Perspectiva positiva para as propostas do governo

MERCADO


Bolsa
A B3 passou o pregão da sexta-feira na expectativa da eleição dos presidentes da Câmara e do Senado. No caso da Câmara a reeleição de Rodrigo Maia do (DEM-RJ) já era esperada e no Senado, a tumultuada vitória de Davi Alcolumbre (DEM-AP), abre uma perspectiva positiva para as propostas do governo. No fechamento, o Ibovespa marcou alta de 0,48% aos 97.891 pontos, com giro financeiro de R$ 13,9 bilhões. Hoje, a agenda econômica traz o IPC-Fipe de janeiro com alta de 0,58% e dados do exterior sem peso para nosso mercado. Nos EUA, segue a disputa Trump x Congresso americano. As bolsas internacionais mostram alta no fechamento da Ásia e oscilam na zona do euro, nesta manhã. Do lado doméstico, as eleições na Câmara e no Senado, podem melhorar o cenário para o governo, com reflexo na bolsa. Os investidores estrangeiros continuam entrando com recursos na B3.

Câmbio
A moeda americana encerrou a sexta-feira com queda de 0,03% cotada a R$ 3,6580 em dia de definição dos presidentes da Câmara e do Senado. Do lado da Câmara não houve surpresa com a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ). O dólar para março fechou cotado em alta de 0,40%, a R$ 3,6650.

Juros
A taxas de juros futuros fecharam o dia em queda com o cenário doméstico mostrando otimismo em relação aos próximos passos do governo. Na semana, o DI jan/21 passou de 7,20% para 6,94%, e o DI janeiro de 2025 foi de 8,89% para 8,54%.

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS


São Martinho (SMTO3)
Cisão Total/Incorporação da Usina Santa Luiza S.A. e Incorporação da Pulisic Participações Ltda.

Em continuidade ao Fato Relevante divulgado ao mercado em 10 de dezembro de 2018, a São Martinho comunica que a AGE realizada na sexta-feira (01/fev) aprovou: (a) a cisão total e incorporação das parcelas cindidas da Usina Santa Luiza S.A. (“USL”) pela companhia (na proporção de 66,67%) e pela Cosan S.A. (na proporção de 33,33%), e a consequente extinção da USL; e (b) a incorporação da Pulisic Participações Ltda. (“Pulisic”) e sua consequente extinção.

  • Já era esperado. Não houve aumento de capital social em decorrência destas operações, que visam à utilização mais eficiente dos ativos, gerando maior eficiência, sinergia e racionalização dos custos administrativo-financeiros.
  • Ao preço de R$ 19,12/ação, equivalentes a um valor de mercado de R$ 6,7 bilhões, suas ações registram alta de 5,1% este ano. O preço justo de R$ 25,00/ação embute um potencial de alta de 30,7%.

Petrobras (PETR4)
Comunicados importantes

Na última sexta-feira, a Petrobras fez três comunicados importantes ao mercado, versando sobre o início da produção na plataforma P-67, o recebimento da subvenção econômica à comercialização de óleo diesel e a precificação das debêntures.

  • No dia 1/fevereiro, a plataforma P-67 iniciou sua produção, tendo capacidade para processar diariamente até 150 mil barris de óleo e comprimir até 6 milhões de m³ por dia de gás natural;
  • A Petrobras informou que recebeu, também na sexta-feira, o pagamento no valor de R$ 684,2 milhões pela subvenção econômica à comercialização de óleo diesel;
  • Foi precificada a emissão de R$ 3,6 bilhões em debêntures simples, com juros compatíveis com as taxas pagas pelo Tesouro em prazos semelhantes;
  • Podemos classificar estes comunicados como positivos, mas sem efeito importante nas ações.

Boletim Focus
Mercado revisa para baixo estimativas para Taxa Selic em 2019

Dentre as alterações contidas no Boletim Focus no último Boletim Focus desta segunda-feira, destaque para o novo arrefecimento das estimativas para o IPCA de 2019, assim como as atualizações dos últimos 5 dias. Para o PIB, a mediana das estimativas não mostrou alteração. Para a Taxa de Câmbio, a mediana registrou apreciação do real frente ao dólar. Por fim, o mercado alterou pela primeira vez neste ano suas estimativas para a Taxa Selic.

Já mediana do agregado para a produção industrial se mostrou estável, sugerindo crescimento de 3,04% em 2019. Para os demais indicadores de relevância, não houve alteração em relação às estimativas anteriores.

Com isso, para 2019, as expectativas para o IPCA ficaram em 3,94%, o PIB em 2,50%, Taxa

de Câmbio R$/US$ 3,70 e a Meta da Taxa Selic em 6,50% a.a.

Destaques do Boletim Focus publicado na segunda-feira, para 2019:

  • IPCA: 3,94%;
  • IPCA (atualização dos últimos 5 dias): 3,90%;
  • PIB: 2,50%
  • Taxa de Câmbio: R$/US$ 3,70;
  • Meta Taxa Selic: 6,50% a.a.

Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Baixar PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.