Boletim Diário – 27 de julho 2018

MERCADO

Bolsa
Em mais um dia de realização o Ibovespa terminou a quinta-feira em queda de 1,01%, aos 79.405 pontos, em linha com o comportamento das bolsas americanas e sem notícias no campo político interno. O giro financeiro foi de R$ 11,7 bilhões, acima da média de R$ 9,6 bilhões do mês de julho. Destaque de alta para Vale e Ambev e de queda para as ações do setor financeiro. A agenda interna hoje traz os dados de crédito e o Resultado primário do governo central, ambos do mês de junho. Nos EUA destaque para o PIB do 2T18 e o índice de Sentimento da Universidade de Michjgan de julho. Pela manhã o dia estava positivo lá fora, com futuros americanos e bolsas na Europa em alta. Por aqui alguns resultados do 2T18 como referência, tendo Lojas Renner melhor que o esperado e números abaixo do previsto da Localiza e Fleury.

Câmbio
O dólar voltou a subir ontem acompanhando o movimento externo da moeda americana. O noticiário político interno não influenciou os preços. Em dia de volume reduzido, o dólar à vista fechou em alta de 1,14% a R$ 3,7467, perto da máxima, enquanto o dólar para agosto registrava alta de 1,56%, a R$ 3,7480.

Juros
Ontem, em linha com o comportamento do câmbio, o mercado de juros acentuou o movimento de alta no período da tarde, notadamente nas taxas longas. Os contratos de curto e médio prazo fecharam perto da estabilidade, com viés de queda. Em dia de liquidez reduzida, o DI para janeiro de 2019 fechou em 6,625%, de 6,627% do dia anterior. O DI para janeiro de 2020 caiu de 7,93% para 7,91%. A taxa do DI para janeiro de 2021 fechou estável em 8,94% e a do DI para janeiro de 2023 subiu de 10,24% para 10,30%.



ANÁLISE DE SETORES E EMPRESAS

USIMINAS (USIM5)
Resultados do 2T18 com redução nas vendas e no EBITDA
Os resultados Usiminas no 2T18, divulgamos nesta manhã, apresentaram redução nas vendas e no EBITDA, o que somado a uma forte alta no custo financeiro, levou ao prejuízo.  Estes números fracos foram consequência do impacto da greve dos caminhoneiros, que reduziu as vendas de aço e minério, e da desvalorização do real, que elevou em muito as despesas financeiras no trimestre.

  • No 2T18, Usiminas contabilizou um prejuízo de R$ 32 milhões (R$ 0,03 por ação), contra um lucro de R$ 140 milhões (R$ 0,12/ação) no trimestre anterior;
  • As vendas totais de aço da Usiminas no 2T18 tiveram uma queda de 1,3%, comparadas ao 2T17 (-10,3% em relação ao 1T18), principalmente pelo impacto negativo da greve dos caminhoneiros;
  • As vendas totais de minério de ferro caíram 23,3% em relação ao trimestre passado, por conta da diminuição das exportações em 37,2%;
  • No 2T18, as despesas financeiras líquidas somaram R$ 277 milhões, valor 61,5% maior que no 2T17.  Isso foi consequência da forte desvalorização do real no trimestre.

ECORODOVIAS (ECOR3)
Alíquota menor de IR permitiu um lucro líquido ligeiramente melhor no 2T18

Os resultados da Ecorodovias no 2T18, comparado ao mesmo período do ano passado, apresentaram redução no tráfego, na receita e nas margens operacionais.  O resultado do trimestre foi muito impactado pela greve dos caminhoneiros e a suspensão da cobrança do eixo suspenso em três rodovias.  A empresa calculou uma perda de receita pela greve em R$ 47 milhões.

  • O lucro líquido comparável no 2T18 somou R$ 80 milhões (R$ 0,14 por ação), sendo 4,0% maior que no mesmo período de 2017, mas 44,4% inferior ao 2T17;
  • No 2T18, o tráfego nas sete concessões rodoviárias administradas pela Ecorodovias foi de 67,9 milhões de veículos equivalentes, com uma queda de 5,1%;
  • Desconsiderando a cobrança de pedágio para eixos suspensos e o período de greve, o tráfego total cresceu 2,8% no 2T18, comparado ao 2T17;
  • A dívida líquida consolidada ao final do 2T18 era de R$ 4,6 bilhões, que cresceu 4,7% no trimestre e 8,0% em doze meses.

LOCALIZA ON (RENT3)
2T18 mostrou um grande ganho de receita e do lucro
Comparado ao mesmo período de 2017, O resultado da Localiza no 2T18 mostrou um grande ganho de receita e do lucro, mas perda de margem.  Isso ocorreu em função da compra da subsidiária brasileira da Hertz, cuja integração ocorreu no dia 1 de setembro/2017.  Em relação ao 1T18, os números deste trimestre foram piores por conta dos impactos na economia derivados da greve dos caminhoneiros.

  • O lucro líquido da Localiza no 2T18 foi de R$ 142 milhões (R$ 0,21 por ação), valor 9,7% maior que no 2T17, mas 19,4% abaixo do trimestre anterior;
  • O número de diárias do Aluguel de Carros, no 2T18, cresceu 47,9% na comparação com o 2T17 e teve elevação de 1,2% em relação ao trimestre anterior, mesmo com a greve;
  • Ao final do 2T18, a dívida líquida da Localiza era de R$ 4,6 bilhões, que aumentou 19% no semestre e 115,2% em doze meses.

GRENDENE (GRND3)
Operacional positivo, mas com financeiro contraindo o lucro líquido

A ação GRND3 encerrou ontem cotada a R$ 43,30 acumulando desvalorização de 8,0% em 2018. O valor de mercado atual da companhia é de R$ 71,2 bilhões e a ação está sendo negociada a 1,03x o valor patrimonial.

A Grendene divulgou ontem seus resultados referentes ao 2T18 e ao 1S18, ambos comparados ao mesmo período do ano anterior. No trimestre, a companhia reportou queda de 28,4% do lucro líquido, para R$ 65,8 milhões (0,07/ação), em função do aumento com os custos do produto vendido, por sua vez contraindo em 1pp a margem bruta de 44,0%, além do menor resultado financeiro do período. Do mesmo modo, no acumulado dos seis primeiros meses do ano, a companhia registrou recuo de 15,9% no lucro líquido do período, para R$ 221,9 milhões (0,25/ação) dado o aumento do CPV e um menor resultado financeiro. O trimestre foi marcado pela desvalorização da moeda brasileira frente ao dólar, favorecendo a receita de exportação, embora os volumes exportados no 2T sejam sazonalmente baixos

Destaques do 1S18 frente ao 1S17:

  • Aumento de 4,4% na Receita Líquida.
  • Lucro líquido de R$ 221,9 milhões (– 15,9%);
  • Ebit de R$ 182,6 milhões (+ 9,4%);
  • Margem bruta de 45,9% (-0,9 pp);
  • Melhora nas margens: Ebit e Ebitda;
  • Margem líquida de 22,4% (- 5,4 pp);
  • Volume de pares – 73,4 milhões (+3,1%);
  • Distribuição de dividendos – R$33,7 milhões, ações ex-dividendo a partir de 07/08/2018 e pagamento a partir de 22/08/2018 – (retorno de 0,46%);
  • Liderança nas exportações de calçados brasileiros pelo 16º ano consecutivo – 34,8% dos calçados brasileiros exportados no 1S18. (34,1% no 1S17).

COPASA (CSMG3)
Lucro no 2T18 de R$ 110 milhões, em linha com o 2T17
A Copasa reportou no 2T18 um lucro líquido de R$ 110,1 milhões, com leve queda de 0,7% em relação aos R$ 110,8 milhões de igual trimestre do ano anterior. A empresa registrou crescimento de volume e preços, mas o comportamento dos custos e despesas, em linha com a alta das receitas, resultou na estabilidade do EBITDA e do Lucro.

  • Ao preço de R$ 43,00/ação as CSMG3 registram alta de 6,9% este ano. O preço justo de R$ 54,00 corresponde a um potencial de alta de 25,6% para suas ações.
  • A receita líquida cresceu 9,2% entre os trimestres comparáveis para R$ 1,02 bilhão, e os custos e despesas registraram alta de 9,1% para R$ 807 milhões, resultando na estabilidade do EBITDA para R$ 344 milhões no 2T18.
  • Ao final de junho a dívida líquida da Copasa era de R$ 3,1 bilhões, equivalente a 2,0x o EBITDA, que se compara a 1,9x de jun/17.
  • Para o ano de 2018, o payou aprovado é de 50% do Lucro Líquido Ajustado, com retorno de 6,5% em base anual.

EQUATORIAL ENERGIA S.A. (EQTL3)
Ações sobem após Leilão da Cepisa

Em leilão na B3 ontem (26/julho) a Equatorial sagrou-se vencedora da concessão de serviço público de distribuição de energia elétrica associada à transferência do controle acionário da distribuidora de energia elétrica Companhia Energética do Piauí (Cepisa). A empresa adquiriu aproximadamente 89,94% do capital social total e votante da Cepisa, em contrapartida ao pagamento de R$ 45,5 mil para a Eletrobras.

  • Ontem as ações da Equatorial fecharam em alta de 3,29% em resposta à aquisição.
  • A Equatorial deve investir perto de R$ 1,0 bilhão na Cepisa, sendo esperados “ganhos relevantes de sinergia na aquisição”, e na interação com Cemar e Celpa.
  • Em adição, a Equatorial está analisando as demais distribuidoras da Eletrobras que serão colocadas à venda.
  • Além da compra da participação acionária, a companhia também celebrará acordo de acionistas com a Eletrobras e contrato de concessão do serviço público de distribuição de energia elétrica com a União. A aquisição depende da aprovação do Cade e da Aneel.

Clique para acessar o Boletim Diário Completo:

Boletim Diário – PDF

Clique para acessar nossos Mapas Diários:

Mapa de Oscilações


Mapa de Posições Alugadas




DISCLAIMER
Este relatório foi preparado pela Planner Corretora e está sendo fornecido exclusivamente com o objetivo de informar. As informações, opiniões, estimativas e projeções referem-se à data presente e estão sujeitas à mudanças como resultado de alterações nas condições de mercado, sem aviso prévio. As informações utilizadas neste relatório foram obtidas das companhias analisadas e de fontes públicas, que acreditamos confiáveis e de boa fé. Contudo, não foram independentemente conferidas e nenhuma garantia, expressa ou implícita, é dada sobre sua exatidão. Nenhuma parte deste relatório pode ser copiada ou redistribuída sem prévio consentimento da Planner Corretora de Valores. O presente relatório se destina ao uso exclusivo do destinatário, não podendo ser, no todo ou em parte, copiado, reproduzido ou distribuído a qualquer pessoa sem a expressa autorização da Planner Corretora.

As opiniões, estimativas, projeções e premissas relevantes contidas neste relatório são baseadas em julgamento do(s) analista(s) de investimento envolvido(s) na sua elaboração (“analistas de investimento”) e são, portanto, sujeitas a modificações sem aviso prévio em decorrência de alterações nas condições de mercado.
Declarações dos analistas de investimento envolvidos na elaboração deste relatório nos termos do art. 21 da Instrução CVM 598/18:
O(s) analista(s) de investimento declara(m) que as opiniões contidas neste relatório refletem exclusivamente suas opiniões pessoais sobre a companhia e seus valores mobiliários e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à Planner Corretora e demais empresas do Grupo.