Saiba como alugar uma ação

Já pensou em alugar uma ação? Esta é uma prática de mercado muito comum e que possibilita que você possa aproveitar melhor das oscilações de cotação de ações. Pergunte para um de nossos especialistas e descubra como tirar o melhor proveito do mercado de ações.

O que é o aluguel de ações?

Aluguel de ações é uma operação através da qual os investidores ofertam títulos para empréstimos e os demandantes os tomam emprestados. Para efetivar este tipo de operação é necessário que o tomador ofereça garantias.

O tomador do aluguel estará com o ativo disponível em sua carteira, durante o período de vigência do contrato.

As taxas de empréstimos são determinadas em bases anuais, na qual o tomador paga pelos dias úteis dentro do período de vigência do contrato. Elas variam de acordo com a ação alugada e a comissão cobrada pela corretora.

A CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia) atua como contraparte e garante os negócios. Os investidores oferecem títulos para empréstimo e os tomadores os alugam para atender a necessidades temporárias.

Quais as vantagens de alugar ações?

A possibilidade de tomar títulos emprestados acrescenta eficiência operacional e flexibilidade ao mercado, sobretudo em operações de arbitragem. O tomador pode utilizar as ações em operações como:

  • Vendas a vista;
  • Liquidação de operações já realizadas no mercado a vista;
  • Garantia de operações em mercados de liquidação futura;
  • Cobertura no lançamento de opções de compra. Já o doador faz circular papéis que, de outra forma, estariam imobilizados em sua carteira, auferindo uma remuneração extra, em princípio não prevista no seu fluxo de caixa.

O empréstimo de títulos é indicado para investidores que não têm interesse em vender suas ações a curto prazo. Emprestando ações, o investidor pode maximizar o retorno de sua carteira por meio da taxa que receberá por esse empréstimo. É importante destacar que o doador que empresta seus títulos não deixa de receber, no período em que suas ações estiverem tomadas, eventuais proventos concedidos pela companhia emissora, ou seja, ele recebe (além da taxa de empréstimo) dividendos, lucros, enfim, qualquer provento que seus papéis venham a registrar, não importando que estejam temporariamente nas mãos de terceiros.

O que é um doador e um tomador?

 

O doador é o investidor proprietário das ações que estão sendo alugadas.

O tomador é o investidor que requer um empréstimo de ação que não lhe pertencem.

A quem se destina?

Detentores de carteiras de investimento em geral podem atuar doando papéis, inclusive fundos de pensão e fundos de investimento. Esses investidores podem maximizar o retorno de sua carteira com a taxa recebida pelo empréstimo. O doador, ao alugar suas ações, recebe todos os proventos e uma taxa de remuneração pelo período do empréstimo. Além disso, ainda conta com a segurança oferecida pela CBLC que garante as operações.

Investidores, pessoas físicas e jurídicas, inclusive instituições financeiras, podem tomar papéis emprestados.

O tomador tem a possibilidade de aproveitar-se de uma eventual queda na cotação de uma ação. Isto é, vendendo-a por um determinado preço e depois comprando-a por um preço mais baixo.

Garantias para operação

As garantias podem ser: dinheiro, algumas das principais ações negociadas, títulos públicos e outros.

As garantias devem estar disponíveis antes da confirmação da operação.

Aluguel reversível

É aquele em que o tomador pode entregar as ações objeto do aluguel antes do prazo final estipulado no contrato.

Aluguel não-reversível

Em um aluguel não-reversível o tomador não pode entregar as ações objeto do aluguel antes do prazo final e deverá permanecer com as ações em sua carteira até o final do prazo estipulado no contrato.

Saiba mais sobre o mercado de ações