Boletim Diário – 31 de julho 2018

MERCADO

Bolsa
O Ibovespa registrou alta de 0,51%, aos 80.276 pontos, no fechamento de ontem, com giro financeiro baixo de R$ 7,4 bilhões. A expectativa em relação aos eventos nesta semana seguirá influenciando os mercados acionários no lado doméstico e no exterior. Hoje a agenda econômica traz a taxa de desemprego na Europa (junho) em 8,3% e alta de 1,1% no IPC de julho (A/A). O PIB da região subiu 2,1% no 2T18 (A/A). No Brasil a taxa de desemprego ficou em 12,4% em junho. Os dados dos EUA são menos relevantes, ficando a expectativa em relação aos acontecimentos da quarta-feira. As bolsas internacionais mostram alta no fechamento na Ásia e sobem também na Europa. Hoje, último pregão de julho, a expectativa é de um mercado ainda positivo, refletindo os resultados corporativos, o comportamento das commodities, mas com atenção às decisões econômicas marcadas para a quarta-feira.

Câmbio
A moeda americana abriu a semana em alta influenciada pela disputa para o fechamento da Ptax do mês, com alta de 0,33% cotada a R$ 3,7294. A Ptax será definida hoje e valerá para os contratos cambiais futuros que vencem em 1º de agosto.

Juros
Os juros futuros oscilaram durante o dia, mas fecharam perto da estabilidade no curto prazo e com queda na ponta mais longa. A taxa do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para jan/19 fechou em 6,625%, de 6,622% no ajuste de sexta-feira e a do DI para jan/25 passou de 10,87% para 10,90%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

ITAÚ UNIBANCO (ITUB4)
Lucro recorrente do 2T18 em linha com o esperado

O Itaú Unibanco registrou no 2T18 um lucro líquido recorrente de R$ 6,4 bilhões, em linha com o resultado do trimestre anterior, acumulando um lucro de R$ 12,8 bilhões no 1S18. Um resultado em linha com esperado, construído através da estabilidade da Margem Financeira, redução da PDD, bom resultado do segmento de seguros/previdência e capitalização e forte incremento das receitas de serviços em base de 12 meses. O resultado de tesouraria caiu e as despesas não decorrentes evoluíram acima da inflação. Seguimos com recomendação de compra com preço justo de R$ 59,00/ação, correspondente a um potencial de alta de 25,6%.

  • As projeções (guidance) do banco para 2018 foram mantidas.
  • Ao final do trimestre a carteira de crédito do banco somava R$ 623,3 bilhões com crescimento de 3,7% em base trimestral e 6,1% em 12 meses.
  • Destaque positivo para a redução da inadimplência, de 3,1% no trimestre anterior para 2,8% neste trimestre.
  • Em 27 de julho de 2018, foi deliberado e aprovado em AGE o desdobramento de 50% das ações do banco. Será comunicado pelo banco a data-base do direito ao desdobramento após a homologação das deliberações pelo Banco Central do Brasil.
  • Com base no resultado o Conselho de Administração do Itaú Unibanco, aprovou o pagamento, em 30.8.2018, de (i) dividendos no valor de R$ 0,62400/ação; e (ii) juros sobre o capital próprio (JCP) no valor de R$ 0,12520/ação. Serão consideradas as posições de ações no dia 17.8.2018, sendo negociadas ex-proventos dia 20 de agosto de 2018. Com base na cotação de R$ 46,97/ação PN o yield líquido é de 1,56%.

EMBRAER (EMBR3)
Prejuízo líquido de 493,7 milhões no 1S18

Destaques:

  • Redução nos pedidos firmes em carteira e reversão do resultado líquido de lucro para prejuízo, somando perda de 493,7 milhões em 6 meses.
  • Redução no endividamento líquido e geração de caixa livre negativa no semestre.

.


RD (RADL3)
Resultado do 2T18, com destaque para abertura de novas lojas

A ação RADL3 encerrou ontem cotada a R$ 74,11 acumulando desvalorização de 18,9% em 2018. O valor de mercado atual da companhia é de R$ 24,4 bilhões e a ação está sendo negociada a 7,43x o valor patrimonial.

Ontem (30) após o encerramento do mercado, a RD divulgou seus resultados referentes ao 2T18, sempre comparados ao mesmo período do ano anterior, com crescimento de 11,6% na receita bruta e destaque para a abertura de 62 lojas, a despeito de fechamento de 5, totalizando 1.708 unidades em operação. A companhia registrou expansão de margens mesmo com aumento nos custos e despesas incorridos no período, levando a um maior EBITDA, por sua vez consumido pela maior depreciação e amortização do período, ocasionando recuo de 1,5% no resultado operacional antes do resultado financeiro. Com isso, a RD reportou crescimento de 1,3% no lucro líquido, para R$ 141,8 milhões, influenciado pelo menor valor do saldo negativo do resultado financeiro.

Destaques do Trimestre:

  • LOJAS: 1.708 unidades em operação (abertura de 62 lojas e 5 encerramentos);
  • RECEITA BRUTA: R$ 3,8 bilhões, crescimento de 11,6% (2,5% para mesmas lojas no varejo);
  • MARGEM BRUTA: 29,1% da receita bruta, uma retração de 0,3 ponto percentual;
  • EBITDA: R$ 316,6 milhões, margem de 8,4% e um incremento de 5,2%;
  • LUCRO LÍQUIDO: R$ 141,8 milhões, margem líquida de 3,7% e um incremento de 2,8%;
  • FLUXO DE CAIXA: Caixa livre negativo de R$ 67,7 milhões, consumo total de R$ 154,1 milhões;
  • EXPANSÃO: Entrada no Pará com a abertura de três lojas em Belém.

Cielo (CIEL3)
Lucro recorrente do 2T18, com queda de 12,3% ante o trimestre anterior

A Cielo registrou no 2T18 um lucro líquido recorrente de R$ 817,5 milhões com redução de 12,3% em relação aos R$ 932,0 milhões do trimestre anterior. A margem líquida de 27,9% representou uma queda de 5,6pp ante o 1T18. Um resultado que refletiu o crescimento de receita combinado com aumento dos gastos totais, resultando em queda do EBITDA, de margem e do lucro. Ao preço de R$ 15,90/ação CIEL3 registra queda de 30,7% este ano.

  • A receita operacional líquida totalizou R$ 2,9 bilhões, um aumento de 3,4% em 12 meses e +5,1% em base trimestral, refletindo, principalmente, a contribuição das controladas Cateno e Merchant e-Solutions (efeito de variação cambial).
  • Os gastos totais somaram R$ 2,0 bilhões, após aumento de 12,4% frente ao 2T17 e de 12,9% em relação ao 1t18, explicado por investimentos realizados em mídia digital e tradicional reflexo do lançamento de novos produtos.
  • Com isso o EBITDA caiu 10,3% em 12 meses e 7,7% em base trimestral para R$ 1,15 bilhão (margem de 39,2%).
  • A base instalada da Cielo terminou o 2T18 com 1.554 mil POS, com queda de 2,5% frente o 1T18. Considerando a base instalada de Stelo de 52 mil, a base combinada apresentou crescimento de 0,5%.
  • A companhia reafirmou o compromisso com o controle de custos e despesas, mesmo com maior volume de investimentos em marketing para fortalecer sua marca. Nesse contexto a Cielo manteve a projeção de crescimento de volume, aumento de gastos totais e investimentos.
  • A Cielo pagará proventos fixos (dividendos e juros sobre capital próprio) de R$ 3,5 bilhões referentes ao ano fiscal de 2018, cuja periodicidade foi alterada, de semestral para trimestral. O yield anual bruto é de 8,0%.

Via Varejo (VVAR11)
Destaque de alta da B3 com rumores de possível aquisição da empresa

Destaques:

  • Ação sobe 6,0% no dia com rumores de venda do controle acionário.
  • Migração para o Novo Mercado segue, com definição marcada para até o dia 15/08.
  • Em matéria do jornal VEC desta terça-feira a informação é que o Magazine Luiza não teria interesse em negociar uma fusão com a Via Varejo.

Petrobras (PETR4)
Processo de venda do Polo Sergipe Terra 2

A Petrobras informou ontem o início da fase vinculante do processo de venda da totalidade dos direitos do Polo Sergipe Terra 2.

  • O seguimento normal dos desinvestimentos da Petrobras é sempre uma boa notícia;

A produção de petróleo nestas concessões é de 6 mil barris por dia e 37 mil m³/dia, aproximadamente;

  • A reserva dos campos é de 83 milhões de barris de óleo equivalente.

Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora. 
As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado. Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18: O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.