Boletim Diário – 10 de Setembro 2018

MERCADO

Bolsa
A notícia do ataque a Jair Bolsonaro levou o Ibovespa a uma alta de 1,76% no fechamento da quinta-feira, aos 76.416 pontos. O volume financeiro do dia ficou em R$ 8,73 bilhões. Hoje a agenda econômica traz poucos indicadores, ficando como destaque apenas o Boletim Focus e a expectativa de reação do mercado em relação ao atentado a Bolsonaro. Para amanhã é esperada oficialização do candidato do PT, Fernando Haddad. Ou seja, esta semana deverá girar em cima dos fatos políticos, com novas pesquisas a serem divulgadas. No exterior, bolsas em alta na Europa e fechamento em baixa na Ásia, com as mesmas preocupações em relação à guerra comercial entre China e Estados Unidos.

Câmbio
A quinta-feira foi de baixa para a moeda americana influenciada pelo comportamento da moeda dos Estados Unidos no exterior, o atentado contra o candidato Jair Bolsonaro (PSL), em Minas Gerais, pode ter também influenciado o dólar no final do dia, resultando numa queda de 1,40% no fechamento do mercado à vista, com a cotação marcando R$ 4,08747.

Juros
Os juros futuros também reagiram em relação ao atentado ao candidato Bolsonaro, com os investidores enxergando uma alteração na corrida presidencial a partir deste episódio. A divulgação do IPCA de agosto com deflação provocou recuo nas taxas do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI). A taxa para jan/19 caiu de 7,528% para 7,410%. A taxa do DI para janeiro de 2025 caiu de 12,94% para 12,32%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Gol (GOLL4)
Prévia de tráfego no mês de agosto/18. 

A companhia divulgou os dados operacionais de agosto com os principais destaques no comparativo agosto/18 sobre agosto/17 (Dados totais):

  • Redução de 1,3% no número de decolagens de 20.598 para 20.338;
  • Aumento de 3,0% na oferta de assentos de 3.450 mil para 3.552 mil;
  • A taxa de ocupação caiu de 78,2% para 76,9%;
  • O número de passageiros transportados aumentou 3,2% de 2.611 mil para 2.694 mil;
  • A oferta total (ASK) aumentou 1,7% de 3.827 mil para 3.893 mil;
  • A demanda total (RPK) cresceu 0,1% de 2.992 mil para 2.995 mil.

BCB
Poupança tem captação de R$ 5,86 bilhões em agosto, um recorde para o mês.

De acordo com os dados divulgados na quinta-feira (6/set) pelo Banco Central do Brasil (BCB) a caderneta de poupança registrou captação líquida de R$ 5,86 bilhões em agosto, constituindo-se o maior saldo positivo da série histórica para o mês, desde 1995, em termos nominais. Em agosto de 2017 a captação líquida foi de R$ 2,14 bilhões.

  • Neste ano, a poupança acumula uma captação líquida de R$ 16,96 bilhões que se compara a retirada líquida de R$ 7,81 bilhões dos primeiros 8 meses de 2017. Esta recuperação foi favorecida pela queda da taxa Selic, que reduziu proporcionalmente a competitividade de outras aplicações financeiras de risco semelhante.
  • Considerando o rendimento de R$ 2,86 bilhões em agosto, o saldo da poupança somou R$ 764,41 bilhões, dos quais o saldo de R$ 590,41 bilhões (77,2%) é do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e R$ 173,99 bilhões (22,8%) da Poupança Rural.

Boletim Focus
Mediana dos agregados aponta recuo de inflação com menor crescimento econômico e taxa de câmbio ficando estável

Dentre as alterações contidas no Boletim Focus publicado nesta segunda-feira, destaque para a segunda redução marginal das estimativas para o IPCA de 2018, assim como o arrefecimento nas atualizações dos últimos 5 dias. Para o PIB, a mediana das estimativas sugere o terceiro arrefecimento consecutivo, enquanto a Taxa de Câmbio seguiu sem alteração. Por fim, a Meta da Taxa Selic para o final do período seguiu estável pela 15ª vez consecutiva.

Com isso, para este ano, as expectativas do IPCA ficaram em 4,05%, o PIB em 1,40%, Taxa de Câmbio R$/US$ 3,80 e a Meta Selic em 6,50% a.a.

Já a produção industrial, novamente, mostrou arrefecimento na margem em 2018, sugerindo crescimento de 2,26%, sendo a 6ª redução. Para os demais indicadores de relevância, não houve alteração em relação às estimativas anteriores.

Destaques do Boletim Focus publicado nesta segunda-feira, para 2018:

  • IPCA: 4,05%;
  • PIB: 1,40%;
  • Taxa de Câmbio: R$/US$ 3,80;

Meta Taxa Selic: 6,50% a.a


Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.