Disputa comercial entre China e EUA ​pode ditar mais um dia nervoso para a B3

MERCADO


Bolsa
Na sexta-feira o Ibovespa sofreu os efeitos da volatilidade dos ativos no mercado internacional, encerrando o dia com queda de 0,82% aos 88.115 pontos, acumulando perda de 1,55% na semana. Do lado doméstico, a proximidade da mudança de governo e a expectativa em relação a propostas firmes para 2019 ainda sustenta o viés de alta. Na ponta contrária, os fatores econômicos no exterior e comportamento das principais commodities, trouxeram mais volatilidade aos mercados. No mercado de petróleo, a Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados anunciaram ter decidido cortar a sua produção conjunta em 1,2 milhão de barris por dia (bpd) em relação aos níveis de outubro de 2018. A agenda econômica abre a semana com O IPC-S com queda de 0,6% e dados da União Europeia e China, sem peso por aqui. As bolsas internacionais seguem pesadas com a continuidade da disputa comercial entre EUA e China podendo ditar mais um dia nervoso para a B3.

Câmbio
Dia de volatilidade também no mercado de câmbio, refletindo os mesmos fatores que pesaram sobre as bolsas. No dia a moeda americana subiu 0,38% a R$ 3,8953 (a quarta alta consecutiva). Na semana, o dólar à vista acumulou alta de 0,95%.

Juros
A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechou a semana em 6,790%, de 6,882% no ajuste da quinta-feira. Os dados fracos do “payroll” e os assuntos externos pressionaram os principais ativos financeiros. A taxa do DI para jan/25 encerrou em 9,71%, de 9,702%.

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS


Bradesco (BBDC4)
5º Insurance Day Bradesco

O banco através da Bradesco Seguros realizou na sexta-feira (7/dez) sua 5ª reunião com analistas e investidores. Os resultados do setor já eram conhecidos e as perspectivas se mostram promissoras para os próximos anos. Este ano, o lucro do 9M18 do setor de seguros cresceu 11,1% ante o 9M17 e somou R$ 4,6 bilhões, equivalente a 29,3% do lucro do banco (R$ 15,7 bilhões) no período, em linha com 29,1% no 9M17 (lucro de R$ 14,2 bilhões). Em média, 30% do resultado líquido do banco, vêm das atividades de seguro.

  • Seguimos com recomendação de compra para BBDC4 com preço justo de R$ 45,00/ação, que oferece um potencial de alta de 18,8% em relação à cotação de R$ 37,89/ação. Nesse preço o valor de mercado do banco é de R$ 254,6 bilhões, sendo negociado a 2,2x o valor patrimonial e com P/L de 10,7x para 2019.
  • O setor de seguros no Brasil representa apenas 1,7% do Mercado Global, e ainda possui baixa penetração, oferecendo importante oportunidade de captura desse potencial crescimento. Somos a 8ª economia do mundo e o volume de Prêmios nos coloca na 12ª posição, equivalente a 4,0% do PIB. Por segmento temos apenas 30% da Frota de Veículos Segurados, 23% da população com Planos de Saúde, somente 14% das Residências Seguradas e 11% da População com Plano Odontológico.
  • O Bradesco detém destacada participação de mercado no setor, sendo o líder com 24,7% de participação de mercado. Por segmento, em Vida o banco detém 19,2% de market share; é o segundo em Previdência Privada (25,7%); o primeiro em Saúde com 47,2% de participação de mercado, e o primeiro em Capitalização (29,8%).

ENGIE Brasil Energia (EGIE3)
Aumento de capital com bonificação de ações

Na AGE da companhia, realizada em 07 de dezembro, foi aprovado o aumento do capital no valor de R$ 2,074 bilhões, através da capitalização de lucros e reservas. Serão emitidas 163.185.548 novas ações ordinárias, e distribuídas a título de bonificação, na proporção de 1 (uma) nova ação para cada 4 (quatro) ações ordinárias de sua titularidade.

  • Farão jus à bonificação, os acionistas titulares de ações em 11/dez/18, sendo as ações negociadas “Ex-JCP” a partir de 12/dez/18. O custo das ações bonificadas será de R$ 12,70696135.
  • Após o aumento de capital e a bonificação de ações, o capital social da companhia passa a ser de R$ 4,902 bilhões, dividido em 815.927.740 ações ordinárias.
  • Ainda, de acordo com o Fato Relevante, o valor dos Juros Sobre o Capital Próprio (JCP) aprovados em reunião do conselho de administração realizada em 31/out/18, será ajustado para refletir o novo número total de ações de emissão da companhia, passando de R$ 0,6082033686/ação para R$ 0,4865626949/ação.

Banco Bradesco S.A. (BBDC4)
Pagamento de JCP complementares

O Conselho de Administração do banco deverá deliberar no próximo dia 21 de dezembro de 2018, o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) complementares, no valor total de R$ 4,665 bilhões, sendo R$ 0,663820730 por ação ordinária e R$ 0,730202804 por ação preferencial.

  • Se aprovada a proposta, serão beneficiados os acionistas com ações em 21.12.2018 (data da declaração), passando as ações a ser negociadas “ex-direito” aos juros complementares a partir de 26.12.2018.
  • O pagamento ocorrerá em 08.03.2019 e o retorno líquido é de 1,6%.

Petrobras (PETR4)
Recompra de títulos

Na última sexta-feira, durante o pregão, a Petrobras informou que vai realizar a recompra de títulos no valor de até US$ 1,5 bilhão.  Serão recomprados Global Notes com vencimento entre 2021 e 2043, e taxas que variam de 4,375% a 8,375% ao ano.

  • A melhoria no fluxo de caixa da empresa vem permitindo uma gestão ativa de sua dívida, o que é positivo;
  • Na divulgação do Plano de Negócios e Gestão 2019-2019, a Petrobras informou que sua relação Dívida líquida/EBITDA deve fechar 2018 próxima de 2,5x, caindo 2,0x ao final de 2019 e 1,5x em 2020.

CCR (CCRO3)
Resultados da Investigação do Comitê Independente

A CCR informou na sexta-feira, após o pregão, que seu Conselho de Administração recebeu o relatório do Comitê Independente, que foi constituído em fevereiro/2018 para investigar fatos denunciados no âmbito da Operação Lava Jato.
• O Comitê recomendou a adoção de várias medidas para reforçar a estrutura de controle e governança da CCR, trabalho para o qual serão contratadas três consultorias internacionais;
• Foi afirmado ainda, que as pessoas envolvidas nos atos ilícitos apurados pelo Comitê, já não são mais administradores da CCR ou de empresas do grupo.
char 2018 próxima de 2,5x, caindo 2,0x ao final de 2019 e 1,5x em 2020.


Telefônica Brasil (VIVIT4)
Novo programa de recompra de ações

O conselho de administração da Telefônica Brasil aprovou um novo programa de recompra de ações para posterior cancelamento, venda ou manutenção em tesouraria.

  • Serão adquiridas até o máximo de 583.422 ações ordinárias e de 37.736.465 ações preferenciais.
  • Prazo: Início a partir da deliberação do conselho até 06/06/20.
  • Na sexta-feira a ação VIVT4 encerrou cotada a R$ 46,76 acumulando valorização de 3,8% no ano.

Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Baixar PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.