Boletim Diário – 22 de Novembro 2018

MERCADO

Bolsa
O Ibovespa encerrou a quarta-feira com queda de 0,72% aos 87.269 pontos, com giro financeiro de R$ 12,6 bilhões, abaixo da média de pregões anteriores. A queda nas bolsas no exterior, o comportamento negativo do petróleo e as questões políticas ditaram o rumo da bolsa ontem. Na análise por ações, as quedas de maior peso no Ibovespa foram as da Petrobras, que perderam 2,32% (ON) e 3,19% (PN). Os investidores estrangeiros seguem fora do mercado. Na sexta-feira, as retiradas somaram R$ 254,9 milhões na B3, dia em que a bolsa registrou alta de 2,96%. Hoje, feriado nacional nos Estados Unidos (Thanksgiving Day) a B3 deverá ter volume reduzido novamente, influenciado também pela agenda econômica e noticiários corporativos fracos. No exterior as bolsas mostram queda na zona do euro. Os investidores seguem atentos à possibilidade de votação do projeto de cessão onerosa dos excedentes do pré-sal nos próximos dias.

Câmbio
Após o feriado, a moeda americana passou por um ajuste, com alta de 1,01% cotada a R$ 3,7972 no fechamento do mercado à vista. Além do ajuste pelo feriado, houve também a pressão pelo comportamento do petróleo e queda das bolsas no exterior. Atenção também para os novos nomes da equipe de Bolsonaro para o novo governo.

Juros
Os juros futuros tiveram um dia de alívio nas curvas de curto e longo prazo, com expectativa positiva em relação ao novo governo. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 terminou com taxa de 6,900%, de 6,934% no ajuste de segunda-feira e para jan/25 o DI caiu de 9,734% para 9,63%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Porto Seguro (PSSA3)

Dividendos intermediários de R$ 0,9279/ação. “Ex” em 27/nov

O Conselho de Administração da Porto Seguro aprovou o pagamento em 5 de dezembro de 2018, de dividendos intermediários à conta de reservas de lucros de 2017, no valor de R$ 300 milhões, equivalente a R$ 0,92795072/ação.

A data base é 26 de novembro, com as ações sendo negociadas “ex” dividendos a partir de 27 de novembro. De acordo com a companhia, estes dividendos não serão imputados ao dividendo mínimo obrigatório relativo ao exercício social a ser encerrado em 31 de dezembro de 2018. Com base na cotação de R$ 53,20/ação o retorno é de 1,7%.


Banco do Brasil (BBAS3)

Reunião com investidores

O Banco do Brasil realizou ontem (21/nov) sua Reunião Anual com investidores. Os números já eram conhecidos, um 3T18 em linha, com melhora de rentabilidade e da qualidade do crédito. O BB registrou no 9M18 um lucro líquido ajustado de R$ 9,7 bilhões, com crescimento de 23% ante o 9M17, com ROAE de 13,4% (+1,1pp).

  • Seguimos com recomendação de compra e preço justo de R$ 52,00/ação que traz um potencial de alta de 18,2% quando comparado à cotação de R$ 44,00/ação.
  • Dentre os pilares que norteiam a atuação do banco: (i) a busca de uma melhor rentabilidade (ROE) em linha com seus principais concorrentes; (ii) adequada gestão de capital e de crédito; (iii) eficiência operacional (38,7% no 3T18); (iv) num ambiente crescente de transformação digital.
  • Na gestão do crédito, destaque para a diversificação das carteiras nos seus principais segmentos de atuação (PF, Agro e PJ), redução da inadimplência (que já se encontra abaixo do Sistema Financeiro Nacional) e queda nas despesas com PDD, reflexo de melhores safras de empréstimos.
  • Na gestão de capital, ao final de set/19 a Basileia do banco era de 18,70% sendo 9,66% de capital principal, cuja meta é a de atingir um mínimo de 11% em janeiro de 2022. Nesse contexto o payout esperado para 2018 é de 40%.
  • Como perspectiva para 2019 o banco destaca: (i) a continuidade do crescimento do lucro líquido; (ii) a carteira de crédito evolui em linha com o mercado ou acima nas linhas com melhor relação risco/retorno; (iii) o custo do crédito ainda apresenta espaço para redução, mesmo com a mudança do mix da carteira; (iv) as despesas administrativas crescem em linha com a inflação; e (v) as receitas com tarifas e serviços crescem acima da inflação.

Triunfo (TPIS3)

Dados operacionais fracos

A Triunfo divulgou na noite de ontem seus dados operacionais para o período de dez meses encerrado em outubro.  Os números foram fracos para o tráfego de veículos nas concessões rodoviárias, assim como para as operações do Aeroporto de Viracopos.

  • As quatro concessões rodoviárias administradas pela Triunfo atualmente, tiveram uma redução de 1,8% no total de veículos equivalentes que pagaram pedágio nestas estradas;
  • No Aeroporto de Viracopos, no período de janeiro a outubro/2018, o volume de aeronaves que usaram o terminal caiu 1,9% e total de passageiros teve uma redução de 2,6%.  A nota positiva foi o aumento de 20,9% no total de cargas que transitaram neste aeroporto.

Movida (MOVI3)

Emissão de debêntures

A Movida informou que seu Conselho de Administração aprovou a emissão de R$ 600 milhões em debêntures não conversíveis com vencimento em 2024.  A remuneração para estes títulos será de 100% da Taxa DI mais 2,05% ano.

Os recursos a serem captados serão usados para reforço da liquidez e alongamento do perfil da dívida.

Ao final do 3T18, a dívida líquida da Movida era de R$ 1.270 milhões, que cresceu 17,9% durante o ano.  A relação dívida líquida/EBITDA no 3T18 era de 3,0x, vindo de 3,2% no 3T17 e 3,1x no trimestre anterior.

Neste ano as ações da Movida subiram 16,8% e o Ibovespa teve uma valorização de 14,2%.


Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas


Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.