Banco Itaú caí 4,3% e Ibovespa ​encerra o dia com queda de 0,3%

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa encerrou o pregão da terça-feira com queda de 0,28% aos 98.311 pontos, com giro financeiro de R$ 13 bilhões. Com a repetição do mesmo noticiário dos últimos dias, os resultados corporativos ganham relevância.  Ontem o destaque ficou para o Banco Itaú, a ação que tem maior peso no índice encerrou o dia com queda de 4,3%. Hoje a agenda econômica tem como destaque a taxa Selic, atualmente em 6,50%, sem expectativa de alteração. O BC faz leilão de 10.330 contratos de swap cambial para rolagem dos vencimentos de março e sai também a produção de veículos em janeiro (Anfavea). Na Europa, ministros britânicos estudam a possibilidade de adiar o Brexit para 24 de maio, como um período de carência de dois meses após 29/03, (data prevista para a separação do Reino Unido do bloco). As bolsas lá foram mostram queda generalizada na zona do euro após vários dias de alta. A queda de hoje reflete a preocupação com dados econômicos da Alemanha. Do lado doméstico, segue a expectativa em relação ao texto proposto para a reforma da Previdência. O aumento na safra de resultados deverá ter maior peso na bolsa nos próximos dias.

Câmbio
Mesmo sem notícias importantes, o dólar teve um dia de volatilidade e encerrou o dia com pequena queda de 0,15%, cotado a R$ 3,6644 no mercado à vista.

Juros
As taxas de juros subiram ontem na projeção de longo prazo (jan/25) com o contrato de DI passando de 8,56% para 8,63%. Na ponta mais curta a taxa ficou estável em 6,37%.

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS


Banco ABC Brasil (ABCB4)
Lucro de R$ 457,8 milhões em 2018, em linha com o esperado

O Banco ABC Brasil registrou um lucro líquido recorrente de R$ 121,4 milhões no 4T18 com crescimento de 4,6% em relação ao 3T18 e de 9,8% em relação ao mesmo período de 2017.  Mais um bom resultado, em linha com o esperado. Em 2018 o lucro líquido recorrente somou R$ 457,8 milhões (+5,7% sobre 2017) e em linha com os R$ 460,0 milhões que estimávamos. O Retorno Anualizado sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) recorrente foi de 13,3% no 4T18 e de 13,2% em 2018.

  • Ao preço de R$ 20,08/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 4,2 bilhões, suas ações registram alta de 23,7% este ano. Temos recomendação de COMPRA para as ABCB4 com preço justo de R$ 22,00/ação, equivalente a um potencial de alta de 9,6%. O banco está sendo negociado a 1,16x o seu valor patrimonial e com P/L de 8,7x para 2019.
  • Projeções. O banco registrou um crescimento da Carteira Expandida em 2018 de 7,0%, abaixo do intervalo previsto (entre 9% e 13%). Já as Despesas de Pessoal e Outras Administrativas cresceram 6,0% no teto das projeções (entre 4% e 6%). Para 2019 as expectativas apontam para um crescimento da carteira de crédito entre 11% e 15% e das despesas de pessoal e outras administrativas, entre 4% e 6%.

Sanepar (SAPR11)
Bom 4T18 por melhora do resultado operacional e reversão de provisão trabalhista

A Sanepar registrou no 4T18 um lucro líquido de R$ 320,0 milhões, 107,5% superior aos R$ 154,2 milhões do 4T17. Esse resultado foi construído a partir da melhora do resultado operacional e das margens; e também pela reversão de provisão trabalhista no valor líquido de R$ 44,1 milhões. O EBITDA cresceu 23,9% totalizando R$ 475,7 milhões, com +5,9pp na margem ebitda para 43,3%. O resultado financeiro também foi melhor no trimestre.

  • Ao preço de R$ 76,00/unit (equivalente a um valor de mercado de R$ 7,7 bilhões), suas ações registram alta de 27,0% este ano. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 7,8x e um VE/EBITDA de 5,6x.
  • No acumulado de 2018 a registrou um lucro líquido de R$ 892,5 milhões, 30,1% superior ao lucro de R$ 686,2 milhões de 2017, explicado pelo crescimento da receita de 7,6% para R$ 4,2 bilhões e notadamente pela melhora operacional, com crescimento do EBITDA de 18,7% totalizando R$ 1,6 bilhão.
  • A margem EBITDA passou de 35,8% em 2017 para 39,5% em 2018. Ao final de dezembro de 2018 sua dívida líquida somava R$ 2,4 bilhões equivalente a 1,5x o EBITDA, e que se compara a R$ 2,5 bilhões equivalente a 1,6x o EBITDA em set/18.

Vale (VALE3)
Força maior e investimentos em barragens

A Vale enviou dois comunicados ao mercado ontem, após o pregão, ainda relacionados ao acidente de Brumadinho.

  • No primeiro comunicado, a Vale informa que declarou “força maior” em vários contratos de venda de minério e pelotas correlatos à produção da mina de Brucutu.  Com esta medida a empresa pode deixar de cumprir as entregas contratadas sem penalidades;
  • A Vale também informou ontem seus investimentos em barragens.  A empresa vai investir em barragens no Brasil um total de R$ 256 milhões (cerca de US$ 70 milhões) neste ano, valor 6,2% maior que em 2018;
  • Protagonista em um acidente com enormes perdas humanas e materiais, é esperado que a empresa emita vários destes comunicados.  Com isso, suas ações devem flutuar após as seguidas notícias negativas ainda esperadas, como desdobramento do acidente ocorrido na Barragem I da Mina do Córrego de Feijão no dia 25 de janeiro.

Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Baixar PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.