Trégua comercial entre EUA e China e a valorização do petróleo

MERCADO


Bolsa
O dia foi de alta nas bolsas internacionais após a trégua comercial entre EUA e China e a valorização do petróleo com a decisão de controle da produção por importantes players deste mercado a poucos dias da reunião da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep). O Ibovespa capturou um pouco destas notícias, mas encerrou a segunda-feira com alta de apenas 0,35%, aos 89.820 pontos, com giro financeiro de R$ 17,6 bilhões. Hoje a agenda econômica traz a produção industrial de outubro no Brasil com alta de 0,2% no M/M e 1,1% no A/A, e também o IPC-Fipe mensal (novembro) com alta de 0,15% (expectativa: 0,20% e anterior: 0,48%). As bolsas internacionais voltam a cair com alguma desconfiança de investidores em relação ao anunciado acordo comercial entre China e Estados Unidos na reunião do G20 e a questão do Brexit ainda provoca discussões internas no Reino Unido. Do lado positivo, a nova alta do petróleo no mercado internacional, que pode ajudar para mais uma puxada nas ações da Petrobras. Ontem o petróleo WTI para janeiro fechou em alta de 3,97%, a US$ 52,95 o barril, na Nymex, e o Brent para fevereiro avançou 3,75%, a US$ 61,69 o barril, na ICE.

Câmbio
Na ponta contrária da bolsa, a moeda americana encerrou o dia em queda de 0,46% cotada a R$ 3,8411. Os mesmos fatores que animaram a B3 foram responsáveis para o recuo do dólar.

Juros
Os juros futuros encerraram o dia com queda na ponta mais curta, com o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20, recuando de 6,992% no ajuste de sexta-feira para 6,95%. Já o DI para jan/25 subiu para 9,63%, de 9,572%.

 

ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS


Banrisul (BRSR6)
Aprovado Plano de desligamento por aposentadoria voluntária

O Banrisul informou ontem (03/dez) que não foi aceita pela Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Instituições Financeiras do Rio Grande do Sul (FETRAFI-RS) a proposta apresentada para formalização do acordo coletivo de trabalho, contemplando o plano de desligamento por aposentadoria voluntária.

  • Diante disso, o banco aprovou novo plano de desligamento de empregados, denominado Plano de Desligamento por Aposentadoria Voluntária (PDAV), tendo como público alvo, os empregados aposentados pelo INSS, ou aptos para tanto. O número de desligamentos pelo PDAV será limitado a 600 (seiscentos) empregados, com prioridade aos que possuem mais tempo de serviço no Banco.
  • Temos recomendação de compra para BRSR6 com preço justo de R$ 24,00/ação.
  • Em adição aprovou o pagamento de JCP complementares referente ao 4T18 no valor total de R$ 30,0 milhões sendo de R$ 0,07332661 por ação PNB. Serão beneficiados os acionistas com posição de ações em 06 de dezembro de 2018, passando as ações a ser negociadas “ex-juros” a partir de 07 de dezembro de 2018. O pagamento ocorrerá em 26 de dezembro de 2018. O retorno líquido é de 0,3%.

CTEEP–Transmissão Paulista (TRPL4)
Transmissão Paulista (TRPL4) – Dividendos e JCP de R$ 1,225 bi. “Ex” em 07/dez

O Conselho de Administração da CTEEP aprovou o pagamento em 17.dez.18 de proventos no valor total bruto de R$ 1,225 bilhão, correspondente a R$ 7,436826/ação sendo (i) R$ 633,0 milhões (R$ 3,842866/ação) a título de dividendos intermediários; e (ii) R$ 592,0 milhões (R$ 3,593960/ação) a título de juros sobre o capital próprio.

  • Será considerada a data de corte em 06 de dezembro de 2018, passando assim as ações de emissão da companhia a serem negociadas ex-dividendos a partir de 07 de dezembro de 2018.
  • Com base na cotação de ontem (03/dez) de R$ 72,90/ação o yield líquido é de 9,5%.

Camil Alimentos S.A. (CAML3)
Conclusão da aquisição da SLC Alimentos

A companhia concluiu ontem (03/dez) a aquisição da totalidade do capital social da SLC Alimentos Ltda. A parcela do preço de aquisição equivalente a R$ 140,0 milhões devida nesta data pela totalidade do capital social da SLC Alimentos foi paga pela Camil, conforme termos e condições constantes do contrato de compra e venda da Operação.

  • Este ano suas ações registram queda de 8,0% para cotação de R$ 7,04/ação (valor de mercado de R$ 2,9 bilhões). O preço justo de R$ 11,25/ação embute um potencial de alta de 59,8%.
  • Lembrando que o preço de aquisição foi de R$ 180 milhões mais o endividamento da SLC Alimentos da ordem de R$ 128 milhões em 31/dez/17. A receita líquida da SLC Alimentos em 2017 foi de R$ 512 milhões e EBITDA somou R$ 32 milhões. Assim, o múltiplo VE/EBITDA pago foi de 9,6x.

Sabesp (SBSP3)
Governador eleito indica Benedito Braga como presidente da companhia

A BRF informou ontem (29/nov) ter retomado a operação nas linhas de frango e ampliado a produção de perus na unidade de Chapecó, no oeste de Santa Catarina. Assim, cerca de 1.100 funcionários da linha de frangos que estavam em lay-off, retornam aos seus postos de trabalho a partir de janeiro.

  • Para as linhas de perus de corte e inteiro/comemorativo, a estimativa é a criação de 700 novos postos de trabalho com início em março de 2019.
  • Suas ações registram queda de 38,5% este ano para R$ 22,50/ação (valor de mercado de R$ 18,3 bilhões). O preço justo de R$ 29,00 traz um potencial de alta de 28,9%.

Fleury (FLRY3)
Anúncio de duas aquisições

  • O Grupo Fleury fechou a aquisição de 100% do capital da Newscan Serviços Médios, que tem o total das ações da Lafe Serviços Médicos. O valor de aquisição é de R$ 170,0 milhões antes de deduções e ajustes.
  • Aquisição da Santécorp Holding por R$ 15,5 milhões.
  • Ontem a ação FLRY3 encerrou cotada a R$ 21,56 acumulando queda de 24,7% no ano, com valor de mercado de R$ 6,81 bilhões.

Fibria (FIBR3)
Distribuição de Dividendos equivalentes a R$ 5,03/ação

A Fibria comunicou que ontem (03) em Assembleia Geral Extraordinária, foi aprovada a distribuição de dividendos intermediários no montante de R$ 2.783.319.849,66 equivalentes a R$ 5,030371757/ação. Levando em consideração a última cotação de fechamento, o retorno para o acionista (dividend yield) é de 6,8%.

Procedimentos da distribuição:

  • Pagamento: Será realizado em uma única parcela, em 12 de dezembro de 2018;
  • Direito de recebimento: Terão direito aos dividendos declarados as pessoas inscritas na data de 03 de dezembro de 2018;
  • Data “ex”: As ações da companhia serão negociadas ex-dividendo a partir de 04 de dezembro de 2018, inclusive;
  • Segundo a companhia, não haverá atualização monetária ou incidência de juros entre a data da declaração dos dividendos e a data de efetivo pagamento.

Ontem a ação FIBR3 encerrou cotada a R$ 73,77 acumulando valorização de 55,2% em 2018. Ao valor de mercado de R$ 40,8 bilhões a ação está negociada a 2,53x o valor patrimonial. Possuímos recomendação de Compra, cujo preço justo é de R$ 72,00/ação.


Ambev (ABEV3)
Pagamento de provento

A Ambev anunciou na noite de ontem que seu Conselho de Administração deliberou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) no valor bruto de R$ 0,32 por ação, após a dedução do Imposto de Renda será de R$ 0,272/ação.

  • O pagamento deste JCP será realizado no dia 28 de dezembro, com base nas posições acionárias de 18/dezembro;
  • O retorno líquido para os acionistas com este provento é de 1,6%, considerando a última cotação de ABEV3.

Petrobras (PETR4)
Ajustes na renegociação de dívidas com a Eletrobrás

A Petrobras anunciou ontem, após o pregão, que realizou ajustes no contrato de renegociação de dívidas celebrado com a Eletrobras no início do ano.

  • Na época (abril/2018), foram assinados vários instrumentos contratuais com a Eletrobras e suas controladas, para equacionar dívidas no valor aproximado de R$ 17 bilhões;
  • Agora a Petrobras, a Eletrobras e suas subsidiarias Amazonas Energia (AmE) e Amazonas Geração e Transmissão (AmGT), assinaram três aditivos contratuais para recomposição de garantias e garantir o pagamento dos fornecimentos futuros de gás dos contratos.

Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Baixar PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações

Mapa de Posições Alugadas

Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas

 


DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.