Boletim Diário – 13 de Novembro 2018

MERCADO

Bolsa
Ontem o Ibovespa registrou volume financeiro de R$ 10,3 bilhões, em razão do feriado do Dia do Veterano nos Estados Unidos. O noticiário mais fraco também ajudou para o mercado ter um pregão sem grandes alterações, fechando em baixa de 0,14%, aos 85.525 pontos. Hoje a agenda econômica traz em destaque as vendas a varejo em setembro, com queda de 1,3% no M/M e alta de 0,1% no A/A.

As bolsas internacionais mostram alta na zona do euro, mesmo sentido para os futuros de NY, na expectativa de avanço nas conversas entre Estados Unidos e China na disputa comercial. Os Treasuries também mostram alta.

Câmbio
O dólar voltou a subir ontem (0,57%), cotado a R$ 3,7598 no mercado à vista. O feriado de ontem nos Estados Unidos, “Dia do Veterano”, esvaziou a liquidez nos nossos mercados.

Juros
O mercado de juros futuros teve dia mais calmo com o cenário otimista em relação à inflação. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechou a 7,07%, ante 7,120% no ajuste de sexta-feira. A taxa do DI para jan/25 encerrou em 10,09%, de 10,070%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Viver (VIVR3)

Aumento de capital soma R$ 302,1 milhões

Na operação de emissão privada de ações, foram subscritas 152.584.772 ações ordinárias, pelo preço de emissão de R$ 1,98 cada, totalizando um montante de R$ 302.117.848,56.

Ontem a ação VIVR3 encerrou cotada a R$ 0,59 acumulando queda de 62,8% no ano.


Gafisa (GFSA3)

GWI passa a deter 42,47% do capital da Gafisa

A Gestora GWI aumentou a participação no capital social da Gafisa para 42,47%, passando a deter 19.008.196 ações ordinárias. Ontem a ação GFSA3 encerrou cotada a R$ 12,50, acumulando queda de 38,9% no ano.


Braskem (BRKM5)

Um bom resultado no 3T18

A Braskem apresentou no 3T18 crescimento de vendas, aumento na receita e um grande salto no lucro, mesmo com pequenas quedas de margem.  Isso decorreu dos aumentos nos volumes vendidos no Brasil, da desvalorização do real e de menores despesas financeiras.

  • O lucro líquido foi R$ 1,3 bilhão (R$ 1,69 por ação), um forte aumento de 145,7% sobre os números do trimestre anterior e 68,2% maior que no 3T17;
  • Na unidade de negócios da Braskem no Brasil, onde são produzidos químicos, poliolefinas e vinílicos, houve um aumento nas vendas no mercado interno (4,1%), mas forte contração nas exportações (26,4%);
  • Na unidade de negócios dos Estados Unidos e Europa ocorreu uma redução das vendas, que levaram a diminuição da margem bruta.  No entanto, ganhos em Outras Despesas/Receitas operacionais mantiveram a margem EBITDA, com o valor total subindo 11,0% para US$ 182 milhões.

QGEP Participações (QGEP3)

Aumento de receita, mas queda no lucro do 3T18

A QGEP Participações divulgou na noite de ontem seus resultados do 3T18, que tiveram forte aumento na produção de gás e na receita, mas custos extraordinários com a devolução de campos comprometeram o lucro.

  • A QGEP apresentou no 2T18 um lucro líquido de R$ 56 milhões (R$ 0,21 por ação), que foi 8,1% menor que no mesmo trimestre do ano passado e 34,7% inferior ao 2T18;
  • A QGEP no 3T18, a apresentou elevações de custos e despesas, que limitaram os resultados do período;
  • No 3T18, a empresa teve um forte aumento dos gastos exploratórios (348,3%), principalmente de baixas contábeis referente à devolução de dois blocos da Bacia de Pernambuco-Paraíba e do Campo de Camarão Norte.  Estas devoluções levaram a custos extraordinários de R$ 24 milhões.

Itaúsa (ITSA4)

Lucro recorrente do 3T18 em linha com o esperado

A Itaúsa registrou no 3T18 um lucro líquido recorrente de R$ 2,3 bilhões (ROAE de 17,7%) em linha com o esperado. No 9M18 o lucro líquido recorrente somou R$ 6,7 bilhões, com crescimento de 1,2% em relação ao 9M17. Nesta base de comparação o ROAE caiu 0,8pp para 17,4%.

  • Cotadas a R$ 11,44/ação, equivalente a um valor de mercado de R$ 96,3 bilhões, seus papéis registram alta de 26,4% este ano. Nesse preço suas ações estão sendo negociadas com um P/L para 2018 de 10,0x e a 1,8x o seu valor patrimonial. Seguimos com recomendação de compra para as ações da Itaúsa com preço justo de R$ 14,54/ação (potencial de alta de 27,1%).
  • O resultado da Itaúsa é composto pelo Resultado de Equivalência Patrimonial (REP), apurado a partir de suas controladas. No 9M18 o REP recorrente foi de R$ 7,3 bilhões, com aumento de 7,5% em relação ao 9M17.
  • O resultado recorrente proveniente do setor financeiro no 9M18 foi de R$ 7,0 bilhões (96,2% do total), após crescimento de 3,9% em relação a igual período de 2017. Desta forma, comprar Itaúsa (ITSA4) é uma forma de comprar ITUB4, considerando a forte correlação entre os resultados. Ontem (12/nov) o Valor de Mercado das Companhias Investidas versus o Preço da Itaúsa, era correspondente a um desconto de 25,7%, acima de 24,1% de set/18.

Eletrobras (ELET3, ELET6)

Prejuízo no 3T18

A Eletrobras registrou prejuízo líquido de R$ 1,6 bilhão no 3T18, que se compara ao lucro líquido de R$ 550 milhões no 3T17, sensibilizado por incremento de 80% das despesas operacionais, resultando em forte queda do EBITDA, com redução de 92%, passando de R$ 2,2 bilhões no 3T17 para R$ 189 milhões no 3T18. No 3º trimestre de 2018 os segmentos de Geração e Transmissão apresentaram Lucro de R$ 832 milhões e R$ 103 milhões, respectivamente, enquanto o segmento de distribuição registrou prejuízo de R$ 998 milhões.

  • As ELET3 cotadas a R$ 23,64/ação registram alta de 22,2% este ano. Já as ELET6 ao preço de R$ 26,10/ação estão com valorização de 15,0% em 2018.
  • A receita líquida da empresa no terceiro trimestre de 2018 foi de R$ 8,9 bilhões, em leve crescimento de 0,5% sobre o 3T17. A despesa operacional cresceu 80% entre os trimestres somando R$ 5,7 bilhões no 3T18, impactando o resultado operacional que passou de lucro operacional de R$ 1,8 bilhão no 3T17 para prejuízo operacional de R$ 299 milhões no 3T18.
  • Nos 9M18 o lucro líquido da companhia foi de R$ 1,3 bilhão, sendo de R$ 2,5 bilhões no segmento de Geração, R$ 1,6 bilhão no segmento de Transmissão, e prejuízo líquido de R$ 2,0 bilhões no segmento de distribuição.

Light (LIGT3)

Lucro de R$ 6 milhões no 3T18, aquém do real potencial da companhia

A Light registrou no 3T18 um lucro de R$ 6 milhões, que se compara ao lucro de R$ 59 milhões no 3T17, acumulando no 9M18 um lucro líquido de R$ 73 milhões, frente R$ 33 milhões do 9M17. A Receita líquida (desconsiderando as receitas de construção) cresceu 14% no trimestre, mas o EBITDA ajustado consolidado caiu 33% para R$ 335 milhões no 3T18, impactado principalmente pelo aumento de perdas e provisões da Distribuidora no período.

  • Ontem (12/nov) as LIGT3 fecharam cotadas a R$ 15,91/ação, com queda de 3,9% este ano. O preço justo de mercado aponta para R$ 18,00/ação com potencial de alta de 13,1%.
  • Números do 9M18: Receita Líquida de R$ 8,6 bilhões com crescimento de 15% em relação ao 9M17; EBITDA de R$ 1,2 bilhão (+1,2%) e Lucro líquido de R$ 73 milhões (+122%).
  • O Mercado Total Faturado no 3T18 registrou um aumento de 2,7% em relação ao 3T17, com crescimento na classe industrial (3,4%), queda nas classes residencial (-2,3%) e comercial (-1,2%), e alta dem outros (7,6%) e nas concessionárias (20,9%).
  • A dívida líquida da companhia ao final do 3T18 era de R$ 8,1 bilhões (+18,1% em 12 meses) e se compara a R$ 7,9 bilhões do 2T18. O indicador de covenants Dívida Líquida/EBITDA encerrou o 3T18 em 3,57x ante 3,32x no 2T18, abaixo do limite máximo de 3,75x estabelecido contratualmente, e se compara a 3,10x no 3T17. Já o indicador de covenants EBITDA/Juros, encerrou o 3T18 em 3,62x, acima do limite mínimo de 2,00x.

CPFL Energia (CPFE3) 

Resultados do 3T18

A CPFL Energia registrou um lucro líquido de R$ 626 milhões no 3T18 e que se compara ao lucro de R$ 390 milhões do 3T17, basicamente explicado pelo crescimento de receita e melhor resultado operacional. Destaque para as vendas da companhia na sua área de concessão, principalmente no mercado livre, a preços melhores.

  • Cotadas a R$ 25,95/ação (Valor de mercado de R$ 26,4 bilhões) suas ações registram alta de 35,6% este ano. Os múltiplos para 2018 são: P/L de 15,3x e VE/EBITDA de 9,0x.
  • No 9M18 o lucro líquido cresceu 101% para R$ 1,5 bilhão, com destaque para o crescimento de 11% da receita líquida para R$ 21,5 bilhões e de 22,5% do EBITDA para R$ 4,3 bilhões.
  • Aumento das vendas na área de concessão (+2,0%) no 3T18, com destaque para os crescimentos das classes residencial (+2,0%) e industrial (+2,4%);
  • Crescimento de 4,4% na Receita Operacional Líquida e de 21,4% no EBITDA;
  • Os investimentos totalizaram R$ 525 milhões no trimestre. Ao final de set/18 a Dívida líquida da companhia era de R$ 15,5 bilhões e alavancagem de 2,9x o EBITDA;

Banrisul (BRSR6) 

Bom 3T18 em linha com o esperado

O Banco Banrisul registrou no 3T18 um lucro líquido recorrente de R$ 290 milhões, em linha com o que esperávamos, com crescimento de 10,8% em relação ao lucro líquido recorrente de R$ 262 milhões do 2T18. O ROAE do 3T18 foi de 17,3% acima de 15,6% do 2T18.

  • O lucro recorrente do 9M18 cresceu 35,4% para R$ 796 milhões, com melhora de 3,0pp no ROAE para 15,1%.
  • As ações do Banrisul estão sendo negociadas a R$ 20,00 (valor de mercado de R$ 8,2 bilhões) com um P/L para 2018 de 7,3x e a 1,2x o seu valor patrimonial. Seguimos com recomendação de compra com preço justo de R$ 21,00/ação e um potencial de alta de 5,0%.

Se preferir, baixe o Boletim Diário em pdf:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas


Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.