Boletim Diário – 16 de Novembro 2018

MERCADO

Bolsa
Na véspera do feriado prolongado o Ibovespa marcou alta de 1,25% chegando aos 85.973 pontos, com giro financeiro de R$ 16,6 bilhões. A decisão do presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), de pautar com urgência a proposta de revisão do acordo da cessão onerosa na próxima terça-feira (20) deu fôlego às ações da Petrobras. Encerrada a safra de resultados do 3T18, o foco deverá se voltar para a pauta política e andamento da transição de governo. Os profissionais de mercado já começam a passar suas expectativas para o ano de 2019, podendo ditar o rumo de papéis importantes do Ibovespa. Hoje a agenda econômica traz o índice de atividade econômica (IBC-Br) de setembro com queda de 0,09% no M/M e alta de 0,72% no A/A e no exterior saiu o IPC de outubro na zona do euro com alta de 2,2% no A/A. A agenda ainda traz dados dos EUA a serem divulgados durante o dia (utilização de capacidade industrial) em outubro. O feriado emendado deverá resultar em volume reduzido na B3 nesta sexta-feira, podendo acompanhar o bom humor dos mercados lá de fora, com alta na zona do euro e no fechamento da Ásia.

Câmbio
O dólar à vista encerrou a quarta-feira em queda de 1,13%, a R$ 3,7837, com realização de lucros após bater R$ 3,80 e foi influenciado também pelo mercado externo, com a moeda americana caindo perante países como México, Rússia e África do Sul. No mercado futuro, o giro somou US$ 25 bilhões. No segmento à vista, ficou em US$ 1,4 bilhão.

Juros
O mercado de juros futuros encerrou a quarta-feira em queda, com a divulgação do IGP-10 mostrando deflação. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 caiu de 7,05% na véspera para 6,95%, e para jan/25 terminou em 10,00%, de 10,13%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Cemig (CMIG4)

Lucro do 3T18 abaixo do esperado

A Cemig registrou um lucro líquido de R$ 95,5 milhões no 3T18, que se compara ao prejuízo líquido de R$ 83,7 milhões do 3T17, um resultado abaixo do esperado, explicado (i) por piora do resultado financeiro, parcialmente compensado por efeito do hedge; (ii) exposição da companhia ao déficit de geração das hidrelétricas (GSF); aliado (iii) aos resultados negativos das investidas Renova e Santo Antonio.

  • As CMIG4 registram alta de 76,7% este ano para um preço de R$ 11,42/ação (valor de mercado de R$ 16,7 bilhões). O preço justo de R$ 12,00/ação, traz um potencial de alta de 5,1%.
  • No 9M18 o lucro cresceu 25,8% para R$ 499,8 milhões. O EBITDA cresceu 28,8% no 9M18 em comparação ao 9M17 totalizando R$ 2,50 bilhões. A margem ebitda passou de 12,8% para 15,1% na mesma base de comparação.
  • Ao final do 3T18 a dívida consolidada da companhia era R$ 15,4 bilhões. Considerado o caixa e aplicações financeiras de R$ 2,06 bilhões, a dívida líquida somava R$ 13,3 bilhões em linha com o trimestre anterior, com alavancagem de 3,7x o EBITDA.

Cesp (CESP6)

Prejuízo do 3T18 impactado por resultado operacional

A Cesp registrou no 3T18 um prejuízo líquido de R$ 102,1 milhões que se compara ao prejuízo líquido de R$ 175,8 milhões do 3T17, notadamente explicado pelo volume de energia comprada no mercado para mitigar o GSF e também compensar a redução da garantia física de Porto Primavera.

  • As CESP6 registram alta de 41,4% este ano para R$ 18,63/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 6,1 bilhões. O preço justo (Bloomberg) aponta para R$ 21,60/ação, com potencial de alta 15,9%.
  • Lembrando que no dia 19 de outubro foi realizado o leilão de venda das ações do capital social da CESP, de propriedade do Governo do Estado de São Paulo e suas controladas, tendo sido vencedor o Consórcio São Paulo Energia, pelo preço de R$ 14,60 por ação.
  • No 9M18 a companhia registra lucro de R$ 235,2 milhões, explicado pelo impacto positivo de R$ 353 milhões de Acordo Extrajudicial, com o Ministério Público de Mato Grosso do Sul, contabilizados no trimestre anterior.
  • Ao final do 3T18 a Dívida Financeira da companhia era de R$ 311,9 milhões, 20% inferior ao 4T17 (R$ 390,6 milhões). Considerando os recursos em Caixa de R$ 473,6 milhões, a Cesp era aplicadora líquida de caixa de R$ 161,6 milhões.

M Dias Branco (MDIA3)

Lucro do 3T18 em linha, mas com queda de margem

A M Dias Branco registrou no 3T18 um lucro líquido de R$ 234,3 milhões, em linha com o esperado, e se compara ao lucro de R$ 253,6 milhões do 3T17. Esta queda de 7,6% entre os trimestres comparáveis pode ser explicada pela piora do resultado operacional, parcialmente compensado por melhor resultado financeiro.

Ao preço de R$ 42,67/ação a MDIA3 registra queda de 18,1% este ano. Nesse patamar o valor de mercado da companhia é de R$ 14,5 bilhões e os múltiplos para 2018: P/L de 16,1x e VE/EBITDA de 13,4x. Seguimos com preço justo de R$ 56,00/ação e a recomendação de COMPRA.

  • A receita líquida do 3T18 cresceu 18,7% em relação ao 3T17. A companhia manteve a liderança nacional nas linhas de biscoitos e massas, seus produtos principais, com ganho de market share potencializado pela aquisição da Piraquê, que trouxe aumento do preço médio com itens de maior valor agregado e diversificação geográfica das vendas.
  • O EBITDA somou R$ 283,8 milhões no 3T18, com queda de 2,6% e proporcional redução de margem que passou de 19,8% no 3T17 para 16,3% no 3T18.
  • No 9M18 o lucro líquido registrou queda de 9,1% em relação ao 9M17 para R$ 583,7 milhões. A receita líquida cresceu 9,7% para R$ 4,45 bilhões e o EBITDA caiu 3,8% para R$ 743,1 milhões, com -2,4pp na margem ebitda, de 19,1% no 9M17 para 16,7% no 9M18.
  • Ao final do 3T18 a dívida líquida da companhia somava R$ 684,7 milhões (0,7x o EBITDA) abaixo de R$ 768,8 milhões do 2T18 (0,8x o EBITDA). Os investimentos somaram R$ 63,5 milhões no trimestre e R$ 200,7 milhões no 9M18, distribuídos entre expansão e manutenção.

Gerdau (GGBR4)

Recompra de títulos

A Gerdau anunciou ontem que iniciou a recompra de títulos com vencimentos em 2020, 2021, 2023, 2024 e 2027 até US$ 900 milhões. A oferta é válida até o dia 13 de dezembro.
• Esta é uma boa notícia, indicando que a Gerdau continua gerindo sua dívida, com objetivo de diminui-la;
• A dívida líquida da Gerdau caiu de R$ 20,8 bilhões em setembro de 2015 para R$ 14,7 bilhões em setembro (29,3%). Entre estes períodos, relação dívida líquida/EBITDA diminuiu de 3,8x para 2,2x.


Ferbasa (FESA4)

Um salto nos lucros do 3T18

Os resultados da Ferbasa no 3T18, apresentaram queda de vendas, mas um expressivo aumento da receita, das margens e do lucro líquido, na comparação com o mesmo trimestre do ano passado.  Isso foi decorrência da desvalorização do real no período e do controle de custos e despesas.

  • Em relação ao trimestre anterior, os números do 3T18 mostraram aumento das vendas, que auxiliado pela variação cambial, permitiu fortes aumentos na receita e rentabilidade;
  • A Ferbasa obteve um lucro líquido de R$ 149 milhões (R$ 1,69 por ação) no 3T18, valor 95,3% acima do trimestre anterior e 131,8% maior que no 3T17.

Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas


Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.