Clima negativo em razão da expectativa de exoneração do ministro Gustavo Bebianno

MERCADO


Bolsa
A B3 pesou ontem em dia de clima negativo em razão da expectativa de exoneração do ministro Gustavo Bebianno que só aconteceu no começo da noite. Neste ambiente o índice fechou em baixa de 1,04%, aos 96.510 pontos. O giro financeiro foi de R$ 18,1 bilhões, sendo R$ 7,7 bilhões referentes ao exercício de contratos de opções sobre ações. O volume no mercado à vista ficou mais baixo devido ao feriado nos EUA “Dia do Presidente dos Estados Unidos”. Hoje, em dia de agenda esvaziada, a 2ª prévia do IGP-M registrou alta de 0,55% após deflação de 0,01% na leitura anterior. Mais cedo, as bolsas europeias e futuros americanos operavam em campo negativo. No front interno, a continuidade da safra de balanços corporativos e possíveis desdobramentos das questões políticas.

Câmbio
No sentido inverso da bolsa, o dólar encontrou espaço para subir, fechando cotado a R$ 3,7344 (+0,79%). O feriado nos EUA teve efeito também sobre o volume do dia

Juros
Os juros futuros também foram pressionados pela esperada demissão do ministro da Secretaria Geral da Presidência, Gustavo Bebianno. No fechamento a taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro/20 estava em 6,390%, ante 6,370% no ajuste de sexta-feira. Para janeiro/25 o DI subiu de 8,531% para 8,69%.

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Itaúsa (ITSA4)
Trimestral recorrente acima do esperado

A Itaúsa registrou no 4T18 um lucro líquido recorrente de R$ 2,7 bilhões, acumulando em 2018 um lucro recorrente de R$ 9,4 bilhões, com crescimento de 5,7% em relação ao lucro de R$ 8,9 bilhões de 2017. Um trimestre acima do esperado e que refletiu o resultado do Itaú Unibanco e das companhias investidas não financeiras.

  • Com base nos resultados e nas perspectivas para 2019, elevamos o preço justo de R$ 14,54/ação para R$ 16,00/ação e seguimos com recomendação de COMPRA.
  • Ainda, com base no resultado reportado, o Conselho de Administração da Itaúsa aprovou ontem (18/fev) o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor de R$ 0,3111/ação; e de dividendos adicionais no valor de R$ 0,4532/ação.
  • Estes proventos serão pagos em 07.03.2019, tendo como base de cálculo a posição acionária final do dia 21.02.2019. Assim, as ações passam a ser negociadas na condição ex-proventos em 22 de fevereiro de 2019. Com base na cotação de R$ 12,96/ação o retorno líquido é de 5,5%.

Randon (RAPT4)
Forte crescimento da receita em janeiro/2019
A Randon divulgou nesta manhã seus números de receita em janeiro/20919, que foram muito bons.

  • A receita líquida consolidada em janeiro/2019 atingiu R$ 347,4 milhões, valor 26,0% maior que igual mês de 2018;
  • Os resultados consolidados da Randon acumulados nos primeiros nove meses de 2018 apresentaram elevações de 46,4% da receita, 89,3% no EBITDA e 169,6% no lucro líquido.

Nossa recomendação para RAPT4 é Compra com Preço Justo de R$ 10,80/ação, indicando um potencial de alta em 14%.  Nos últimos doze meses, esta ação subiu 10,4%, enquanto o Ibovespa teve uma valorização de 14,2%.


Triunfo (TPIS3)
Dados operacionais positivos em janeiro

A Triunfo Participações divulgou dados de suas operações com concessões rodoviárias e o aeroporto de Viracopos, mostrando dados positivos em ambos os negócios.  No entanto, os problemas da concessionária Econorte prejudicaram os dados de tráfego consolidados.

  • No segmento de rodovias, a Triunfo tem quatro empresas concessionárias, nas quais o tráfego total em janeiro/2019 foi de 11,7 milhões de veículos, volume 2,1% menor que em igual mês do ano passado;
  • No aeroporto de Viracopos, os dados operacionais em janeiro foram muito positivos.  O número de aeronaves que circularam no aeroporto teve uma elevação de 8,9% e o volume de cargas aumentou 6,0%.

Neste ano, TPSI3 subiu 30,8% e o Ibovespa valorizou-se em 9,8%.


Eneva S.A. (ENEV3)
Início da implantação da UTE Parnaíba V

A Eneva entregou à Techint notificação para início da implantação da UTE Parnaíba 5A e 5B, com capacidade instalada de 385 MW, a ser instalada no Complexo Termelétrico Parnaíba, estado do Maranhão, cujo prazo de construção previsto é de 31 meses.

  • Ao preço de R$ 18,71/ação, correspondente a um valor de mercado de R$ 5,9 bilhões suas ações registram alta de 16,3% este ano. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 12,3x e VE/EBITDA de 7,6x.
  • Segundo comunicado, “o início da construção da UTE Parnaíba V era esperado apenas para o 2º semestre de 2019. Entretanto, após a emissão da outorga pelo Ministério de Minas e Energia (MME), a companhia e a Techint aceleraram a emissão das garantias financeiras contratuais, permitindo a antecipação do cronograma de implantação, cujas atividades poderão ser realizadas durante o período de seca de 2019, acelerando assim a execução física do projeto”.
  • A Eneva destacou também “que foi protocolado junto à Receita Federal do Brasil pleito para habilitação da UTE Parnaíba V no REIDI – Regime Especial de Incentivos para o Desenvolvimento da Infraestrutura, que garantirá a suspensão da exigência do PIS/Cofins incidentes sobre os bens, serviços e locações incorporados na obra”.

Se preferir, baixe em PDF:

 

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.