Boletim Diário – 13 de Agosto 2018

MERCADO

Bolsa
O Ibovespa sentiu o peso da mudança de humor no exterior, sobretudo o aumento da crise na Turquia. Além disso, o cenário político doméstico continuará tendo peso sobre o mercado até o final do processo eleitoral. No fechamento o índice marcou queda de 2,86% aos 76.514 pontos, com giro financeiro de R$ 12,5 bilhões, acima da média de pregões anteriores. Na semana, a queda acumulada chegou a 6,04% e, no mês 3,42%. A semana já abriu com as bolsas internacionais pesadas, com queda no fechamento da Ásia e na Europa, nesta manhã. A agenda econômica desta segunda-feira, além do Boletim Focus, traz em destaque dados da China: vendas no varejo, produção industrial, etc, (julho). Com poucos resultados corporativos divulgados e um ambiente tenso do lado externo, a nossa expectativa é de um mercado influenciado pelas bolsas internacionais, comportamento das commodities e dólar.

Câmbio
Na contramão da bolsa o dólar teve um dia de alta forte diante da aversão ao risco global e divulgação de dados piores para o índice de preços ao consumidor (CPI) nos Estados Unidos.  Nesse ambiente de incertezas a moeda americana terminou o dia em alta de 1,75%, cotada a R$ 3,8681 no mercado à vista. No acumulado da semana, houve alta de 4,32%.

Juros
No fechamento da semana, os mesmos fatores já mencionados, colocaram pressão também sobre o mercado de juros futuros. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/20 fechou com taxa de 8,42%, de 8,09% no ajuste da quinta-feira e o DI para jan/25 terminou com taxa de 11,66%, de 11,31%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

Alpargatas (ALPA4)
Queda de 66,4% no lucro trimestral, somando R$ 18,3 milhões.

A ação ALPA4 encerrou a sexta-feira cotada a R$ 12,13 acumulando queda de 28,8% no ano, com valor de mercado de 5,7 bilhões, atualmente.

  • No 1S18 o lucro líquido caiu 44,4% passando de R$ 235,9 milhões no 1S17 para R$ 131,2 milhões.
  • O EBITDA recorrente cresceu 27,2% no período somando R$ 220,8 milhões. Já o EBITDA com os efeitos do período, caiu de R 320,5 milhões no 1S17 para R$ 233,2 milhões no 1S18 (-27,3%).
  • Os negócios foram afetados pela greve dos caminhoneiros e pelo fraco desempenho das atividades na Argentina.
  • O efeito cambial sobre a dívida da empresa em moeda estrangeira, também pesou forte sobre o resultado final. Foram R$ 27,2 milhões negativos no 2T18 e R$ 33,3 milhões no acumulado do semestre.

BRF (BFRS3)
Prejuízo do 2T18 acima do esperado

A BRF realizou na sexta-feira (10/ago) sua teleconferência de resultados do 2T18. Como anunciado, registrou um prejuízo líquido de R$ 1,57 bilhão, impactado por alguns efeitos importantes, com destaque para o comportamento do dólar, a reestruturação corporativa da companhia, a greve dos caminhoneiros, a Operação Carne Fraca/Trapaça com o consequente contingenciamento das exportações para a Europa/China, e que no conjunto, explicam grande parte da magnitude deste resultado negativo.

  • Continua no radar da companhia a decisão de venda de ativos, que deve render até R$ 5 bilhões, com vistas a sua desalavancagem financeira.
  • Ao mesmo tempo foi anunciado que sinergias e ganhos de eficiência operacional com o processo de reestruturação em curso devem impactar positivamente o EBITDA em R$ 515 milhões em 2018 e em R$ 1,2 bilhão em 2019.
  • Suas ações, como esperado, responderam negativamente, o que elevou a queda das ações para 44,2% neste ano para R$ 20,44/ação (valor de mercado de R$ 16,6 bilhões).
  • Atentar que a BRF teve o seu rating cortado para BB de BB+ pela S&P.

Usiminas (USIM5)
Explosão na unidade de Ipatinga

Na última sexta-feira, um de seus três gasômetros da unidade de Ipatinga (MG) da Usiminas sofreu uma explosão.  Porém, nesta manhã a empresa já comunicou sua expectativa de retorno rápido à produção da usina.

  • A Usiminas tem seguros para o equipamento sinistrado, danos a terceiros para lucros cessantes;
  • Já foi retomada as operações dos fornos 1 e 2, além das laminações a frio e Unigal (galvanizados);
  • Com dados limitados e expectativa de retorno a operação de quase toda a usina, esperamos que as perdas da ação no dia do acidente (7,3%) possam ser em parte revertidas hoje, já que nos pareceram excessivas.

Banrisul (BRSR6)
Ex JCP referente ao 3T18 em 16/ago

O Conselho de Administração do Banrisul aprovou o pagamento de juros sobre o capital próprio (JCP) referente ao 3T18 no valor de R$ 88,3 milhões, equivalente a R$ 0,21590589 por ação PNB.

  • Serão consideradas as posições em 15 de agosto de 2018, passando as ações a ser negociadas “ex” JCP a partir de 16 de agosto de 2018.
  • O pagamento ocorrerá em 27 de setembro de 2018 e o retorno líquido esperado é de 1,2%.

ENGIE Brasil Energia (EGIE3)
Aquisição das ações remanescentes da ENGIE Geração Solar Distribuída

Após o cumprimento das condições precedentes, foi concluída a operação de aquisição das ações remanescentes da ENGIE Geração Solar Distribuída S.A., pelo preço ajustado de R$ 35,1 milhões.

  • Ao preço de R$ 37,29/ação os papéis da companhia registram valorização de 7,8% este ano. O preço justo de R$ 43,00/ação traz um potencial de alta de 15,3%.
  • Lembrando que com base no resultado do 1S18 o Conselho de Administração aprovou a distribuição de R$ 1,7557267392/ação na forma de dividendos intercalares. As ações ficarão ex-dividendos no dia 21 de agosto de 2018 e o retorno é de 4,7%.

Randon (RAPT4)
Pagamento de dividendos

A empresa informou na última sexta-feira, após o pregão, que seu Conselho de Administração deliberou o pagamento de dividendos intermediários.

  • O valor total do provento será de R$ 19,2 milhões (R$ 0,05599555 por ação);
  • O pagamento será realizado no dia 27 de agosto, com base nas posições acionárias de 16/8;

Boletim Focus
Expectativas de inflação corrigidas para cima, com menor crescimento econômico

  • No Boletim Focus desta segunda-feira, destaque para o aumento das expectativas para o IPCA e arrefecimento nas estimativas de crescimento da economia (PIB), ambos para 2018. Para 2019 e 2020 estes indicadores permaneceram sem alteração. Para a taxa de câmbio (final de período), a expectativas de mercado apontaram para R$/USS 3,70, pela sexta vez consecutiva. Por fim, a meta Selic para o final do período se mostrou estável em 6,50%, pela 11º vez consecutiva.
  • Já a produção industrial mostrou arrefecimento na margem, pela segunda vez consecutiva, em 2018.
  • Destaques do Boletim Focus publicado nesta segunda-feira, para 2018:
  • IPCA: 4,15%;
  • PIB: 1,49%;
  • Taxa de Câmbio: R$/US$ 3,70;
  • Meta Taxa Selic: 6,50% a.a.

Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.