Boletim Diário – 05 de Outubro 2018

2018-10-05T09:27:35+00:00 05/10/2018|Boletim Diário|

MERCADO

Bolsa
Ontem o Ibovespa passou por uma realização de lucros – queda de 0,38% – após dois pregões de forte alta e giro financeiro de R$ 13,9 bilhões. O índice recuou para 82.953 pontos aguardando nova pesquisa para a presidência do Brasil, que ao final, favoreceu o candidato do PSL. O debate realizado à noite entre os principais candidatos, sem a presença de Jair Bolsonaro (PSL), não trouxe alterações significativas no quadro já desenhado. Hoje a eleição domina atenções no último pregão antes da votação do primeiro turno. Maior volatilidade e realização de lucros não estão descartadas. As bolsas internacionais e futuros americanos operavam em baixa nesta manhã. Em termos de agenda, o exterior gera cautela com payroll após ADP forte na quarta-feira. Juros dos treasuries e dólar seguem em alta e no Brasil, o IPCA registrou inflação de 0.48% M/M e 4.53% A/A.

Câmbio
A moeda americana voltou a subir ontem após três pregões de queda.  A alta foi de 1,43% com a cotação fechando em R$ 3,8831 no mercado à vista. O dia foi de expectativa pela nova pesquisa de intenção de voto do Datafolha, prevista para ser divulgada na noite de hoje, que também terá debate entre os presidenciáveis. A moeda americana à vista acumula queda de 4,14% na semana e 2,86% no mês.

Juros
O mercado de juros futuros operou em alta boa parte do dia, mas voltou a cair no final da sessão, diante da expectativa em relação à nova pesquisa eleitoral divulgada à noite.  A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechou em 8,15%, de 8,166% no ajuste de quarta-feira e para jan/25 a taxa caiu de  11,333%  para 11,24%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Multiplus (MPLU3)
Preparando para o fechamento de capital

A Latam Brasil anunciou em setembro que não pretendia renovar ou estender seu acordo operacional com a Multiplus após o fim de 2024 e pretendia realizar uma OPA.

Preço definido para a oferta pública: R$ 27,22 por ação MPLU3.
Cotação no fechamento de ontem: R$ 24,75.


CVC (CVCB3)
Crescimento de 10,8% nas reservas confirmadas do 3T18 somando R$ 3,48 bilhões

Dados do 3T18:

  • Reservas confirmadas do 3T18, somando R$ 3,48 bilhões, crescimento de 10,8% sobre o 3T17. No acumulado de 9M18, o crescimento das reservas confirmadas foi de 9,7%, totalizando R$ 9,72 bilhões.
  • Vendas nas mesmas lojas – Crescimento de 5,3% no 3T18 e 6,0% nos 9M18, número superior ä inflação do período.
  • Ontem a ação CVCB3 encerrou cotada a R$ 45,80 acumulando queda de 5,4% no ano. A ação faz parte de nossa Carteira Dinâmica.

GOL (GOLL4)
Dados operacionais de setembro mostram crescimento de 1,8% na oferta e queda de 1,0% na demanda sobre set/17

  • A taxa de ocupação consolidada ficou em 78,1% redução de 2,2% pontos percentuais no período comparativo (set/17)Houve aumento de 2,6% no número de assentos e redução de 2,0% nas decolagens no período.No segmento doméstico a oferta cresceu 2,6% e a demanda caiu 2,0%.Ontem a ação GOLL4 encerrou cotada da R$ 12,15 com queda de 16,8% no ano.

AZUL (AZUL4)
Dados de setembro mostram aumento de 16,1% na oferta total e de 16,0% na demanda sobre set/17

No mercado doméstico, aumento de 10,6% na oferta e de 11,7% na demanda e no mercado internacional a evolução foi de 32,1% e de 38,4% respectivamente.

A taxa total de ocupação ficou em 83,2%.

A ação AZUL4 encerrou ontem 24,80 com desvalorização de 7,8% no ano.


Cemig (CMIG4)
Cemig GT realiza Leilão de Compra de Energia Incentivada Solar e Eólica

A Cemig S.A. e sua subsidiária integral Cemig Geração e Transmissão S. A. (Cemig GT), informou que o Leilão de Compra de Energia Incentivada Solar e Eólica – Edital CEMIG GT LP 04/2018 – foi realizado ontem (4/out) e foram adquiridos 152,5 MW médios em contratos com início de fornecimento em janeiro/2022 e duração de 20 anos.

  • Os empreendimentos vencedores totalizam 388 MW de capacidade instalada. Com esta contratação a Cemig aprimorou as condições de renovação de contratos com seus clientes, bem como está apta a ampliar a sua participação de mercado.
  • Suas ações cotadas a R$ 8,05 (valor de mercado de R$ 11,7 bilhões), registram alta de 24,5% este ano, acima da alta de 3,8% do IEE e da valorização de 8,6% do Ibovespa. O preço justo de R$ 10,00/ação traz um potencial de valorização de 24,2%.

Light S.A. (LIGT3)
Cocluída a venda de subsidiária para a Ecogen por R$ 43,4 milhões

A Light S.A. concluiu ontem (4/out) a venda da totalidade das ações detidas pela companhia no capital social da Light Esco – Prestação de Serviços S.A., sua subsidiária integral, para a Ecogen Brasil Soluções Energéticas S.A. (Ecogen).

  • A operação foi concluída com o pagamento pela Ecogen de R$ 43,4 milhões, já descontados os saldos da dívida, após o cumprimento de todas as condições suspensivas, incluindo a aprovação do Cade.
  • Ontem as LIGT3 fecharam cotadas a R$ 14,10/ação, com queda de 14,8% este ano. O preço justo de mercado aponta para R$ 18,00/ação com potencial de alta de 27,7%.

Taesa (TAEE11)
Exerceu o direito de preferência no Lote M

A Taesa notificou ontem (4/out) a Eletrobras que exercerá o seu direito de preferência sobre as SPEs pertencentes ao lote M, objeto do Leilão Eletrobrás nº 01/2018 realizado em 27/09/18 (“Transmineiras”), conforme previsto no edital do leilão e nos estritos termos do disposto nos acordos de acionistas das Transmineiras.

  • A empresa já havia sinalizado que exerceria o direito de preferência, dado que o vencedor ganhou o lote com o mesmo preço mínimo ofertado pela Taesa.
  • A Taesa segue sua estratégia de crescimento com retornos atrativos, geração de caixa e disciplina financeira, sempre pautada na geração de valor aos seus acionistas.
  • Suas units, cotadas a R$ 21,45 (valor de mercado de R$ 7,4 bilhões), registram alta de 9,2% este ano, que se compara a alta de 3,8% do IEE e valorização de 8,6% do Ibovespa. O preço justo de R$ 25,00/unit traz um potencial de valorização de 16,6%.

CCR (CCRO3)
Intervenção na RodoNorte

O Governo do Estado do Paraná publicou ontem um decreto de intervenção na RodoNorte, que é controlada pela CCR.  A intervenção vai durar 180 dias.

  • Esta é uma notícia negativa para a CCR, que deve manter suas ações pressionadas;
  • No final do mês passado, a Polícia Federal cumpriu mandato de busca e apreensão na concessionária RodoNorte e nas casas de ex-executivos da empresa, tendo sido presos dois deles;
  • No último dia 30, o Governo do Paraná pediu à Justiça Federal o bloqueio de bens da RodoNorte, com a redução de 50% na tarifa do pedágio.  Este pedido ainda não decidido pela Justiça.

Setor Educacional
MEC pretende injetar R$ 600 milhões no ensino médio

O MEC tem a intenção de injetar R$ 600 milhões, os quais serão direcionados à escolas estaduais de ensino médio. Deste total, um terço (R$ 200 milhões) destinar-se-ão ao Programa de Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI), cujo intuito é aumento da jornada diária para 7 horas e carga horária mínima de português e matemática.

  • O MEC ressalta que o investimento por aluno é de R$ 2 mil, prevendo que as instituições tenham em sua estrutura, até 2020, no mínimo salas de aula, laboratórios e pátio.
  • O total restante (R$ 400 milhões), dar-se-á em 3 parcelas, sendo 20% em 2018. O valor será destinado ao Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), que visa à implementação de um novo “desenho” para o ensino médio, que pode ou não ser no modelo integral. O objetivo do PDDE é revisar o currículo, que inclui a criação de roteiros flexíveis, que é um dos pilares da reforma do ensino médio.
  • Enxergamos a notícia como positiva, de modo que a expansão do ensino médio integral tende a qualificar melhor as escolas públicas e consequentemente o aluno. Algumas companhias do setor privado tem aumentado o foco segmento de educação básica, como o caso da Kroton, com a criação da Saber, que visa o posicionamento num mercado endereçável de R$ 101 bilhões por ano (1,8x maior que o ensino superior).

BCB
Poupança tem captação líquida de R$ 8,54 bilhões recorde para setembro

De acordo com os dados divulgados nesta quinta-feira (4/out) pelo Banco Central do Brasil (BCB), a caderneta de poupança registrou captação líquida de R$ 8,54 bilhões em setembro, constituindo-se o maior saldo positivo da série histórica para o mês, desde 1995, em termos nominais. Em setembro de 2017 a captação líquida foi de R$ 3,65 bilhões.

  • Na regra atual, com a taxa Selic abaixo de 8,50% resulta num rendimento de 70% do juro básico mais TR para a poupança, que permanece como principal instrumento de apoio ao financiamento imobiliário.
  • Neste ano a poupança acumula uma captação líquida de R$ 25,50 bilhões que se compara a retirada líquida de R$ 4,16 bilhões dos primeiros 9 meses de 2017. Esta recuperação foi favorecida pela queda da taxa Selic, que reduziu proporcionalmente a competitividade de outras aplicações financeiras de risco semelhante.

Produção de veículos:
Queda expressiva em setembro

A produção de veículos em setembro atingiu 223,1l unidades, volume 6,3% menor que em igual mês do ano passado, segundo os dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).  A produção acumulada em nove meses aumentou 10,5% em relação ao mesmo período de 2017.

  • A queda na produção em setembro, conforme a Anfavea, ocorreu por conta da forte redução nas exportações.  Vale lembrar que as vendas de veículos para o exterior iniciaram a retomada da indústria no ano passado;
  • Em setembro, as vendas de veículos nacionais, somaram 187 mil unidades, volume 4,5% maior que no mesmo mês do ano passado.  No ano, as vendas atingiram 1,6 milhão de unidades, quantidade 12,1% maior que neste período em 2017;
  • O valor das exportações, que caíram forte em julho (13,1%) e agosto (11,0%), teve outro mês ruim em setembro, com redução de 28,6%, sempre comparando ao mesmo mês de 2017.

Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas


Clique para acessar nossas Análises Gráficas:

Análises Gráficas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.