. Para 2019 estão previstos investimentos de R$ 786 milhões, sendo R$ 750 milhões para a Copasa MG e R$ 36 milhões para a Copanor.

Banco Pine (PINE4)
Prejuízo no 4T18 e em 2018

O Banco PINE registrou no 4T18 um prejuízo líquido recorrente de R$ 40 milhões, acumulando em 2018 um prejuízo líquido recorrente de R$ 28 milhões, que se compara ao prejuízo líquido recorrente de R$ 237 milhões em 2017. Este resultado foi impactado (i) pela redução da alíquota de CSLL de 20% para 15% sobre o estoque de crédito fiscal do banco, aliado ao (ii) impairment e PDD.

  • A visão estratégica do banco permanece sendo realizada através da pulverização da carteira (Corporate II), focada na penetração em clientes (empresas Médias e Grandes) com faturamento anual de até R$ 500 milhões, otimização dos processos internos, aumento da cesta de produtos/serviços e investimentos em tecnologia. Esse movimento deve ser consolidado em 2019.
  • No preço atual os papéis do banco estão sendo negociados a 0,38x o seu valor patrimonial. Temos recomendação de compra e preço justo de R$ 3,70/ação.
  • O Banco PINE continua consolidando sua estratégia de ampliação da atuação no segmento do Corporate II com exposição da carteira expandida, alcançando o valor R$ 739 milhões no 4T18 (crescimento de 91,4% em relação ao 3T18) representado por 208 clientes; aliado a pulverização de risco da carteira de crédito, com um saldo de ticket médio abaixo de R$ 9,0 milhões. Destaque também para o aumento do número de clientes ativos em 22,8% (base 12 meses) para 469 grupos.
  • Ao final de dez/18 o Índice de Basileia do banco era de 12,8%, adequado para sua estratégia atual de crescimento. Na mesma base de comparação os Ativos Totais somavam R$ 9,3 bilhões e o Patrimônio Líquido era de R$ 869 milhões. Seu balanço permanece conservador com liquidez equivalente a R$ 1,9 bilhão.

Banrisul S.A. (BRSR6)
Ex JCP em 8 de março

O banco deliberou pelo pagamento em 28/03/19 de juros sobre o capital próprio (JCP) referente ao 1T19 no valor total de R$ 127,7 milhões, equivalente a R$ 0,31219003/ação PNB.

Serão beneficiados os acionistas com posição em 07 de março de 2019, passando as ações a ser negociadas “ex-direito” aos juros a partir de 08/03/2019. O yield líquido é de 1,0%.


Se preferir, baixe em PDF:

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.