Índice Bovespa registra terceira alta consecutiva

As principais notícias do mercado estão aqui, para você começar o dia bem informado.

MERCADO


Bolsa
O Ibovespa fechou ontem com alta de 0,99% aos 87.838 pontos, a terceira consecutiva, sustentada principalmente pelas ações do setor financeiro, de maior peso no índice. Já a alta dos preços do petróleo favoreceu os papéis da Petrobras. Com a falta de notícias no cenário doméstico, o ambiente internacional manteve-se como principal referência dos negócios. O giro financeiro somou R$ 10,8 bilhões, abaixo da média de dezembro (R$ 15,6 bilhões). O fluxo de recursos externos na B3 segue positivo em dezembro  mas mostra desaceleração. A agenda hoje trouxe o IGP-10 com deflação de 1,23% frente -0,16% da leitura anterior. Nos EUA, os dados de atividade com as Vendas no Varejo e a Produção Industrial de novembro. Os dados da indústria e varejo da China frustraram as expectativas e ampliam o receio de desaceleração global, derrubando as bolsas na Europa, os futuros americanos, e as commodities, fortalecendo o dólar contra moedas de exportadores de matérias-primas. Assim, o cenário, favorece algum movimento de realização.

Câmbio
Em dia de menor volume de negócios, o câmbio foi influenciado pelos movimentos no mercado externo. A tendência de redução do diferencial de juros entre o Brasil e os EUA, após o Copom sinalizar a manutenção da Selic por um bom tempo, também contribuiu. Assim, após dois dias de queda, o dólar registrou alta de 0,67% a R$ 3,8840.

Juros
Ontem, os juros operaram na contramão do dólar, refletindo o tom mais ameno do Copom aliado aos dados fracos do varejo, que indicam uma economia deprimida. Ao final da sessão regular, o DI para janeiro de 2019 fechou em 6,401%, em linha com os 6,402% do ajuste anterior, dado que a manutenção da Selic em 6,50% era amplamente esperada. A taxa do DI para janeiro de 2020 caiu de 6,721% para 6,620% e a taxa do DI para janeiro de 2021 encerrou a 7,59%, ante 7,753% no ajuste anterior.

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS


Cyrela (CYRE3)
Dividendos Intermediários de R$ 230 milhões

A companhia informou ontem (13), que seu conselho de administração aprovou o pagamento de dividendos intermediários no montante total de R$ 230 milhões, equivalente a R$ 0,598713383 por ação ordinária. Levando em consideração a última cotação de fechamento de CYRE3, o retorno para o acionista (Dividend Yield) é de 3,9%.

Resumo

  • Montante: R$ 230 milhões (R$ 0,598713383/ação ordinária (ON))
  • Retorno para o acionista: 3,9%
  • Data “ex”: 19/12/2018
  • Data de pagamento: 18/12/2018

A ação CYRE3 encerrou cotada a R$ 15,21, acumulando valorização de 19,7%. Ao valor de mercado de R$ 5,8 bilhões, suas ações estão sendo negociadas a 1,1x o valor patrimonial.


Ultrapar (UGPA3)
Investimentos programados para 2019

A Ultrapar divulgou seu plano de investimentos para 2019, que somará R$ 1.762 milhões. O valor será menor que em 2018.

  • Ao final de 2017, a Ultrapar divulgou um plano de investimentos que atingia R$ 2,7 bilhões para 2018.  Porém, a mudança no cenário do segmento de distribuição de combustíveis, principalmente, levou a empresa a executar bem menos que o anteriormente projetado;
  • Em 2018, a redução dos investimentos foi uma das estratégias usadas pela Ultrapar para reduzir seu endividamento e mudar o foco da empresa.  Os números divulgados para 2019 indicam que este direcionamento deve persistir.

Eletrobras (ELET3, ELET6)
Tribunal de NY aprova em definitivo Acordo em ação coletiva

O Tribunal Distrital dos Estados Unidos para o Distrito Sul de Nova York aprovou em 12 de dezembro, o acordo definitivo da ação coletiva movida contra a companhia e executivos por investidores titulares de American Depository Shares – ADS.

  • O acordo já havia sido apresentado à Corte em 29 de junho de 2018, e aprovado de forma preliminar, em 17 de agosto de 2018; e contemplava o pagamento de US$ 14,75 milhões em contrapartida à exoneração completa de quaisquer acusações e responsabilidades em face da Eletrobras e executivos envolvidos na ação coletiva.
  • Em outra notícia positiva, foi confirmado pela justiça, o Leilão de Concessão de Serviço de Distribuição de Energia Elétrica associada à alienação de ações da Amazonas Distribuidora de Energia S.A, ocorrida no dia 10 de dezembro de 2018.
  • Da mesma forma, está confirmada a Sessão Pública do Leilão de Concessão de Serviço de Distribuição de Energia Elétrica associada à alienação de ações da Companhia Energética de Alagoas – CEAL, através de leilão no dia 19 de dezembro de 2018.

Copasa (CSMG3)
Conselho recomenda a aprovação do Programa de Investimentos para 2019

O Conselho de Administração da Copasa decidiu recomendar a aprovação do Programa de Investimentos para o exercício de 2019 no valor de R$ 786 milhões, sendo R$ 750 milhões para a Copasa MG e R$ 36 milhões para a Copanor.

  • De acordo com comunicado, os valores projetados como referencial para o Programa Plurianual de Investimentos da Copasa MG, que darão suporte ao referido Plano de Negócios de Longo Prazo, para os exercícios de 2020 a 2023, são de R$ 800 milhões para cada ano.
  • Ao final de setembro a dívida líquida da Copasa era de R$ 3,1 bilhões, equivalente a 2,1x o EBITDA. No acumulado de 9M18 a companhia realizou investimentos de R$ 512 milhões, volume 43% maior que no 9M17.
  • Ao preço de R$ 54,17/ação as CSMG3 registram alta de 36,1% este ano. O preço justo de R$ 55,00 corresponde a um potencial de alta de 1,5% para suas ações. Os múltiplos para 2019 são: P/L de 9,7x e VE/EBITDA de 5,6x.

Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Baixar PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.