Ibovespa abre a semana com alta

As principais notícias do mercado estão aqui, para você começar o dia bem informado.

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa abriu a semana com alta de 0,87% marcando 94.474 pontos com giro financeiro de R$ 13,7 bilhões. O bom desempenho da bolsa mostra que o mercado segue descolado do mercado internacional, que ontem encerrou com queda, depois dos números fracos da economia chinesa. A expectativa positiva em relação à reforma da Previdência vem sustentando o bom humor dos investidores. Hoje a agenda econômica vem carregada de dados do exterior, mas com pouca relevância para nosso mercado. Do lado doméstico, destaque para as vendas a varejo em novembro, com alta 2,9%no M/M e 4,4% no A/A. Após a divulgação de dados negativos da balança comercial chinesa, o governo do País anunciou que planeja reduzir impostos para combater a desaceleração na economia. A notícia puxou as bolsas para cima na Ásia e na zona do euro, nesta manhã, o movimento também é de alta. Nosso mercado segue no otimismo em relação a medidas do novo governo.

Câmbio
O dia foi de oscilação na moeda americana, mas com liquidez reduzida. O mercado de câmbio reagiu ao noticiário externo na China e Estados Unidos. No final da sessão, o dólar à vista fechou em baixa de 0,33%, a R$ 3,7011.

Juros
Os juros futuros encerraram o dia em baixa seguindo a curva do dólar. Ao final da sessão estendida na B3, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em jan/20 ficou com taxa de 6,59%, ante 6,63% do ajuste de sexta-feira. A taxa para jan/25 caiu de 8,95% para 8,91%.

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS


Petrobras (PETR4)
Manifestação de interesse em áreas da 6ª. rodada de partilha

A Petrobras informou ontem, após o pregão, que comunicou ao Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) seu interesse em três blocos da 6ª rodada de partilha do pré-sal, que está prevista para novembro de 2019.

  • Com esta manifestação, se perder a concorrência pelas áreas, a empresa poderá exercer a preferência no dia do leilão e garantir a operação e 30% dos contratos.  A Petrobras investirá neste leilão, mínimo, R$ 1,8 bilhão em bônus de assinatura.  No leilão de partilha, o bônus é fixo e a concorrência se dá por participação da União no excedente de óleo.
  • A Petrobras tem interesse em ser operadora nos blocos de Aram, Norte de Brava e Sudoeste de Sagitário.
  • É uma boa notícia para a Petrobras a possibilidade de ampliar seu portfólio de exploração, em áreas do pré-sal com alto potencial.
  • Nossa recomendação para PETR4 é de Compra com Preço Justo de R$ 33,00/ação, indicando um potencial de alta em 33%.  Nos últimos doze meses, esta ação subiu 49,7%, comparado a uma alta de 19,1% do Ibovespa.

Taesa (TAEE11)
Cade aprova aquisição de transmissoras

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou, sem restrições, a aquisição pela Transmissora Aliança de Energia Elétrica (Taesa) de:

  • 100% do capital da São João Transmissora e da São Pedro Transmissora;
  • 51% das ações da Triângulo Mineiro Transmissora de Energia (TMT) e da Vale do São Bartolomeu Transmissora (VSB).

A Taesa possui um histórico de sólidos resultados e se destaca entre as melhores pagadoras de dividendos da B3.

A companhia divulgará os resultados de 2018 no dia 20/02.

A ação TAEE11 encerrou ontem cotada a R$ 25,40 acumulando valorização de 7,6% no ano.


Suzano Papel e Celulose (SUZB3)
Conclusão da transação com a Fibria

Após o anúncio da transação entre Suzano e Fibria em 15 de março de 2018, ontem (14), as companhias comunicaram a conclusão deste negócio. A última etapa da operação foi realizada após o pagamento da Suzano de R$ 27,8 bilhões aos acionistas da Fibria, os quais se tornam acionistas da Suzano, sob nova marca da empresa, a Eucalipto Holding S.A.

A conclusão do negócio precisou da aprovação de autoridades concorrenciais dos Estados Unidos (31/05), da China (31/08), da Turquia (06/09), da Europa (29/11) e do Brasil (Cade – Conselho Administrativo de Defesa Econômica – 11/10 – e da ANTAQ – Agência Nacional de Transportes Aquaviários – 14/11) e do término do contrato de vendas de celulose da Fibria com a Klabin, como remédio imposto.

Ontem a ação SUZB3 encerrou cotada a R$ 38,86 acumulando valorização de 2,0% neste ano, após alta de 104,7% em 2018. O valor de mercado atual da companhia é de R$ 52,4 bilhões.


Klabin (KLBN11)
Linha de empréstimo bancário de US$ 1,1 bilhão

Segundo o jornal Valor Econômico, A Klabin se encontra um processo final para a conclusão da contratação de uma linha de crédito bancário no montante de US$ 1,1 bilhão, cujo prazo é de 5 anos e seu objetivo é para fazer o refinanciamento de passivos.

  • Resumo:
  • Valor contratado: US$ 1,1 bilhão;
  • Prazo: 5 anos;
  • Custo da Operação: 1,35% + Libor, que será dividida numa linha de US$ 600 milhões via pré pagamento de exportação e outra de US$ 500 milhões como revolving credity facility (semelhante a um cheque especial, com a possibilidade de acessar assim que necessário).

No 3T18 o endividamento líquido da Klabin somava R$ 12,8 bilhões e a relação dívida líquida EBITDA foi de 3,4x em reais.

Ontem a unit (KLBN11 – 1 ON + 4PN’s) encerrou cotada a R$ 17,16, ao valor de mercado de R$ 20,0 bilhões as units acumulam valorização de 8,1% em 2019.


Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Baixar PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.