Boletim Diário – 11 de Setembro 2018

MERCADO

Bolsa
O Ibovespa abriu em alta, mas a ausência de notícias levou o índice para perto da estabilidade, no fechamento – alta de 0,03% – aos 76.436 pontos, com volume financeiro reduzido de R$ 8,67 bilhões. A pesquisa do Datafolha só foi divulgada no começo da noite, mostrando o candidato Jair Bolsonaro à frente da disputa com 24% das intenções de voto. No exterior predomina o assunto “guerra comercial EUA x China” e as bolsas internacionais seguem sensíveis a esta disputa, com desempenho negativo nesta terça-feira. Hoje a agenda econômica mostra dados do mercado de trabalho na Europa e a primeira prévia do IGP-M de setembro com alta de 0,79% e o destaque fica para a alta mais forte do petróleo no mercado internacional, podendo influenciar as ações da Petrobras.

Câmbio
O dólar mostrou volatilidade operando em alta boa parte do dia para depois fechar em queda de 0,04% a R$ 4,0832 no mercado à vista. Sem notícias corporativas, o assunto eleição segue no foco dos investidores.

Juros
Os contratos de juros futuros iniciaram a semana em queda na ponta mais curta (jan/19), fechando em 8,50% ante 8,67% na véspera. Para jan/25 a taxa passou de 12,32% para 12,33%, praticamente estável.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Petrobras (PETR4)
Reunião com analistas.

A Petrobras realizou ontem uma reunião com analistas, onde foi feita uma retrospectiva dos fatos recentes, foram confirmados compromissos já assumidos e feitas pequenas alterações em algumas metas.

  • Acreditamos que foi uma reunião bastante positiva, porque a empresa conseguiu muitos avanços, após a difícil situação vivida recentemente.

Azul (AZUL4)
Prévia operacional mostra bom desempenho em agosto/18.

Em agosto/18, a companhia registou crescimento de 21,5% na demanda por voos (RPK) e de 20,3% na oferta (ASK), no comparativo com o mesmo período de 2017.  A taxa de ocupação ficou em 82,4% ante 81,6% no mesmo período comparativo.

  • Crescimento de 17,1% na demanda por voos no acumulado até agosto;
  • Aumento de 16,7% na oferta de assentos;
  • A taxa de ocupação foi de 81,9% ante 81,7% nos 8M17;
  • O bom desempenho se deu no mercado doméstico e internacional.
  • No 1S18, a Azul registrou lucro líquido de R$ 448,8 milhões contra R$ 19,7 milhões no 1S17.

Eletrobras (ELET6)
Leilão da Amazonas Energia pode ser adiado para outubro

Existe a possibilidade do leilão de privatização da Amazonas Distribuidora marcado para 26 de setembro ser adiado, caso o projeto de lei (PL) que viabiliza financeiramente a companhia não seja aprovado antes desta data. Isso porque o Senado indicou que o PL só será votado no plenário depois do primeiro turno, em 9 de outubro, condição mais provável, em nossa opinião.

  • Este ano ELET3 cotada a R$ 15,89/ação registra queda de 17,8%. Já ELET6 ao preço de R$ 18,80/ação, registra baixa de 17,2%.
  • Além da privatização das distribuidoras, a venda das participações da Eletrobras em 71 sociedades de propósito específico (SPEs) deverá ser realizada em leilão no dia 27 de setembro, com preço mínimo de R$ 3,1 bilhões por todos os ativos.
  • Caso o leilão tenha sucesso, ainda que no preço mínimo, a alavancagem da Eletrobras será inferior a três vezes.

Ser Educacional (SEER3)
Pagamento de dividendos no valor de R$ 0,1512/ação

A Ser Educacional informou que distribuirá dividendos intermediários referentes ao balanço semestral findo em 30 de junho, da seguinte forma:

  • Montante total de R$ 20.685.235,00, correspondentes a R$ 0,151280291 por ação;
  • O retorno (Dividend Yield) proporcionado ao acionista é de 0,99%;
  • O pagamento dar-se-á até 25 de setembro;
  • A data “ex dividendo” até o dia 13 de setembro.

Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.